Vamos falar da política em São Ludgero

Coluna semanal de Fernando Sombrio diretamente de São Ludgero

Como me interesso muito no assunto política municipal, vez em quando estou consultando o site do TRE para obter informações e nessa semana pesquisei para saber a situação do PSL em São Ludgero, o 17. Partido esse que que foi um tsunami na última eleição. Descobri que o atual líder do partido no município é o conhecido “tucano” Amilton Becker, o “Batata”. Sim, ele é o presidente do diretório provisório do PSL, e com um vice de grande influência na cidade. Batata já é conhecido na política local, o vice-presidente da sigla é um forte empresário e não vou citá-lo publicamente ainda, se ficou curioso pesquise no TRE-SC.

Será?

Será que o PSL terá nomes para a disputa na majoritária, ou para a vereança? Não sabemos ao certo, mas existem outros nomes conhecidos na sigla. Na minha opinião a sigla perdeu muitos apoiadores desde que o presidente Bolsonaro caiu fora, mas continua sendo o partido do Governador, outra autoridade que divide opiniões.

E os outros?

O PSDB ainda possui muitos filiados, mas não tem nem diretório provisório. O ex-presidente Jairo Luiz Borges migrou ao MDB, assim como o único vereador da sigla Lupércio Becker, o Lula, que também bateu em retirada, mas foi para o PL. Com isso não sobrou ninguém para reerguer a sigla, será? O PSDB, já teve em seu quadro de filiados nomes como Adriano Becker, Alexandre Pereira (foto), Laudi da Silva, o “Chero”, vereadores que estão atualmente em exercício. Vale lembrar também que outras figuras que participaram da sigla hoje estão, ou trabalhando no governo MDB, ou são simpatizantes do partido. Só um milagre para reerguer o PSDB em São Ludgero, mas há de convir que com a mudança no cenário eleitoral em 2018, o partido perdeu apoio estadual e federal, tendo apenas Geovânia de Sá como uma referência forte.

PSD

Já o PSD que tem Julio Garcia sendo presidente da Alesc, parece misterioso no cenário eleitoral municipal. O único que dá sinal de vida publicamente é o ex-vereador Edemilson Daufembach. Para alguns políticos, até mesmo de situação, Daufembach tem grandes chances de ser o único vereador de oposição na Legislatura 2021 a 2024, ou outro correligionário bem conhecido. Quando digo que pode ser o único é que os possíveis participantes do pleito acreditam que exista praticamente uma unanimidade na eleição a vereança. Hoje oficialmente, por exemplo, não existe nenhum vereador de oposição, são cinco do MDB, três do PL e um do PP, todos da mesma coligação de 2016. Acredita-se que não mude muito este cenário. A mudança estaria apenas em saída do PP, as não se pode duvidar de um partido com muita história no município ou o fortalecimento de uma nova sigla!

Rumores

Os rumores indicam que o MDB vai mesmo ceder a vaga de vice-prefeito ao PL, mas a decisão concreta só chegará mesmo nas convenções. Esse assunto já é antigo! Na verdade, sendo bem sincero, a única novidade na cidade seria se o MDB não colocasse o vice do PL, o PSL criasse um time para a disputa ou o PSD encarasse a majoritária com alguma novidade.


Leave a Comment