quarta-feira, janeiro 20Diário online de Braço do Norte

Setor de eventos realiza manifesto nesta sexta-feira

O setor de eventos, um dos mais afetados pela pandemia, resolveu “falar” e, em consequência disso, organizou um manifesto nesta terça-feira, 22 de setembro, em Criciúma. Inicialmente organizado pela decoradora Daiane Pavei Savi, da Innovare, a região do Vale foi representada pelo músico e produtor de eventos Dany Buss.
O manifesto aconteceu na Avenida Centenário e contou com cerca de mais de 300 participantes, sendo uma manifestação pacífica, contando com o apoio da Polícia Militar. Um outro evento será realizado hoje, sexta-feira, a partir das 13h. Uma carreata partirá de Passos de Torres e se dirigirá até a Ponte Anita Garibaldi, em Laguna, pela BR-101. Reivindicam a publicação de um novo decreto pelo Estado que garanta o retorno das atividades, gradativamente, dentro das normas com cuidados e um auxílio financeiro, entre outras ações.
O comboio visa chamar a atenção de toda mídia estadual e nacional. O setor quer chamar a atenção das autoridades e governantes para uma solução, que muitos tratam como uma simples festa, mas é literalmente um trabalho que envolve muitas pessoas.
“O setor precisa ser bem visto pelas autoridades. Não se trata apenas de festa e sim de trabalho”, desabafa Daniel, que lembra também do produtor de eventos Djalma Marcelino, “como todos sabem, Djalma Marcelino marcou a história no setor de eventos de Braço do Norte e região deve ser muito bem lembrado, infelizmente se foi devido à Covid 19. Até por isso o setor quer voltar dentro das regras, pois sabemos que se trata de algo muito sério, que Djalma como nós também vestia a camisa”, preocupa-se. Desde março, o setor de eventos está literalmente parado devido a pandemia, sem previsão de volta. “Cito sempre em alguns locais, que eu e alguns outros não dependemos apenas de eventos. Mas e os que vivem literalmente disso, uma balada parada a seis meses? Pessoal de sonorização? Um circo? Entre outros. Estes deveriam ter um auxilio mais expressivo dos governos”, questiona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale