terça-feira, janeiro 19Diário online de Braço do Norte

Edição 18/12/2018

Candidatos

A divulgação de uma série de nomes que podem ser candidatos à presidência da Cerbranorte movimentou o final de semana na cidade. Todos os que foram citados por este espaço na sexta-feira, tiveram a confirmação de que colocam o nome à disposição para concorrerem a algum cargo na chapa. Porém, há aqueles que buscam a posição de destaque e já deixam evidente esta liderança. Entre eles, Alexandre da Rosa, o “Xande”. Sua maior motivação está no fato de não ver transparência na atual diretoria. Xande tem uma loja de materiais elétricos e foi deixado de lado durante o período do atual presidente. Acha que se o processo atual da cooperativa é democrático, pelo menos um orçamento teria sido solicitado nos últimos anos a ele. Se eleito, pretende contratar um administrador para a Cerbranorte. Assim como faz o Hospital Santa Teresinha e outras entidades, e dividir o salário de presidente com ele.

 

Querem disputar

Não escondem o desejo de serem presidente da Cerbranorte o ex-presidente da Acivale, Geovagner da Silva, o “Vagner”, que ensaia, com dissidentes do MDB, deixar o partido, se for necessário, para abraçar o apoio de outro grupo para levá-lo à presidência da Distribuidora. Fala-se nos bastidores do PSL. Mesmo partido que tem um certo respeito pelo trabalho do advogado Valmir Izidorio, que passou o final de semana recebendo ligações de apoio à sua possível candidatura.

 

Consenso

Em uma sessão que levou menos de cinco minutos, a Câmara de Vereadores elegeu por consenso e unanimidade a mesa diretora que presidirá o Legislativo de Braço do Norte em 2019. O vereador Jacinto Orbem Perin (PSD) será o presidente, tendo Celso Onei da Silva Martins, o “Torrado” (PTB) como vice. A vereadora Arlete Ramos (PP) será a secretária e o primeiro suplente da secretaria será Israel de Souza Machado (MDB). A sessão, que deveria ter sido realizada no sábado, às 10 da manhã, foi transferida para esta segunda-feira, atendendo o que determina o Regimento Interno da Câmara. A sessão foi conduzida pela vereadora Soraya Michels Richter (PSDB) que pretendia ficar no cargo, porém, não disputou a reeleição.

 

De fora

Os vereadores Ricardo Medeiros e Roberto Kindermann, ambos do PSD, decidiram não participar da eleição para presidência da Câmara por estarem focados em outro objetivo. Roberto, que é filho do ex-presidente da Cerbranorte, Celso Kindermann, sonha em dirigir a entidade que, aliás, já disputou a presidência em outra oportunidade. Já Ricardo, em recuperação de saúde, teve um motivo extra para ficar fora. Primeiro, em reconhecimento ao espaço que lhe foi dado para gerenciar a Agência de Desenvolvimento Regional em Braço do Norte e, depois, em Tubarão. Segundo, também disputa a Cerbranorte.

 

Fim do acordo

Nenhum vereador que dá apoio à atual administração de Beto Marcelino (PSD) nega o fato de um acordo ter sido feito entre as lideranças dos partidos que formaram a coligação vitoriosa (PSD, PP e PSDB), que daria a presidência da Câmara para um vereador eleito do PSDB pelo período de três anos, já que os tucanos não integravam da majoritária, que teria Beto (PSD) e Ronaldo (PP). Porém, os vereadores eleitos dizem que não fizeram parte desta negociação, pois nem eleitos estavam ainda. Assim, se consideram livres de qualquer compromisso, já que o partido é que assumiu a dívida. Soraya, às vésperas da eleição para a presidência, chegou a apelar. Abria mão dos dois últimos anos, queria apenas seis meses a mais de presidência. Não foi atendida.

 

Pensamento do Bambi

Meu psiquiatra mandou eu escrever uma carta para as pessoas que eu não gosto, para depois queimá-las. Só não entendi o que faço com as cartas.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale