segunda-feira, janeiro 25Diário online de Braço do Norte

Ricardo Medeiros reconduzido à presidência

O vereador José Ricardo Medeiros, recém filiado ao PL, foi reconduzido à presidência da Câmara de Vereadores de Braço do Norte, por 9 votos a dois em branco, na sessão extraordinária do Legislativo convocada para escolha da nova mesa diretora na tarde desta quinta-feira, 9 de abril.
Os integrantes da mesa foram destituídos de suas funções por uma liminar do juiz de direito da Comarca de Braço do Norte, Lírio Hoffmann Júnior, na tarde de segunda-feira. A sessão ordinária daquela noite foi conduzida pelo vereador Israel de Souza (MDB) que, no dia seguinte, convocou a nova eleição.

Nova mesa diretora tem além de Ricardo, as vereadoras Soraya e Dona Nina, além de Mário Jorge como suplente. Sessão foi marcada pelo uso de máscaras e pela proibição de público, para evitar a proliferação do Covid-19

O magistrado acatou uma solicitação da vereadora Arlete Ramos (PP) que alegava que o presidente reeleito na época, Celso Onei Martins, o “Torrado”, recém filiado no PSDB, havia ferido a Lei Orgânica do município, que proíbe a reeleição de presidente na Câmara. Apesar de pedir a destituição na mesa, a vereadora Arlete Ramos foi uma das que votou em Ricardo, único candidato indicado e que ocupava o cargo de presidente desde o início de março, com a renúncia de Torrado.

A sessão começou às 17h05min e durou menos de 20 minutos. Foi marcada pelo uso de máscaras e pela proibição de público, para evitar a proliferação do Covid-19. Iniciou com a indicação dos candidatos pelos líderes dos partidos. Somente o líder do PSD, vereador Jacinto Orben Perin, se eximiu de indicar um nome. Os demais partidos apresentaram como candidato único José Ricardo Medeiros. Coube ao próprio candidato a presidente nominar sua chapa convidando a vereadora Soraya Michels Richter (PSDB) para novamente ser a sua vice-presidente e Carmelina Silva Rossi (MDB), a “Dona Nina”, sua primeira secretária. A surpresa ficou na indicação do primeiro suplente de secretário. Ricardo convidou Mário Jorge Danielski (PSD) que aceitou a função.

Um a um, por ordem alfabética, os onze vereadores foram chamados para votar. Com a exceção de Perin e de Rafael Marcelino Borgert, que optaram em deixar o voto em branco, os demais vereadores chancelaram a chapa.

Em rápido discurso, Ricardo agradeceu os votos recebidos e disse que este ato é uma prova que o Legislativo dá de independência e de trabalho harmônico.

“A história não se apaga. Isso ficará registrado nos anais desta casa. Mas eu espero, sincera e honestamente, que nós possamos virar esta página e que todos os vereadores que aqui estão, que receberam o seu voto de confiança, da população braçonortense para os bem representar aqui, possamos honrar estes votos. Que esta votação que tivemos aqui seja a representação de um trabalho harmônico, independente e que tenha como foco a defesa dos interesses do povo braçonortense. Nós estamos aqui, justamente é para encontrar o equilíbrio entre as ações do Poder Executivo e as ações do Poder Legislativo. Mas, acima de tudo, pra defender os interesses da municipalidade e de toda a população de nossa cidade. Por isso, deixo aqui, mais uma vez, os agradecimentos, pela maturidade dos vereadores”, ressaltou.

O vereador ainda falou de seu exemplo de superação, pois já esteve por duas oportunidades à beira da morte e disse que é através da oração é que se sai fortalecido destes momentos. Também pediu sabedoria para que prefeitos, governadores e o presidente encontrem a melhor saída neste momento de pandemia, encerrando a sessão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale