segunda-feira, novembro 30Diário online de Braço do Norte

Artigos

Laura, minha sobrinha
Colunas, Artigos, Robson Kindermann

Laura, minha sobrinha

Artigo semanal de Robson K. Sombrio Laura, minha sobrinha, essa semana quem está de aniversário é você. Então, o que eu quero dizer é que a vida é uma jornada que começa quando nascemos e “acaba” quando morremos. O que importa mesmo é o que acontece no meio. Lembro quando você nasceu, lembro quando você, pequenina, dormiu lá em casa, lembro da Lívia indo dormir na sua. Duas almas brincando juntos. Lembro dos sorrisos de vocês duas indo passear no parque, lembro da alegria de passear no shopping, lembro de você Laura quando íamos nós três passeando de bicicleta no Centro da cidade. Lívia na cadeira da frente você na cadeira de traz – lá íamos nós sorrindo pela cidade, lembro também que você não parava de falar. Ao contrário do que a gente pensa, a vida, ela começa, recomeça, inúm...
Coisa que já aprendemos com esse “tempo”
Artigos, Colunas

Coisa que já aprendemos com esse “tempo”

A opinião da presidente da Associação Empresarial de Orleans (Acio), Thayni da Silva Librelato Há décadas não havia um momento de tanta união como esse que estamos vivendo. Sim, essa crise vai passar, mas ninguém será o mesmo depois dela. A vida, definitivamente, está sendo revisada pela maioria e, inevitavelmente, nos levando a muitas reflexões. O coronavírus deixará como legado diversos aprendizados. Forças e parcerias entre pessoas de nações diferentes, entre profissionais e suas empresas e entre famílias, que nunca antes pudesse ter sido imaginada. A busca desenfreada por capital, status e sucesso profissional também irá reduzir, porque as pessoas vão entender, definitivamente, que existem outras e mais importantes riquezas. A riqueza familiar, a riqueza espiritual, a ri...
Edição em PDF, Artigos, Robson Kindermann

Coronavírus e o respeito às pessoas

Por Robson kindermann Sombrio Não imaginei que viveria isso. O ano é 2020. Estamos no mês de março. Faz quatro dias que não saio de casa. Um vírus invisível invadiu o mundo. Coronavírus (Covid-19) após surgir em dezembro de 2019 na China, se espalha pelo mundo. Só agora chegou ao Brasil. Parece que só agora (eu me incluo nisso) que as pessoas estão prestando a atenção ao seu perigo real. Parece ser um filme. Somos mortais e insignificantes perante a esse problema do universo. Ou seja, ninguém é melhor que ninguém. A questão é se antecipar ao problema, por isso estamos em casa, a princípio 7 dias, mas isso pode-se estender. Se você come pastel e o mesmo te da azia, não coma pastel. Tem gente que prefere comer o pastel e ficar com azia e depois tomar o remédio. Quando o melhor seria comb...
Artigos, Robson Kindermann

Deixe partir

Por Robson Kindermann Sombrio São 2h15min da manhã. O sono não vem. Os pensamentos fluem como música. Um conhecido meu diz que o que deseja para valer é esquecer a mulher que o deixou. Diz que seu maior pedido era não pensar mais na separação, na pessoa que se foi. Em silêncio, diz que ora a Deus pedindo para esquecer e seguir seus dias sem a presença da ex-mulher em seus pensamentos. Assim, pensei, muita gente precisa sepultar os castelos que já caíram, as sementes que não crescem mais, as despedidas que se concretizam. Com ou sem o nosso consentimento, muita coisa morre em nossa vida. E é preciso força e lucidez para deixar ir. Para aceitar o fim de uma estação e o início de outra. É preciso aprender a perder e a se despedir. Aprender a liberar certas pessoas ou situações. Mesmo doen...
Robson Kindermann, Artigos

Enfrentar problemas

Por Robson kindermann Sombrio “Deixa eu querer voar, enfrentar meus problemas”. Vitor Kley. De vez em quando, penso que a vida é encantamento e desilusão. Eu penso muito que a vida, os seus acontecimentos, em um momento nos derruba para, em seguida, nos dar a mão. O caminho fica nebuloso para, depois, achar a direção. E a vida é a mais dura verdade e realidade. Aprender a caminhar e confiar enquanto nos confronta com as mais duras verdades. Eu continuo sonhando mesmo quando tudo parece dar errado. Hoje, eu tento não deixar o dia terminar sem que eu tenha dado um sorriso, uma risada. Hoje eu acredito muito mais em benção, milagres e fé. Desconfio que a vida nos oferece oportunidades. E, claro, me sinto culpado por não estar fazendo mais para mim, para o mundo. Eu sei, todos podemos faze...
Artigos, Robson Kindermann

