O sentir é um aprendizado

Crônica semanal do psicólogo e escritor Robson K. Sombrio

Viver é uma caminhada e tanto. Os dias que estamos vivendo nos lapidam, tudo o que estamos passando é um aprendizado. O sentir é um aprendizado. Não estamos mais com aquela colher de chá, é preciso passar por tudo, pelas mortes, pela desesperança, pela sensação de impotência, pelo desânimo, pela sensação de fracasso e fraqueza. Estávamos vivendo uma vida que não fazia sentido. O amanhã não existe. Não há como saber se seu dia vai ser no inferno ou no céu. Por isso, tenha em mente que é preciso viver um dia de cada vez. Planejar? Ok. Cuidado, adiar é perigoso.

Eu sei, recebemos um repentino golpe. Isso abalou as estruturas, sacudiu o mundo. Puxou todo mundo para o chão. Entendo, o passado parecia mais seguro. Só que agora é impossível voltar lá. Então, fazer o que? Entender, meu amigo. Entender que nós não pertencemos a esse mundo. Entender que não pertencemos a lugar nenhum. Essa é a vida mesmo. A dúvida – de que nosso tempo pode acabar, já que nosso cronometro está correndo e acreditamos que nossa morte não chegará. A vida não está mais aceitando brincadeiras, não gosta da nossa grosseria. Então, ela veio para aprontar. Vai levar pessoas e momentos preciosos.

Antes da pandemia, tínhamos tudo para viver bem. Só que a gente só estava preocupado com o futuro. Com o próximo fim de semana, próximo feriado, a próxima férias. Aquele viver sem sentir, sem saborear o momento presente está custando muito caro. A gente estava vivendo a vida com ironia – “sem” sentimentos – sem sentir, o sabor de uma comida, o cheiro de um bom perfume. Viver é uma honra, é uma volta de montanha russa em andamento constante, com subidas e descidas, com altos e baixos, e que uma hora a montanha russa vai parar e a vida vai acabar.

A importância da vida são aquelas coisas que deixamos na gaveta (modo de expressão), que pode ser um abraço, um beijo, coisas simples e gostosas. O fracasso sempre divide a conta com o aprendizado. Nesses momentos as coisas podem não mais sair como o preterido, mas tendo não ver isso como tragédia, e sim como aprendizado. É terrível esse momento. É assustador. Pode ser meu último texto que escrevo. Os dois nascimentos dos meus filhos a vida vivida com eles estão sendo momentos inacreditáveis. Amor é um sentimento muito mais amplo. O amor antes de tudo uma necessidade humana, ele é motivacional. Da sim um sentido para nossa existência.  

Clique aqui e adquira o meu novo livro “O que sinto”.

Robson Kindermann Sombrio (CRP 12/05587)

robson@mkm.br


Leave a Comment