terça-feira, dezembro 1Diário online de Braço do Norte

Campanha reforça importância da prevenção ao suicídio

Este mês é marcado pela campanha Setembro Amarelo, que busca conscientizar sobre a prevenção ao suicídio e propõe um diálogo aberto sobre o tema para reduzir o número de casos. Saber reconhecer os sinais de alerta, procurar auxílio profissional e adotar hábitos saudáveis pode salvar vidas. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que nove em cada 10 mortes por suicídio podem ser evitadas. Em Braço do Norte, o Centro de Valorização da Vida (CVV) realizou, através de voluntários, uma ação no último sábado, pela manhã.
“Precisamos conscientizar as pessoas, esclarecer e abrir espaço para falar sobre suicídio. É preciso deixar que as pessoas possam falar sobre o sofrimento, e isso pode trazer alívio e conforto. As pessoas próximas podem perceber sinais e ajudar na prevenção. Lembrando que também é necessário procurar ajuda especializada para acolher e encaminhar ao tratamento adequado”, explica Dhuliani Borba Dela Justina, coordenadora local do posto do CVV.
Alguns sinais podem servir de alerta à família e amigos. O isolamento, o abuso de álcool e outras drogas, mudanças bruscas de humor, a diminuição do autocuidado e até a automutilação. Esses sinais, especialmente quando se manifestam constantemente, requerem atenção especial. Para chamar a atenção a estes sinais, os voluntários distribuíram folhetos explicativos e doaram algumas máscaras alusivas ao Setembro Amarelo.

Três casos
registrados em 2020

Até 25 de agosto deste ano, foram registradas 400 mortes por suicídio no Estado, sendo o maior número de casos (78) entre 50 e 59 anos. Em 2019, foram 807 óbitos. Já em relação às tentativas, foram 2.678 até agosto deste ano e 6.118 em 2019. A faixa etária com maior número de tentativas é a de 20 a 29 anos, conforme informações do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde (MS).
Em Santa Catarina, 1523 crianças e adolescentes tentaram se suicidar em 2019, segundo dados do Sinan. Os registros de automutilação, mais frequentes na faixa etária entre 10 e 19 anos, também acendem o alerta.
Braço do Norte registrou, em 2019, sete casos, sendo seis homens. Este ano foram registrados, até o momento, três mortes. Sendo dois jovens. Um de 24 e outro de 21 anos. O outro caso foi de uma senhora de 46 anos.
Dados da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) mostram que no Brasil cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos e, conforme o MS, mais de 96% dos casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais, depressão, transtorno bipolar e/ou abuso de substâncias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale