terça-feira, dezembro 1Diário online de Braço do Norte

(In)esperada!

Esta quarentena começou com um projeto pessoal de organizar minha casa, de me alimentar melhor e não parar com os exercícios físicos. Em meados de abril, aceito o convite de minha irmã e vou almoçar na casa dos meus pais. Como havia certeza de não voltar a trabalhar tão cedo, resolvo ficar alguns dias. Estou até hoje.
Aproveito o tempo com minha mãe e ingresso em um novo projeto: buscar os sabores da nossa família, receitas antigas. Fiz bolacha de Natal, cuca da bisa, bolos, receita de toucinho do céu, macarrão… com o passar das semanas o resultado veio na balança e parei tudo. Junto a isso começou um mal-estar, mas nada a preocupar, talvez tenha sido a quantidade de comida. E minha cabeça segue em busca do que fazer com o tempo a mais junto dos que amo…
Programamos um passeio pela serra gaúcha. Foi lindo. Toda a família. Visitamos vinícolas com direito a degustação, como bebemos! Comemos muito. Dormimos melhor ainda! Fomos em todos os passeios possíveis com criança, inclusive no pedalinho! E, mais uma vez, um embrulho no estômago, um mal-estar. Ah… nada que um limão espremido e água com gás não resolva. Há quanto tempo está sem vir minha menstruação?
Voltamos a Braço do Norte no domingo. Não consigo dormir de tanta angústia. Uso DIU! Faz seis meses que realizei o exame para certificar se ele estava no lugar correto. E, ele estava! Eficácia de 99,5%. Impossível eu ser o 0,5%. Quando foi a última vez que menstruei?
Na manhã seguinte, Henrique insiste e compra um teste de farmácia. Cena seguinte: eu sozinha no banheiro, momento em que mil ideias passam em um segundo. Sinto um arrepio que inicia na nuca e vai até o pé. E agora? Theo está grande, independente! Começar tudo de novo? Meu trabalho? E aquele plano de estudar não sei o quê? De ler aqueles livros? Daquela viagem. Eu uso DIU! Preciso logo agendar com minha ginecologista e tentar tirá-lo antes que machuque o bebê. Antes do teste confirmar, eu já sabia. Positivo.
E a vida nos prega peças. E eu que andava em busca de fazer algo novo. Com uma família perfeita e completa. Novamente grávida. Com calma absorvo a informação. Agendo ginecologista. E, um banho de água fria. Não seria possível retirar o DIU. A gravidez é de alto risco. Devo manter repouso.
As semanas passaram, houve muita angústia, principalmente quando ocorreram os primeiros sangramentos. Tensão em ligar para médica. Solicitação de ultrassom. Manter repouso. Mais sangramento. Novo ultrassom. E no decorrer dessa gangorra de emoção. O tempo passou. A placenta se formou. E o bebê continuou seu desenvolvimento. No último exame, bebê de um lado protegido pela bolsa e o DIU de outro, bem grudado no endométrio. E que assim continue até o final da gestação.
Hoje iniciamos a décima sexta semana. Estou no término do quarto mês. Estou confiante que tudo dará certo. Se conseguimos chegar até aqui, é para ir até o final com muita saúde. Estou grávida! Hoje o sentimento único é de felicidade plena! E muita ansiedade para conhecer o novo furacão que vem por aí! Meu novo amorzinho. Meu novo menino. Meu projeto da quarentena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale