domingo, março 7Diário online de Braço do Norte

“Nunca mais deixo meu filho no carro sozinho”

No sábado, 20 de abril, um carro foi furtado em Braço do Norte, com uma criança de um ano e cinco meses dentro

O pai Cleber Ceolin viveu momentos de terror, na tarde do último sábado, 20 de abril, quando teve seu carro, um Golf, cor branca, roubado, no bairro São Basílio, em Braço do Norte. Seu filho, o pequeno José Augusto Boger Ceolin, de apenas um ano e cinco meses, estava dentro e também foi levado. “Eu fiquei desesperado, meu mundo desabou”, conta o pai do menino.

Cleber, emocionado, revela que a tarde de sábado, será difícil de sair da sua memória. “O José estava meio renentinho, com sono, como eu já tinha que passar na sapataria para trocar um calçado, aproveitei para dar uma voltinha com ele, como era rapidinho nem coloquei o cinto. No caminho ele já dormiu, cheguei na loja, deixei o carro ligado e ele dentro, como ele estava dormindo não quis tirar ele, e entrei na loja”, desabafa o pai que lembra que menos de dois minutos foram o suficiente para seu mundo desmoronar. “Conforme as câmeras eu fiquei dentro da loja um minuto e pouquinho, quando sai já senti falta do carro. Na hora já me desesperei, perdi o chão ao ver que meu filho não estava ali, voltei correndo pra loja gritando que haviam roubado meu carro, com o meu filho dentro. Em menos de cinco minutos uma viatura chegou, pegou algumas informações, e foi atrás do carro”, diz Cleber.
O pai recorda o momento que deu a notícia à esposa. “Eu não sabia como contar. O dono da sapataria me levou em casa e eu não tinha outra alternativa, tive que falar. Não gosto nem de lembrar, ela e a minha filha de cinco anos, entraram em desespero, só queriam o José de volta”, conta o pai que diz que não sabe explicar o que sentiu durante a uma hora que ficou longe do filho. “Foi horrível, pra mim foi uma eternidade. Passou muita coisa na minha cabeça, eu só pensava na segurança do meu filho, como ele estava sem cinto, o meu desespero foi ainda maior, tive muito medo de acontecer alguma coisa com ele”.

Perseguição
O caso mobilizou as forças de segurança da região, guarnições de São Ludgero, Gravatal, Tubarão, Capivari de Baixo, PPT de Braço do Norte, além da equipe do Saer e Guarda Municipal de Tubarão, participaram da perseguição. Com a ajuda de populares e o excelente trabalho da Central Regional de Emergências (CRE), que a todo momento passava informações às guarnições, foi realizado um cerco e em menos de uma hora o veículo foi encontrado em Tubarão, próximo a uma loja de atacado. “Somente tenho a agradecer a todos os policiais, eles foram muito rápidos. Obrigado por salvarem a vida do meu menino. Jamais vou esquecer o que fizemos”, destaca o pai de José.
O autor, L.H.O., de 24 anos, foi preso em flagrante, sendo identificado pela autoria de outro furto de veículo registrado no dia 14 de março, em frente a um supermercado em Braço do Norte, o qual foi encontrado e preso em flagrante, mas solto três dias depois. O autor já é conhecido pelas guarnições pela prática de outros crimes, como lesão corporal contra à mulher, vias de fato, roubo, receptação, entre outros.

Reencontro
Cleber descreve o momento que recebeu a notícia de que haviam encontrado o carro e que seu filho estava bem. “Na hora só agradeci a Deus por meu filho estar bem, eu não via a hora de pegar ele no colo, beijar, abraçar”, conta o pai, que imediatamente foi até a delegacia de Tubarão encontrar o filho. “É impossível descrever a felicidade e a emoção que senti ao ver o meu filho. Graças a Deus acho que ele não viu nada, acredito que ele foi dormindo durante o trajeto, no momento que os policiais o pegaram, ele estava meio sonolento, em nenhum momento ele chorou”, ressalta o pai.
Cleber revela que se arrependeu de ter deixado o filho sozinho, mesmo que por tão pouco tempo. “Nunca mais deixo meu filho dentro do carro ou em qualquer outro lugar sozinho, essa é uma lição que vou levar pra vida toda. Foi a primeira e última vez que fiz isso”, garante o braçonortense.

“Jamais vamos esquecer essa Páscoa”
Conforme o pai a Páscoa, comemorada no domingo, 21 de abril, jamais será esquecida. “No domingo, eu só queria ficar grudadinho na minha família. Jamais vamos esquecer essa Páscoa. Agradeço a Deus, por ter cuidado do nosso filho e não ter deixado que nada de mal acontecesse a ele. No domingo eu olhava pra minha família e só agradecia por ter eles ali pertinho de mim”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale