Xadrez de BN chega a 100ª aula durante a pandemia

Desde março, devido a pandemia e a impossibilidade dos treinos e competições presenciais, a Associação Braçonortense de Xadrez (Abrax) se reinventou e se tornou mais ativa ainda. Como este esporte pode ser praticado pela internet, esta modalidade aumentou em 50% sua atividade no mundo todo. Não diferente, em Braço do Norte, a associação, aproveitou e iniciou as aulas e torneios on-line. No sábado, inclusive, a entidade chegou à sua centésima aula on-line durante a quarentena.
O estudante Miguel Michels da Silva, 9 anos, aos 6 aprendeu a jogar xadrez e nunca mais parou. Ele é um dos estudantes que aproveita a pandemia para seguir os treinos nas aulas on-line. Além disso, joga e se diverte nos torneios que estão sendo realizados. “As aulas começaram a ser realizadas duas vezes por semana. Agora são cinco aulas semanais para turmas que variam de cinco a 15 alunos”, comemora Lúcio Teixeira, presidente da Abrax. Segundo ele, as atividades são importantes, pois melhoram os jogos dos atletas. “Neste período temos atletas mais motivados e outros um pouco menos, mas, nesta quarentena forçada, quem não dá uma relaxada nos treinos?”, questiona. “O objetivo é aproveitar este tempo e melhorar cada vez o nível dos nossos atletas para quando os treinos e torneios voltarem ao normal. Chegamos a 100 aulas on-line, além do intercâmbio de aulas com outras associações”, ressalta.
Na verdade, o xadrez mundial prosseguiu ativo digitalmente com vários torneios sendo jogados em todos as partes do mundo. “Aproveitando que na internet existem várias plataformas para jogar xadrez, a Abrax participou de diversos torneios regionais, estaduais, nacionais e até internacionais. Somente torneios internos da associação, foram 25. Agora, vamos ter mais um campeonato on-line para a comunidade de Braço do Norte que irá acontecer no formato de cinco rodadas, uma partida por semana entre os atletas, detalha o desafio.
Novas turmas podem ser criadas a qualquer momento, com aulas gratuitas, para ensinar a jogar xadrez. “A partir de três pessoas uma turma é formada. Com eles, já podemos fazer um curso de uma a duas horas, onde o aluno aprende e já sai jogando xadrez”, explica Lúcio. Mais informações sobre aulas de xadrez e torneios entre em contato pelo fone/whatsapp 9.9996-5502.

Piloto de São Ludgero
é segundo no Brasileiro

Aos poucos as provas esportivas e disputas de campeonatos vão retomando. Não é diferente no motociclismo, que teve a Segunda Etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM realizada no último fim de semana, em Penha, ao lado do parque Beto Carreiro World.
Com uma estrutura bem montada e tomando todos os cuidados necessários, os organizadores conseguiram realizar com sucesso a prova, fazendo, testes de Covid-19 em todos os pilotos e mecânicos que estavam no parque fechado.
O piloto de São Ludgero Gabriel Bruning fez sua participação nesta etapa na categoria Enduro Junior, até 23 anos, e, na somatória dos dias de prova, obteve a segunda colocação na categoria e o 13º no geral dos 145 pilotos de todo o Brasil. Estão previstas outras três etapas para fechar a competição nacional.
O trajeto da prova foi feito com três trechos cronometrados. Foram realizadas três voltas neste percurso. Cada piloto correu contra o seu próprio tempo. O piloto mais rápido na soma de todas as voltas venceu. “No primeiro dia tivemos que voltar ao ritmo de prova. Já que fazia muito tempo que não tínhamos nada de competição. Nas primeiras voltas andei bem, mas depois consegui me soltar mais e atacar mais em alguns trechos ganhando preciosos segundos que me fezeram entrar na disputa entre os ponteiros. Porém, no final do dia tive uma queda e perdi alguns segundos e terminei na quarta colocação”, resume o primeiro dia de prova. “Já no segundo dia, o trajeto estava mais esburacado e exigia mais técnica e resistência da gente. Imprimi um ritmo forte e seguro, estava sempre brigando com os primeiros e consegui finalizar com a segunda colocação no último dia de prova”, comemora.
Gabriel salienta que os trechos cronometrados tinham lugares abertos, com muita velocidade. Em contrapartida, outros bem travados, com bastante pedra e muito técnico. “Foi bom ter voltado às corridas e sentir o cheiro do óleo e gasolina de novo, aquela adrenalina gostosa que me move”. Aproveita para agradecer aos patrocinadores: Tigre Center, MB Construtora, Off Bike, Dra Vanessa Bruning, Casa Jeovane e Feijão Caldão. Agradeço ainda ao meu amigo e mecânico Willian “Girino”, que sempre estava cuidando e deixa do a moto em perfeito estado, e minha namorada Érica, que sempre estava de olho nos tempos dos concorrentes e me dando aquela incentivada. Claro que não podia deixar meu paizão, Genoir, de fora, o meu exemplo e grande incentivador”, destaca.


Leave a Comment