sexta-feira, janeiro 15Diário online de Braço do Norte

Oposição

Coluna de Fernando Sombrio

E não é que os bastidores da política estão se movimentando em São Ludgero? No último sábado o vereador Lucas Peters, PP (Partido Progressista), enviou aos grupos de WhatsApp um vídeo junto do deputado estadual José Milton Scheffer, do mesmo partido, anunciando sua pré-candidatura a prefeito no município. Indagado por este colunista, Peters disse que estuda a possibilidade de montar chapa com PSD ou PSL. Lucas recebeu várias propostas para migrar de partido com a abertura da janela partidária, mas permaneceu no PP justamente pela ligação que tem com o deputado.
Para quem não sabe, o vereador faz parte da coligação “Pra Frente São Ludgero” que elegeu sete vereadores, além de Volnei e Iba, em 2016. Uma indisposição entre o edil e militantes do MDB durante a campanha de 2018, principalmente para deputado estadual, onde ele fazia campanha de apoio a Zé Milton, fizeram Lucas adotar um perfil de oposição. Nada que se diga “nossa”, mas se tornou o único neste sentido, pois os dois vereadores que naturalmente eram oposição hoje estão filiados na situação.

“Tô confuso”

Ainda falando do PP, Aurivam Marcos Simionatto garantiu em entrevista, ao portal Repórter Sul, há cerca de dois anos, que São Ludgero o veria nas urnas em 2020 como candidato pelo PP. Porém, o advogado nem está na relação de filiados da sigla em São Ludgero. Achei curioso.
Outro fato que me chamou atenção, foi sobre uma possível pré-candidata que estava participando das reuniões internas do PL, mas estava filiado em dois partidos: no PL e PP. Segundo a justiça, o último é o que vale, ou seja, o Partido Progressista, no dia 04 de abril de 2020. Ela tinha intenção de estar à disposição nas urnas pelo PL, agora, não sei mais nada!

Sai do Ar

Quando chega ano eleitoral surge muito burburinho do que pode, e do que não pode, ser feito. A maioria esmagadora prefere tirar sites do ar ou congelar qualquer atualização das administrações ou dos poderes legislativos, devido as orientações de seus assessores jurídicos para evitar problemas. Resumindo, proteger as candidaturas de reeleição.
No meu ponto de vista nada deveria mudar na comunicação no período eleitoral. Como disse meu professor Sérgio Lerrer, do Pro Legislativo, as obrigações éticas, morais e financeiras do Legislativo Municipal, e de cada mandato de vereador, prefeitos e vices, prosseguem normalmente até o último dia de mandato, do mesmo jeito que no primeiro dia… e durante todo os anos… Acredito que, paralisar notícias e redes sociais, é supressão de informações das rotinas da Administração Pública, cria uma cortina de fumaça e fere o princípio da transparência. Infelizmente, temos que seguir as recomendações que são passadas até mesmo em cursos sobre condutas vedadas em anos eleitorais, mas deixar de emitir minha opinião quanto a isso, não!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale