sexta-feira, janeiro 15Diário online de Braço do Norte

Soldado ferido ficará afastado 17 dias

O soldado Ronaldo Michels, do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), atingido por um golpe de um objeto cortante durante uma abordagem no Carnaval de Rua de Braço do Norte, permanecerá 17 dias afastado das ruas, até estar apto a voltar à ação.

RONALDO agradece as mensagens de apoio

Michels e seus colegas de guarnição foram acionados em apoio aos seguranças do Carnaval para atender uma ocorrência de uma briga entre homens. Tudo porque um deles, com iniciais B.E.N.F., 24 anos, teria sido identificado pelos seguranças empurrando alguns foliões. Com algo que parecia uma faca, o rapaz passou a ameaçar e a agredir os agentes. Ao tentar realizar a revista no jovem, que estava alterado, aparentemente sobre efeito de drogas, o suspeito recusou-se a obedecer e passou proferir ameaças. “Nos aproximamos do indivíduo e ele já veio também na tentativa de nos agredir. Fui o primeiro a tentar contê-lo e, na sequência, toda a guarnição do PPT”, detalha Michels. O rapaz passou a agredir os militares. Os policiais tentaram conter o agressor com o uso de spray de pimenta. Não sendo eficaz, utilizaram técnicas de imobilização com a ajuda de mais seis seguranças.

O indivíduo estava com uma bolsa. No interior, foi encontrada uma porção de substância semelhante a maconha com 16,6g. Morador de Gravatal, natural de Teresina, no Piauí, o agressor é servente de pedreiro e já possui quase 40 passagens policiais, dentre elas assaltos praticados principalmente na região de Tubarão e agressão a dois policial, um na Cidade Azul, quando ainda era menor de idade, e outro em Gravatal, cumprindo pena por este fato.

Somente após tirar o homem da multidão e colocá-lo próximo da viatura, foi observado que Michels estava com um corte profundo na região do punho, pois não foi possível identificar que objeto cortante o agressor segurava na hora da abordagem. De imediato, a equipe de socorristas e brigadistas que prestavam serviço no evento, procedeu os primeiros atendimentos e conduziu o soldado ao Hospital Santa Teresinha, onde o militar recebeu quatro pontos no punho e dois no cotovelo ferido.

O agressor também foi conduzido até o hospital para os primeiros atendimentos. Durante o deslocamento, manteve-se alterado e danificou a caixa da viatura com chutes. Após ser sedado e liberado do hospital, o rapaz foi levado à delegacia e, posteriormente, ao Presídio de Tubarão.

“Poderíamos estar lamentando algo pior”

O comandante da Guarnição Especial da Policial Militar de Braço do Norte, o tenente-coronel Marcos Aurélio Ramm, lamenta o incidente que acabou ferindo um policial, mas lembra que a função da PM é proteger o cidadão e que Ronaldo Michels recebeu toda a atenção da corporação.

“Nosso trabalho é este. De assumir o risco e de estar em perigo institucionalmente”, lembra Ramm, ao elogiar o trabalho realizado pelos policiais e principalmente pelo soldado Michels. “Temos que lamentar o fato dele ter se ferido. Todavia lembramos que ele cumpriu o seu papel. Poderíamos estar aqui lamentando algo pior, não fosse a ação destes militares”, salienta o comandante, ao lembrar que, em consequência do risco que corre diariamente, os policiais são invariavelmente expostos a lesões. “O caso em particular, teve uma repercussão maior por ter sido filmado e divulgado pelas redes sociais”.

Já Michels aproveita para agradecer as centenas de mensagens de apoio que recebeu. “Isto é muito importante, pois nos motiva a continuar a seguir em nossa missão, que é a de proteger a sociedade de bem, mesmo com o risco da própria vida”. O militar ainda agradece os socorristas que estavam no evento. “E toda equipe do Hospital Santa Teresinha pelo excelente atendimento com qualidade e profissionalismo com o qual me atenderam”, enfatiza.

Quanto ao número de policiais destacados para a noite, o comandante está confortável em dizer que está dentro do necessário e faz um comparativo com o réveillon de Balneário Camboriú. “Lá, estima-se que mais de um milhão de pessoas estiveram comemorando a passagem do ano na orla marítima. Um efetivo de 120 militares foi deslocado para acompanhar esta noite. Se comparar com os 30 homens para pouco os pouco mais de 10 mil foliões que estavam na avenida, o número é bem maior, proporcionalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale