“Não sou mais candidato a vereador”

Roberto Kindermann, candidato a vice-presidente da Cerbranorte Distribuidora, anuncia que deixa o Legislativo

CANDIDATOS da Chapa 2 da Cerbranorte participam do Café da Folha

O Café da Folha desta semana entrevista os candidatos a presidente e vice da Cooperativa de Eletrificação de Braço do Norte (Cerbranorte Distribuidora), Mayco Niehues e Roberto Kindermann, e da Cooperativa de Geração de Energia Elétrica e Desenvolvimento de Braço do Norte (Cerbranorte GD), Valneide Exterkoetter e Carlito Wiggers. Durante a entrevista o então vereador Roberto Kindermann afirmou que, independentemente do resultado da eleição da Cerbranorte no próximo ano, não disputará mais o Legislativo. O quarteto, que disputa, desde fevereiro deste ano, as eleições da Cerbranorte pela Chapa 2, fala do processo que impetraram na Justiça e o que espera do recadastramento que está sendo realizado pela justiça de quase 1.000 associados.

 

Desde a suspensão pela Justiça do pleito, que seria em fevereiro deste ano, vocês vem se encontrando constantemente. O que discutem nestas reuniões?
Mayco Niehues – Nos encontramos no mínimo a cada 15 dias para reuniões estratégicas. Se não o grupo todo, mas pelo menos nós quatro. Basicamente, levantamos ideias de ações, colocamos em dia as informações de como anda o processo na Justiça e os trabalhos da cooperativa. Decidimos encarar este desafio para vencer e assim seguimos. Estamos constantemente estudando o melhor para a cooperativa na visão de associados que somos. Assim como todos, queremos o melhor e estamos nos preparando para isso.
Valneide Exterkoetter – Por meio do nosso assessor jurídico, Maicon Schmoeller Fernandes, a gente capta informações do processo e leva ao conhecimento de todos. Nestes encontros, a gente aproveita também para alinhar os nossos propósitos para que, chegando à presidência, possamos fazer uma administração voltada para o cooperado de verdade. Importante salientar que, a cada reunião, reafirmamos nosso compromisso de realizar um projeto apartidário, ou, melhor dizendo, sem interferência político-partidária.

Quanto à declaração de que vocês fazem um projeto apartidário, o Roberto, não é vereador? Como isso é possível?
Roberto Kindermann – Volto a dizer que nos referimos é em relação à interferências político-partidárias dentro da Cerbranorte. Isso é uma insatisfação geral do associado há muito tempo e precisamos ter isso como uma das prioridades. Aproveito para anunciar que, independentemente do resultado da eleição da cooperativa, não sou mais candidato a vereador. Penso que minha contribuição no Legislativo já foi dada. Por respeitar o projeto da Chapa 2, que não envolve tais interferências, optei por esta decisão. Lembro ainda que durante a campanha irei me licenciar. É uma decisão que tomei em nome deste propósito.

E em termos de participação do associado na eleição da Cerbranorte?
Mayco – Em relação ao associado, acreditamos que no próximo pleito o percentual de votantes será bem maior. Tudo porque trabalhamos muito para que ele sinta que o seu voto, agora, tem valor. Muitos não se sentiam associados. Diziam que não iam votar porque sabiam que havia muita irregularidade e que nada mudaria. Acredito, por isso, em um recorde de votação, pois estamos batalhando para que as pessoas façam valer seu direito de voto e participem da mudança. Somente assim vamos tornar real nosso projeto voltado ao associado de fato. Tudo indica que as eleições acontecerão após o Carnaval, um período após as férias. Isso ajuda, porque as pessoas já retornarão às suas rotinas, diferentemente de antes, em que optavam por fazer a eleição quando muitos estavam nas praias. Estamos fazendo nossa parte, confiamos que o associado fará a dele.

Voltando à primeira pergunta, quais informação vocês têm sobre como andam os trabalhos na Cerbranorte?
Mayco – As contas da Cerbranorte são publicadas todos os meses pela administração judicial, sendo que todos podem ter acesso. Uma das informações que tratamos como relevante na Cerbranorte Distribuição foi o saldo em caixa e banco: No final do mês de março de 2019, quando se encerrou a administração anterior, havia um saldo, de R$ 3.063.485,86, contra um saldo no final do mês de setembro de 2019, de R$ 7.097.565.77, um aumento de mais de 130% em apenas 6 meses. Isso nos mostra que a administração judicial está executando uma gestão eficiente. Já quanto ao processo de recadastramento, o juiz autorizou o início dos trabalhos, e isso está sendo feito e deve prosseguir até o final do ano. Dos 16.775 associados, exatamente 969 estão sendo notificados e terão o prazo de dez dias, após o recebimento da correspondência, para comparecer à cooperativa munidos da documentação solicitada. Caso o consumidor não compareça ou não entregue a comprovação de propriedade de onde está instalado o relógio, a Cerbranorte não cortará o fornecimento de energia, apenas irá tirá-lo da lista de associado.
Roberto Kindermann – Lembro ainda que a eleição só não saiu ainda porque os integrantes da Chapa 1 solicitaram na Justiça o adiamento do início do recadastramento por diversas vezes.

A chapa 1 insiste em afirmar que não cometeu nenhuma irregularidade e discute isso através de interpelações judiciais. Na avaliação de vocês, por que eles fazem isso?
Roberto – Para ganhar prazo e o associado esquecer o que houve no início deste ano. Se não tem irregularidade, por que eles insistem em entrar com agravo? Isso prejudica o resultado do recadastramento.
Mayco – Como dissemos, nossa denúncia foi em relação a algumas transferências irregulares de titularidade de relógios para aumentar o número de eleitores para a outra chapa, que, aliás, já está bem provado, por meio das denúncias que aparecem a todo dia, de que haviam relógios irregulares. É importante que todos tenham consciência de que, se mil ou apenas um relógio, foi alterado a titularidade irregularmente, não importa. O certo é certo a todo momento. Não existe meio termo. Um relógio irregular criado com a intenção de forjar um voto irregularmente já prejudica todos nós associados, precisamos dar um basta nisso.
Valneide – O que nos questionam muito é porque não deixamos acontecer a eleição e depois denunciaríamos os relógios irregulares? Como nós tínhamos provas em mãos das irregularidades e nosso propósito é transparência, não tínhamos como seguir com uma eleição injusta. Todo voto é importante e merece o respeito do associado. Nossa proposta é de uma administração honesta, para isso é necessário que a eleição também seja.

Qual a diferença das investigações que seguem na Justiça?
Valneide – Queremos deixar claro que a nossa denúncia foi somente sobre os relógios irregulares. Paralelo a isso, corre um processo de investigação solicitado pelo Ministério Público e que está em curso na Delegacia de Braço do Norte o que investiga outras irregularidades. Por isso, a Polícia Civil esteve na Cooperativa fazendo busca e apreensão de diversos materiais na véspera da eleição em fevereiro.

Carlito, qual o sentimento do associado de Rio Fortuna com relação ao trabalho realizado pela Cerbranorte nos últimos anos?
Carlito Wiggers – Ele se sente esquecido. Sente que tem uma atenção diferenciada, às vezes desvalorizado em relação a Braço do Norte. Aceitei participar deste projeto por dois motivos: primeiro por ser um projeto não político-partidário e transparente. E segundo pelas propostas de valorizar o associado e garantir que Rio Fortuna seja tratada em condição de igualdade, com autonomia nas decisões. Um ponto muito importante para mim foi me sentir seguro quanto às intenções da chapa. Lembro que a maioria de nós nunca disputou qualquer eleição, estamos aqui porque, acima de tudo, também somos associados e queremos a chance de colocar em prática nosso projeto na cooperativa.

Que garantias vocês dão que farão uma boa administração na Cerbranorte?
Mayco – Desde que anunciamos nossa candidatura, estamos buscando conhecimento técnico na área de energia e de cooperativismo. Fizemos muitas visitas técnica. Inclui-se aqui à Cegero e a Coopera, que são referências nacionais, além de participar de seminários e palestras na área. Todos nós temos nossas empresas. Cada um administra da melhor forma possível seu negócio. Diferentemente das nossas empresas, a Cerbranorte nos propõe um novo desafio, porque administraremos o patrimônio do associado, e esta responsabilidade é bem maior. Por isso nos colocamos à disposição para a avaliação do associado, porém, para isso, precisamos do voto de confiança e contamos com ele.
Valneide – Sabemos que é um grande desafio, contudo sabemos também que o potencial da Cerbranorte é maior ainda e que isso vai refletir de forma positiva na vida de muitas pessoas. É isso que nos motiva.


Leave a Comment