domingo, março 7Diário online de Braço do Norte

Fábrica de fraldas precisa de voluntários

Secretaria de Assistência Social de Braço do Norte, produz em torno de cinco mil unidades por mês para doação

Todas as quintas-feiras à tarde um grupo animado de 30 voluntárias se reúne, em Braço do Norte, em uma sala na Secretaria de Assistência Social. Juntas elas confeccionam em torno de cinco mil fraldas geriátricas e infantis, ao mês, que são doadas a pessoas acamadas, com deficiência e a crianças carentes do município.

Conforme a secretária da Assistência Social, Gisely Heidmann, atualmente o projeto conta com um pouco mais de 100 usuários cadastrados, entre adultos e crianças. “A Secretaria de Assistência Social já fabrica, há 12 anos, as fraldas geriátricas e no ano passado, iniciou também a produção de fraldas infantis. No mês de abril atendemos 85 adultos e 28 crianças”, conta Gisele.
Entre as voluntárias, o projeto conta com a participação dos familiares das pessoas que utilizam as fraldas, e também da própria pessoa, como é o caso da Amélia Andrade, que há 36 anos usa fraldas. “Eu sou voluntária desde o início, é um trabalho gratificante, que me faz tão bem, além de fazer pra mim, sei que também estou ajudando outras pessoas. Todas as voluntárias levam o trabalho muito a sério e fazem tudo com muito amor e carinho”, revela a voluntária toda sorridente, que ainda conta que o dia é de bastante trabalho, mas devido ao bom humor de todas o tempo passa voando. “Aqui a energia é muito boa, fizemos novas amizades, estamos sempre rindo e cantando. Enquanto Deus me der força, eu vou estar aqui ajudando”, garante Amélia.
A voluntária convida mais pessoas para se juntar ao grupo. “A demanda está cada vez maior, por isso, necessitamos de mais voluntários. Toda ajuda é bem-vinda, é um trabalho tão bonito, poder ajudar alguém nos torna útil. É um sentimento inexplicável. Venha fazer parte desse grupo”.

Quem tem direito
Para ter direito a receber as fraldas a família precisa estar em situação de vulnerabilidade social e ter pelo menos duas ou mais crianças com até dois anos de idade ou crianças com deficiência, de famílias com renda per capita de meio salário mínimo vigente, ou ainda, pessoas adultas com deficiência, acamadas e idosos acima dos 60 anos. O público prioritário para a cessão são as famílias atendidas pelo Cras, pelo Creas e que estão no Cadastro Único. A quantidade de produto fornecido é feita através do parecer da assistente social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale