sábado, janeiro 23Diário online de Braço do Norte

Tudo influência

Por Robson Kindermann Sombrio

Tudo influência. Tenho evitado noticiário ou assuntos que, entre aspas, “não importam”. Eram 7 horas da manhã, saí cedo de casa para ir até padaria, escuto uma discussão entre pintor e pedreiro, não tinha nada a ver comigo, até ali eu estava bem, antes de ter presenciado uma discussão. Depois disso, não fiquei bem. Precisei me concentrar, pensar e sentir que a bronca não era minha. Logo sento para escrever meus sentimentos e aliviar minha insatisfação. Você já se percebeu assim? O mundo é uma energia só. Só que tem movimentos que não são bons e eu não quero. Temos perdido tempo demais em redes sociais, com assuntos relacionados as outras pessoas.
As pessoas não se dão conta de como quase tudo influência (gostei de mim, quase tudo influência). Claro que tenho que ver o que é meu, o que é do outro. Certos impulsos ecoam dentro da gente 24 horas. Minha vontade é de se conectar só com coisas boas, mas só isso também não é possível. Lembrei da música da banda Jota Quest: “E eu vou esquecer de tudo, as dores do mundo. Não quero saber quem fui, mas sim quem sou. Nesse contexto, imagina pai e mãe discutindo e o filho ouvindo. Ou melhor, eles pegam essa energia, eles absorvem como uma esponja. Então se é para discutir, brigar, por favor, longe deles. Quem pode não dar certo é marido e mulher, pai e mãe serão pra sempre.
Impossível assimilar todas as informações que chegam pra nós todos os dias. O ataque maciço e constante, não tem para onde fugir. Também não é pouca a quantidade de escritores que pedem sua atenção todos os dias (eu sou um) que tentam tirar da cartola assuntos que interessem. Nesse momento no mundo estão acontecendo tragédias, assaltos, campeonatos, reformas políticas. Gastamos horas nos atualizando, e ao mesmo tempo em que pouco percebemos nós mesmos. O que você tem feito? O ataque é constante. Será que não estamos indo além do limite aceitável? Informação é importante, mas sem overdose por favor.
A vida está em plena atividade, todos trabalhando, planejando, comemorando. E a gente no meio de tudo isso. Eu sei, não paramos para ver como estamos em casa, como pai, como filho, como marido. E a gente sendo soterrado por as mais diversas energias que vagam pelo ar. Você poderia estar ouvindo sua música preferida agora, conversando com a família, ou de repente olhando para céu, você poderia estar jogando futebol com os amigos, observando a chuva, poderia estar preparando um café. Ou lendo, sei lá, qualquer outro texto. Não, não me abandone, por favor. Enfim, você tem percebido você mesmo? Você percebe você mesmo? Num mundo tão agitado – você tem recebido notícias suas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale