Reajustes salariais em São Ludgero. Dará tempo?

Coluna semanal de Fernando Sombrio

Como não falar do coronavírus nesta semana? Uma pandemia que afastou as pessoas do trabalho, deixou todos com medo. Pois bem, na Câmara Municipal de São Ludgero não é diferente, que seguindo o Decreto Estadual também fechou as portas por 7 dias. Todos torcemos para o fim dessa situação, o mais importante é sem dúvida a saúde. Porém alguns projetos precisam ser aprovados! Entre eles o Projeto de Lei Complementar Nº 001/2020, que autoriza a Administração a conceder revisão geral anual no índice de 4,48% (quatro vírgula quarenta e oito por cento) sobre o vencimento básico dos servidores públicos municipais às categorias dos ativos, inativos, pensionistas da administração pública direta e indireta, autárquica (Samae), fundações, membros do magistério público municipal, cargos comissionados e agentes políticos. Também concede a Revisão Geral Anual sobre o salário base dos servidores do quadro do magistério público municipal no índice de 1,94% (um vírgula noventa e quatro por cento). Estes somam as porcentagens.

Vencimentos

No ano passado aconteceram uma série de aumentos nos vencimentos de alguns cargos, como por exemplo no Samae, ESF, serviços gerais, operadores de máquina, ressaltar que são todos merecedores! Foi até mesmo criado uma coordenadoria gratificada para uma enfermeira. Com isso, outras classes também desejariam a atenção da Administração. Nas próximas sessões também deverá ser analisado pelos vereadores, o Projeto de Lei Complementar Nº 002/2020 que visa alterar o vencimento dos cargos de pedreiro e motorista para PE-16. Mais que merecido pois os salários deste estão abaixo do praticado no mercado de nossa cidade e região. Mesmo assim alguns outros cargos vão ficar de fora. Já bati muito nessa tecla, eles sabem, deixa rolar!

Porém

Muito bons estes projetos, mas chegaram nos acréscimos do segundo tempo, e, tendo em vista a situação da economia atual e com que está por vir, uma melhora no salário para todos os servidores não é nada mal, mas se a sessão do Legislativo não puder acontecer antes de abril, corremos o risco de os projetos ficarem praticamente inviabilizados por conta do período eleitoral, os seis meses anteriores. Seria drástico para quem precisa, todos precisam! Já ouvi políticos falarem que talvez não seja a hora de dar aumento, pois a prefeitura pode passar perrengue nos próximos meses devido ao Covid-19. Concordo que o momento é delicado, mas isso é uma revisão baseada no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), ou seja, ninguém vai a Disney por isso! Por fim, torcemos para que tenhamos tempo hábil ou caso contrário, um entendimento que prorrogue o prazo eleitoral, ou até quem sabe, o adiamento das eleições.


Leave a Comment