quinta-feira, janeiro 21Diário online de Braço do Norte

Quero ficar em paz, com a minha paz

Coluna de Robson Kindermann

Oque te move é a emoção, a razão existe somente para explicar. Tenho pensado muito nos últimos dias. Depois de refletir muito, eu cheguei a uma conclusão: “eu não quero mais ter razão”. Eu não quero mais convencer ninguém a nada, nem mostrar meu ponto de vista. Eu gosto de questionar e trocar pensamentos com algumas pessoas. Gosto muito dos pensamentos do Aron, Edinei e do Leandro, por exemplo. São pessoas que conquistaram uma grande certeza acerca da sua grandeza. E isso me traz uma paz, me passa segurança, me assegura que estou no caminho certo. Depois de algum tempo você aprende a respeitar a opinião alheia. A respeitar sua imagem no espelho. A tolerar as imperfeições.
Escrever e aceitar a não ser perfeito o tempo todo, de falar alguns palavrões – de mandar o mundo à merda, quando se acha e se faz necessário. De chutar o balde. Depois de um tempo você descobre que isso é da sua natureza. Do seu feito, do seu agrado. E consegue lidar bem com isso, sem querer e ter que justificar por ser quem você é. Hoje sei que preciso me agradar, em primeiro lugar. Entendo que só quem está bem consigo mesmo, consegue impor limites. Quando não aceita aquele convite, quando diz “não” àquela solicitação. Hoje começo a fazer as malas com a felicidade e com a facilidade.
Hoje quero um relacionamento sério é com minha paz. Já não quero ser aquele que tenta agradar a todo mundo. Não forço a chave em fechaduras erradas. Nem tento vestir a camisa que não me serve mais. Hoje não quero abrir meu coração para todo mundo. Estou aprendendo a me preservar. Hoje não quero dar ouvidos para julgamentos superficiais. Quero ficar em paz, com a minha paz. Não sofro por aqueles que não querem seguir a estrada com meus pensamentos e ao meu lado.
Viva o processo. Felicidade não se sente, se vive. Hoje tem mais importância uma boa conversa. Hoje eu entendo que pode chover no fim de semana, que pode chover na praia. Mas que também, na praia, pode se fazer dias encalorados e sem um mínimo de vento. Água cristalina e você pode estar por lá. Por isso, o importante é aceitar as mudanças de planos com sabedoria e jogo de cintura e acima de tudo bom humor. Hoje já não sofro mais quando algo não saí como combinado. A vida é cheia de imprevistos. Sabedoria é tolerar o que não dá para transformar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale