sexta-feira, janeiro 15Diário online de Braço do Norte

Saúde Bucal de RF apresentado em Seminário

Na próxima segunda-feira, 26 de outubro, o projeto “Você me inspira: prevenir é um ato de amor”, executado pela Secretaria de Saúde do Município de Rio Fortuna será apresentado no Seminário Estadual de Promoção à Saúde Bucal. O projeto é um dos selecionados em todo o território catarinense e será divulgado durante os seminários virtuais de experiências em Saúde Bucal no contexto da Covid-19 vivenciadas nos municípios.
Em meio à pandemia, a equipe de Saúde Bucal da Unidade Básica de Saúde Rio Fortuna necessitou repensar as ações planejadas de prevenção, buscando incentivar à população ao autocuidado. Assim surgiu o projeto, que já distribuiu mais de 700 kits de higiene bucal aos pacientes recepcionados na unidade.
“Temos ótimos profissionais que compõem a nossa equipe de Saúde Bucal, que se dedicam e empenham muito em prol da nossa população. E com essa ação queremos mostrar que nosso trabalho vai muito além do que as paredes de um consultório odontológico”, avalia a secretária municipal de Saúde, Claudete Hemkemeier dos Santos. “Também estendemos nossos agradecimentos aos demais membros da equipe de Saúde que também nos ajudaram a concretizar esse projeto”, completa.
O projeto foi desenvolvido pelos dentistas Flávio Schuelter, Guilherme Miranda Sampaio, Marília da Silva Meurer, Ana Carmem Gesing e as técnicas Joselene Schotten Schulz, Diana Hemkemeier e Tânia Tenfen.
A convite, a equipe inscreveu o trabalho junto ao Núcleo Estadual de Saúde Bucal da Secretaria de Estado da Saúde para apresentação durante a Semana Estadual de Promoção à Saúde Bucal, que iniciou na última quarta-feira e encerra nesta segunda-feira. A equipe menciona que a escolha do tema está relacionada aos exemplos que os pais dão aos filhos. Os pais são espelhos aos filhos. Visando o auto cuidado, a medida preventiva é necessária para que se continuem mantendo bons índices no quesito de Saúde Bucal.
O material que está sendo distribuído na Unidade de Saúde era entregue nas escolas aos estudantes, onde também recebiam orientações sobre cuidados necessários a saúde da boca. Porém, com a pandemia, o planejamento teve que ser alterado.

Braço do Norte 65 anos

Na quinta-feira, 22 de outubro, Braço do Norte celebrou 65 anos de emancipação, oficializada por meio da Lei nº 231, de 1955, promulgada pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Desde o início do seu povoamento, ainda no Século 19, passando pela criação do município, até os dias atuais, em meio a uma pandemia de coronavírus, a história da cidade marcada por obstáculos superados, por um povo empreendedor e batalhador, e pelo seu pujante desenvolvimento.
Dalva dos Santos Althoff, 61 anos, é funcionária da Prefeitura de Braço do Norte desde 1979. Nestes mais de 40 anos, de dentro do Paço Municipal, viu a cidade crescer, o serviço público evoluir, e tem muitas histórias para contar. Hoje ela é lotada como auxiliar de Gabinete. Mas, no início, fazia o que estava ao alcance.
“Quando comecei, Daniel Brüning, o primeiro a assumir, interinamente, como prefeito de Braço do Norte, ainda trabalhava na Prefeitura, no setor de obras. A estrutura que tínhamos não se compara como que temos hoje. Para se ter uma ideia, a Prefeitura inteira tinha um único telefone. Eu trabalhava como telefonista, recepcionista, levava o cafezinho e ainda ajudava administrativamente. O telefone era de disco. Quando tocava, eu atendia e, se fosse para o prefeito, por exemplo, tinha que deixar a ligação fora do gancho, ir até o gabinete e avisar o prefeito. Ele, então, tirava o telefone da mesa dele do gancho e eu voltava para a minha mesa e transferia a ligação por meio de uma chave seletora”, recorda.
“Por muito tempo eu trabalhei com máquina de escrever. Em 1994 vieram os primeiros computadores. A Prefeitura tinha comprado quatro deles e um foi entregue a mim. Naquela época o prefeito era Luiz Kuerten. Tivemos que fazer um curso de informática básica para aprender a trabalhar melhor com o computador”, conta.
Dalva Althoff presenciou momentos marcantes das administrações, como a inauguração da Escola Municipal Professor Antônio Rohden, em 1980, pelo prefeito Laércio Michels. Dentro da Prefeitura, Dalva também pode conhecer melhor Wilson Althoff, que também era funcionário público. Ela afirma que conhecia o, então, futuro marido antes de trabalhar no Executivo, mas foi lá dentro que o namoro iniciou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale