Por que os idosos são mais vulneráveis ao Covid-19?

Geriatra explica a atenção, em especial, aos mais velhinhos

Os idosos costumam ser mais os mais vulneráveis a contrair doenças infectocontagiosas e com o Covid-19 não é exceção. A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde destacam que as pessoas mais velhas são as mais suscetíveis ao vírus e que entre os infectados, são as maiores ocorrências de letalidade.

“O sistema imunológico dos idosos costuma ser deficiente devido ao processo de envelhecimento. Os pulmões também são mais frágeis e vulneráveis e, além disso, as vacinas tomadas não apresentam tanta eficácia, quanto para os mais novos, diminuindo assim os anticorpos no organismo”, destaca a geriatra do Complexo Médico Pró-Vida, Letícia Heidemann.

A médica também ressalta que os idosos costumam levar mais a mão à boca e ao nariz, aumentando os riscos de contágio, além também de irem com mais frequência a unidades de saúde e hospitais, se expondo mais a contrair doenças.

Para evitar contaminação, as pessoas com mais idade, devem tomar alguns cuidados, como estar em dia com as vacinas, controlar o diabetes, a pressão arterial e outras enfermidades, principalmente os portadores de doenças crônicas, assim como reduzir ou evitar idas a hospitais. 

“Neste momento especificamente, os idosos devem manter distância de outras pessoas, principalmente pessoas com sintomas gripais e crianças. Seguir à risca as recomendações das autoridades e tentar fazer alguma atividade física dentro de casa, conforme sua capacidade”, indica a geriatra.

As indicações dos órgãos internacionais competentes destacam que a maior taxa de mortalidade está ocorrendo, em sua maioria, entre pessoas acima dos 60 anos, mas esses dados não justificam que as outras faixas etárias estão livres da doença. Os cuidados são para todos.

Cuidados redobrados:  

– lavar bem as mãos com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las (outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel);

– utilizar lenço descartável para higiene nasal (cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo imediatamente);

– evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas;

– evitar contato com outras pessoas, principalmente crianças (sabemos que apesar de pouco sintomáticas, as crianças são uma das principais fontes de transmissão da doença aos idosos)

– e o principal: não sair de casa! Apesar de não ser fácil se manter isolado, às vezes sem contato inclusive com familiares, essas medidas são muito efetivas na prevenção da doença e suas complicações. Cuidem-se!


Leave a Comment