domingo, janeiro 24Diário online de Braço do Norte
turazi@brturbo.com.br

RECADO DAS URNAS

“Os extremistas, aqueles que apostam na ficção, saíram derrotados nessas eleições. A população de todo o país, especialmente em São Paulo, deu um recado claro contra o negacionismo, o obscurantismo e a intolerância”, provocou Doria. Já Huck tem até março do ano que vem para decidir seu lançamento na política. Na eleição de 2018, ele foi convencido pela família, em especial a mulher e apresentadora Angélica, a se manter longe da vida eleitoral e partidária. Mas, nas últimas semanas, tem se animado com as investidas e vem sendo sondado por partidos de centro, como o agora turbinado DEM. O apresentador tem um patrimônio invejável para qualquer postulante à presidência: é conhecido em todo o país. E, no ar, não poupa críticas às desigualdades sociais e problemas enfrentados pela população, como a pandemia de coronavírus. O cientista político Cristiano Noronha, da Arko Advice, destaca que já existe uma briga por espaço. Doria tem a pretensão de concorrer como cabeça de chapa. Huck quer concorrer na mesma condição. É algo que os partidos terão de resolver. O próprio ACM Neto (DEM, prefeito de Salvador e presidente do partido) vem dizendo que sua legenda é mais leve que o PSDB, que sofreu desgaste com o (deputado) Aécio (Neves). “Assim como o MDB, que tem problemas de imagem desde a época da gestão Temer”, afirmou.

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale