terça-feira, março 9Diário online de Braço do Norte
robson@mkm.net.br

O que é a vida?

O que é a vida? Você está na faculdade, estudando, entre livros e pesquisas, pensa em desistir. Mas, daí, lembra da sua mãe, de seu pai, há tanto tempo distante, como eles queriam estar vivos para ver você concretizando esse sonho. Por eles você consegue força e segue adiante. Descobre forças que, sozinho, não aguentaria. Ninguém é bom sozinho, ninguém é forte sozinho. Veio-me à mente quantas pessoas estão hospitalizadas, transitando entre a vida é a morte, mas lembram de seus filhos e lutam para sobreviver. Daí tem uma evolução surpreendente, e os médicos perguntam: “O que teria contribuído para uma melhora tão rápida?”
O que é a vida? É olhar para o lado e ver algo que talvez nos faça persistir e continuar. É o que nos fortalece. Ao invocar lembranças, aprendemos a reconhecer nossa identidade. Aprendemos muito a decifrar quem somos pelos olhares de nossos pais (de quem nos criou). É esse primeiro olhar que ajuda, ou atrapalha, a vida depois de adulto. Podemos pensar que a nossa força não é só a nossa. Somos impulsionados por outras pessoas, por outros mundos visíveis e invisíveis, que se cruzam ao nosso, mas ainda assim são outros mundos. E sempre haverá Deus e cada um tem a sua forma de falar com ele. Somos, no nosso íntimo, uma força poderosa.
Leitor, o que é certo é o presente, nem tudo é caos. Reviravoltas fazem parte dos planos e do nosso crescimento. Nem tudo é difícil, as mudanças devem ser encaradas como desafios. Nem tudo é tormenta, alguns sustos nos levam para algum lugar melhor. O que existe muito são suposições. Se aquele relacionamento volta ou não, não há certeza de que possa perpetuar o que desejamos, pois a vida, por si só, é uma aventura em constante mudança e carregamos muito mais reticências que ponto finais. Muito mais a que viver do que falar, muito mais linhas a escrever, muito mais páginas a virar que finalizações de livros.
Então, encaminharei esse texto para uma professora corrigir meus erros de português. Vou para a terapia corrigir a minha personalidade, frágil e ao mesmo tempo forte. Embora haja uma corrida para autossuficiência, é ajudando mutuamente que podemos ser mais fortes. Podemos reconhecer quem nos fortalece vida afora. Pode ser uma professora, pode ser seus pais, colegas de trabalho, filhos, amigos, até pessoas que já foram. Ninguém é forte ou feliz sozinho.

Quer ser avisado quando uma matéria for publicada? Entre no nosso grupo do WhatsApp. https://chat.whatsapp.com/Csw5NcGHVIz4x8jTroWli5

Ou no Telegram https://t.me/joinchat/FIm3FnpEgnuzK2oP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale