Superação pela música é recompensada

em condições financeiras de presentear o filho Davi José com um violão em seu aniversário de 15 anos, o casal Antônio e Eliane Gomes dos Santos enviou para a NSCTV, filiada da Rede Globo em Santa Catarina, um vídeo em que o filho, que é músico da Orquestra de Gravatal e da Banda Marcial do município, aparecia tocando violino. “Como não podemos dar o violão que ele tanto deseja, queremos dar de aniversário para ele uma homenagem, que ele apareça na televisão”, pedia a mãe em sua mensagem.
Na segunda-feira, 13 de julho, além de aparecer na TV, o garoto recebeu um violão oferecido pelo Top de Mídia e pela Folha do Vale.
O que era para ser apenas um presente para coroar a dedicação do jovem músico revelou-se uma história de superação. A família de Davi José, que é natural de Ilhéus, na Bahia, veio para Santa Catarina no final de 2014. No começo do ano seguinte, com apenas 9 anos, começou a ter aulas de trompete e a tocar na Banda Municipal de Gravatal. Porém, o destino quis que sua avó materna, Maria de Fátima, falecesse na Bahia, aos 56 anos, vítima de um infarte fulminante no dia que o garoto completava 10 anos. Justamente a avó que havia ajudado, financeiramente, a organizar a festa do garoto.
“Nem preciso dizer que isso foi um choque para Davi”, revela a mãe, que vivia outro dilema, pois o filho mais velho, único irmão de Davi, estava doente e parte do dinheiro arrecadado deveria ser empenhado na operação ou na viagem para o nordeste do país para o velório. O adeus teve que ser dado de longe.
A partir deste dia, constantemente, Davi se queixava de estar sofrendo com a chacota por sua cor da pele e por seu jeito de falar. Mesmo preconceito sentindo por todos da família, que pensaram em voltar para a Bahia quando o inverno chegou, já que não se adaptaram ao clima.
“Davi começou a faltar às aulas de música e não ia bem na escola, o que chamou a atenção da professora Dorly, que na época era secretária de Educação do Município e acompanhava os ensaios e apresentações aos sábados”, conta Eliane Gomes que é professora em Gravatal.
Dorly Spindola Laureth Zanelato, então, convidou o garoto para ingressar na Orquestra Sinfônica e estimulou Davi a se interessar pela música. “Lembro daquele menino que veio de tão longe entrando na Banda Marcial de Gravatal tocando trompete, me encantava. Até que um dia queria voltar para a Bahia, de onde veio. A mãe me solicitou ajuda para convencê-lo a ficar em Gravatal e continuar tocando na banda e na Orquestra Sinfônica. Ficou. Meu coração se enche de orgulho de ver seu sonho ser realizado”, se emociona Dorly. “Foi algo fantástico. Além de continuar tocando bombardino na Banda Marcial, passou a ter aulas de violino na Orquestra Sinfônica”, recorda a mãe, orgulhosa.
Um dia após seu aniversário e já com o violão nas mãos, iniciou a aula de música particular oferecidas gratuitamente, durante um ano, por José Albino, que é cantor, compositor e professor de teoria musical e técnica vocal em Gravatal.


Leave a Comment