Rede socias e a intimidade

Por Robson Kindermann Sombrio Acompanho a dieta alimentar de pessoas conhecidas e até de estranhos. Fico sabendo que meu amigo está de férias na praia. Fiquei sabendo que um vizinho meu está viajando pela Itália a trabalho. Mando condolências pela morte da avó de alguém que mal conheço. Vejo fotos de mulheres gravidas, logo já sei se será menino ou menina. E me comovo. Sinto como se fosse íntimo da pessoa que acabou de postar no Faceboock ou no Instagran. Sinto enxugando suas lágrimas, que aparecem ser somente de alegrias. Só que não estou perto da pessoa. Muitos eu nem sei quem é, mas descobri tudo isso apenas lendo comentários deixado na postagem. Nunca fomos tão íntimos de todos. Já postei meus textos, o que eu penso que não precisamos estar bem todos os dias (aliás, nem estaremos)....
Artigos, Robson Kindermann

Sociedade dos smartphones

Por Robson Kindermann Sombrio Perda de tempo andar em linha reta. Não existem linhas retas, círculos perfeitos. E nas subidas e descidas da vida que tudo acontece. Água e azeite, tão próximos e tão distantes. Estamos na época do entretenimento que gosta de inventar moda. Para atingir nossos sentidos. Ironicamente, o que um político tem a dizer sobre a arte? O que um artista tem a dizer sobre política? O que o esporte tem a dizer sobre a política? O que um atleta tem a dizer sobre religião? Tudo tão próximo e tão distante. Num intervalo e outro surgem pensamentos, e eu resolvi escrever. Sociedade. Sociedade dos smartphone. (aquele da maçã pela metade, ou seja, mordida) Transformou-se rapidamente em símbolo de riqueza. É o preferido de quem tem (ou acha que tem grana). A empresa, logicam...
Robson Kindermann, Artigos

Deus e o Sentido da Vida

Por Robson Kindermann Sombrio Deus está nos detalhes e as coisas simples são as melhores (acredito que posso terminar esse texto por aqui). Essa é uma das sabedorias que a gente teima esquecer. Sabe o que me dá prazer? Escrever. É parecido com uma refeição favorita, ou a sensação da casa limpa, ou, depois de um dia de calor e suor, tomar aquele banho. Deus continua nos detalhes e as coisas simples continuam sendo as melhores. Nada começa e termina com a gente. “Vivo como se não houvesse o amanhã” já cantava Renato Russo. “Só me arrependo das coisas que não fiz” são frases comuns do dia a dia. E são verdadeiras. Essa e o autoajuda, consumista. Há um tempo certo para tudo. Tranquilizo-me porque a arte, as palavras escritas, e até mesmo as músicas, não têm como objetivo lineares como tem ...
Robson Kindermann, Artigos

Permita-se sentir

Por Robson Kindermann Sombrio Amar e mudar as coisas me interessa mais. Ela nunca teve uma festa de aniversário na escola. Sempre se questiona essa data porque os amigos dificilmente estão por perto, é tempo de férias, quase todos estão longe. Dia 13 de janeiro é o seu dia. Dia em que ela nasceu. Ela sempre foi de sorrir muito, é muito divertida. Quando conversamos, me contava que não conseguia dizer o que sentia para as pessoas que tanto ama. É engraçado, porque, dentro dela, não existe sinais de vergonha. Ela é única para mim, para a Lívia e para o Heitor. Ela é uma concha com medo de perder a pérola. Parece que ela tem medo de sentir uma alegria que nunca sentiu. Melhor do que amar alguém é ser amado. Poucos sabem, mas existe uma parcela na vida muito bonita que é o sentir. Sentir é...
Artigos, Robson Kindermann

Derrota

Por Robson Kindermann Sombrio Flamengo perde a final do Mundial para Liverpool. Diante da derrota o que podemos aprender? A derrota ,não é uma possibilidade, mas uma certeza. Em algum momento da sua vida você vai ter alguma derrota. Isso é o significado da gíria popular que diz: “faz parte”. Mas, a questão não é perder, e sim o que podemos aprender. Ou como podemos “mastigar” melhor isso. O que poderia ter sido diferente? Aproveitando o recesso, te pergunto. E aí, você viu quantas coisas você passou e mudou esse ano? Tem horas que a gente vai vivendo e nem percebe o quanto mudou ou aprendeu. Perder ou ganhar são partes da vida. Muita coisa pode dar errado. E eu entendo isso. Mas, vamos ao segundo ponto. Entregue-se ao que você está fazendo. Se lançar na vida pela metade gera uma série ...
Folha do Vale