São Ludgero confirma primeiro caso de Covid. BN já tem 6

São 51 casos em SC. Governador acredita que até domingo à noite serão mais de 100 casos confirmados

O governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés, revelou neste sábado que Santa Catarina tem 51 casos de coronavírus Covid-19 confirmados até às 8h30min desta manhã. São 361 casos suspeitos que ainda aguardam os testes do Lacen (laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina).

Segundo Moisés, Braço do Norte e Tubarão tem juntos 12 casos, sendo seis em cada uma delas. Dos seis casos de Braço do Norte, um foi liberado para Covid-19 em seu segundo teste e outro está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Já a Prefeitura de São Ludgero, no mesmo momento, confirmou em seu boletim seu primeiro caso confirmado. O município também anunciou que tem outro caso suspeito. Gravatal também confirmou o seu segundo caso. A Cidade das Águas tem ainda 44 suspeitos.

O Governo do Estado havia comunicado na noite de sexta-feira que eram 40 casos do novo coronavírus em Santa Catarina no boletim divulgado da noite. Há oito pacientes internados em hospitais do Estado com sintomas da doença, alguns já tiveram a confirmação da doença Covid-19, outros aguardam o resultado. Entre eles, quatro são idosos e um é uma criança. 

Diante do crescimento rápido desde as duas primeiras confirmações no Estado, no dia 12 de março, o governador do Estado Carlos Moisés volta a reforçar a importância da sua medida emitida em decreto para paralisação dos serviços não essenciais e para que as pessoas fiquem em isolamento em casa. “Se continuarmos nesta mesma escala, no final de semana talvez a gente tenha mais de 100 casos confirmados do novo coronavírus. Estima-se que 10% dos casos precisarão de atendimento intensivo. Temos um planejamento para isso”, destacou Moisés.

O governador ainda destaca que há um crescimento exponencial e por isso as medidas de manter o isolamento, decretada no dia 17, para que o Estado contenha a propagação. “Com certeza teríamos um cenário mais preocupante se não tivéssemos agido rápido”, disse. 

Até esta sexta-feira, a única transmissão comunitária, quando não é possível saber a origem da contaminação, identificada no Estado foi na região Sul. Mas o secretário da Saúde, Helton de Souza Zeferino, alerta que podem haver casos que nem tenham sido notificados em outras regiões, pois há pacientes que não manifestam sintomas, mas podem transmitir. Além disso, uma nova portaria do Ministério da Saúde, publicada nesta sexta-feira, passa a considerar comunitária toda transmissão em território nacional.

Por isso, reforçou a importância de todas as pessoas cooperarem e manterem as medidas impostas no decreto do governo. Zeferino também alertou para o perfil diverso entre os pacientes com confirmação em Santa Catarina. “Uma questão que chama a atenção aqui no Estado é que metade dos pacientes que estão internados com o sintomas não está dentro do grupo de risco, há quatro pessoas jovens, isso mostra que o risco é o mesmo para todos e todos devem cumprir as medidas de isolamento”, destacou. 

Fiscalização para cumprimento do decreto

Forças da segurança do Estado estão atuando em conjunto para garantir que o decreto emitido pelo governador Carlos Moisés seja cumprido. Até às 18h desta sexta-feira haviam sido feitas 5.102 intervenções no Estado. Foram registradas 517 ocorrências, 479 notificações, 38 interdições de estabelecimentos e 68 termos circunstanciados.

A Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) está com equipes espalhadas pelo Estado com a responsabilidade de fiscalizar as medidas de restrição nos serviços de transporte intermunicipal de passageiros.

Ações para conter a propagação do vírus

A melhor forma de frear o avanço do coronavírus é a prevenção:

Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Não procure um hospital.  Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento

Em caso de dúvidas sobre onde procurar ajuda, as pessoas devem ligar para o número 136, do Disque Saúde, disponibilizado pelo Ministério da Saúde

Somente serão transferidos para UPAs ou hospitais pacientes em estado mais grave. Os sintomas do coronavírus são semelhantes ao de gripe e a recomendação para quem não tiver o caso agravado é que fique em isolamento e monitoramento em casa

Idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados e a locais com aglomeração

 Evite viajar se estiver com febre ou tosse

Evite contato com pessoas que estiverem visivelmente doentes, principalmente com sintomas respiratórios (tosse ou coriza)

Higienize as mãos frequentemente, seja com água e sabão ou álcool gel

Evite tocar os olhos, nariz e boca

Pratique a etiqueta da tosse: ao tossir e espirrar, cubra a boca com lenço descartável ou antebraço. Descarte o lenço imediatamente

Se você ficar doente durante uma viagem, procurar imediatamente a tripulação ou equipe médica de bordo

 Na viagem, evite a ingestão de alimentos de procedência duvidosa ou inadequadamente preparados

Evite o contato com animais silvestres ou animais doentes

Evite que crianças e adolescentes com menos de 14 anos mantenham contato prolongado com pessoas com mais de 65 anos

Evite a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas, inclusive praias, lagos e lagoas


Leave a Comment