Carreata Rosa marca o mês da prevenção

Uma carreata, a partir das 9 horas deste sábado, 17 de outubro, marca o ponto alto do Outubro Rosa em Braço do Norte. A ação é promovida pela Comissão da Mulher Advogada e Rede Feminina de Combate ao Câncer.
Todos os 259 advogados que atuam na subseção de Braço do Norte, principalmente as 126 advogadas, estão sendo convidados a participar do evento, ressalta Marta Regina Neckel, presidente da Comissão da Mulher Advogada. “Pretendíamos, este ano, realizar uma ação mais ativa, porém, com a pandemia, fica difícil promover um encontro presencial, por isso, vamos, em parceria com a Rede Feminina, fazer esta carreata pelas ruas centrais de Braço do Norte, alertando todas as mulheres, da importância da prevenção”, detalha. Neckel faz questão de reforçar a importância de todos os colegas integrarem esta ação, não somente as mulheres.
A saída da carreata será do pátio do Posto São Marcos, no final da Avenida Felipe Schmidt. A manifestação deve durar, no máximo, uma hora, prevê a presidente, “Até para não atrapalhar o trânsito, já que sábado é um dia de grande movimento”. A Polícia Militar fará o acompanhamento e garantirá a segurança do trajeto.
Além desta ação, todas as advogadas receberam da Caixa de Assistência da Ordem dos Advogados do Brasil, uma autorização para realização de exames de mamografia ou de ultrassonografia, em parceria com o Hospital Santa Teresinha. “É a forma que a nossa entidade encontrou de incentivar a realização dos exames, neste mês de prevenção ao Câncer de Mama”, ressalta a Neckel.
A presidente da Rede Feminina de Braço do Norte, Rosinete Della Giustina Michels, lembra que todos os moradores da cidade são convidados a participar da carreata. “Nossa solicitação é que enfeitem seus veículos com balões ou laços rosas, para lembrar a campanha que está em andamento”. A presidente lembra ainda a importância de se usar a máscara e de tomar todos os cuidados para não propagar o coronavírus.

INTEGRANTES
A Comissão da Mulher Advogada tem como membras: Marta Regina Neckel, Priscila Koch Tramontin, Patila Vandresen de Souza e pela ex-presidente da subseção de Braço do Norte, Tatiana Della Giustina.

“Modifique seus hábitos a partir de agora”

A ginecologista e obstetra Karla Cristine Conceição alerta para os fatores de risco que podem ser o estopim para o desenvolvimento de câncer de mama e lembra que modificar os hábitos é a melhor forma de manter o corpo saudável.
Mulheres acima do peso, especialmente no período pós-menopausa, têm maior chance de desenvolver câncer de mama em comparação àquelas que mantém o peso mais estável. “Mulheres que têm o índice de massa corpórea abaixo ou igual a 26 têm 50% menos chances de ter câncer de mama”, revela a médica.
Praticar uma atividade física vigorosa, por pelo menos 45 minutos a uma hora por dia, entre cinco a seis vezes por semana reduz em 12% o risco de desenvolvimento de câncer de mama. “Caminhar uma hora vendo vitrine não é exercício. Tem que ter vigor, caminhar acelerado, correr ou praticar outro tipo de exercício que realmente faça você se mexer”, indica a profissional.
Uma alimentação saudável é excelente para evitar uma série de doenças, inclusive o câncer de mama. Aquele prato colorido, com vegetais, frutas, verduras, grãos e gorduras boas é a base para ter saúde. Uma alimentação rica em gorduras saturadas e poliinsaturadas, consumo excessivo de carnes vermelhas e gorduras de origem animal, comidas com adição de açúcar, grãos refinados e frituras, tende a aumentar o risco de câncer. “Existem vários estudos que mostram que o consumo de comidas ultraprocessadas aumenta em 10% o risco para câncer de mama”, alerta Karla.

Bebidas alcoólicas com moderação

Diminuir o consumo de álcool também é um hábito que pode afastar para bem longe as chances de desenvolvimento de câncer de mama. “Pode tomar a cervejinha, o drink. Não tem problema. A questão é tomar seis cervejinhas todos os dias, dois drinks todos os dias”, explica a médica.
Se você é do grupo das fumantes, quem sabe este dado seja um baita incentivo para você fumar seu último cigarro hoje e dar adeus a este hábito: “mulheres fumantes têm 24% mais chance de ter câncer de mama em comparação com as que não usam tabaco”, informa.

Reposição hormonal só com acompanhamento médico

A obstetra indica que as terapias de reposição hormonal sem orientação e acompanhamento médico devem ser evitadas, especialmente quando houver a combinação de estrogênio e progesterona por mais de cinco anos de uso.

Você não pode mudar, mas pode prevenir

É preciso dizer: cada caso é um caso e o fato de você ser a rainha fitness não te isenta de um dia (e torcemos para que não) desenvolver câncer de mama.
Se existem maneiras de evitar a doença a partir de hábitos mais saudáveis e um estilo de vida mais regrado, há alguns fatores de risco que não podem ser modificados, nem mesmo que você queira.
Contudo, isso não significa que se você se encaixa em algum destes fatores de risco irá ter câncer de mama. Existem situações que não podem ser mudadas, mas sempre há como prevenir que estas situações desencadeiem a doença. E isso pode ser feito através do autoexame e de exames preventivos.
O principal fator de risco não modificável é a idade: quanto mais velha, maior é o risco de a mulher desenvolver o câncer de mama. O pico de incidência está entre 55 e 65 anos. Porém, estudos recentes demonstram que o Brasil tem uma peculiaridade na relação câncer de mama x idade: em torno de 40% das pacientes diagnosticas com a doença têm menos de 50 anos.
Quanto mais jovem é a mulher, mais agressivo é o câncer e maior é chance de haver metástase para outros órgãos. Daí a importância de fazer os exames preventivos antes dos 50 anos.
Meninas que menstruam cedo (antes dos 12 anos), mulheres que não tiveram filhos ou que foram mães em idade mais avançada também têm maior probabilidade de terem câncer.
Para aquelas que têm casos de câncer de mama na família, o mais indicado é não esperar e iniciar os exames preventivos mais cedo, explica a médica. “Se a sua mãe teve câncer aos 50 e sua irmã aos 40, você deve iniciar os exames preventivos aos 30, no mínimo. Desta forma é possível prevenir a doença com maior eficácia ou até mesmo rastrear qualquer nódulo tão no início que ele nem vai ter chance de crescer”, orienta a profissional.


Leave a Comment