quinta-feira, janeiro 21Diário online de Braço do Norte

Dona Delma,uma inspiração

Coluna de Robson Kindermann

Gosto de ouvir músicas que me faz pensar, gosto de gente que me inspira a viver. Dona Delma de Oliveira Vieira entra no meu Top 10 de pessoas com personalidades. Ela sabe entrar em qualquer ambiente e ser bem vinda, sabe respeitar e ser respeitada. Gosta de viver, e sem saber, é uma incentivadora da vida. Ela, com certeza, não vai lembrar, mas aconteceu em uma feijoada dessas de sábado, ao meio dia, ela se vira e me diz: “o bom da vida é isso aqui”. Até hoje essas palavras soam muito bem pra mim. Ela estava certíssima. Estava com a emoção certa, na hora certa e na intensidade certa. Ela é gentil e sabe que é mais fácil ser simpática do que grosseira. Talvez eu nunca tive a oportunidade de falar isso a ela, hoje optei por escrever. Lembra muito minha mãe “Dona Salete”.
Fui olhar no dicionário a palavra inspiração: “conselho, sugestão, influência”. Fechou com a Dona Delma. Ela é um mulherão e tem charme. Mostra que devemos ser independentes de corpo e alma. Recentemente quando, ela pegou Covid-19, eu pensei muito nela. Confesso que não saberia qual destino. Eu sempre quis escrever sobre ela, porque ela é vida em vida. Ela inspira sim. Isso não quer dizer que ela não. Teve dias difíceis, não retira nenhum erro que deva ter cometido. Já deve ter chorado muito, mas já acertou bem mais que errou. Todos nós, mais acertamos do que erramos, eu sei. A gente lembra dos erros, mas e os acertos? Eles não existem? Dona Delma, confesso que não sei como você vai interpretar tudo isso, desculpa minha coragem, mas você é um ser humano ímpar. Quero respeitar seu humor e a sua fase.
Acho o maior barato ela andando de bicicleta pelas ruas da cidade. Ela é patrimônio nosso. Não é o dinheiro e o trabalho que nos libertam, mas autenticidade de sermos nós mesmos. Ela é natural. A gente precisa de poesia dentro da gente. A gente precisa de inspiração. Não adie sua vida não deixe passar o Natal, Dia dos Pais, ou aniversário pra dizer que ama, quem você ama. A vida é esse momento, somente esse momento. Existem momentos em que é difícil reconhecermos nosso lugar. Parece que a vida dá e depois tira, estende a mão e depois puxa o tapete. Mas, com paciência o tempo dirá. O tempo é um bilhete premiado em mãos. Quem está lendo isso agora, quem está compartilhando a vida com você e a sua companhia nessa viagem. Seu tempo é seu tempo.
Por fim, errado é quem faz mal, quem machuca, quem se aproveita do coração alheio. Nós, ainda bem, estamos aqui, firmes e fortes, com o coração bom e cheio de paz. Dona Delma, você passa paz, e você merece ser feliz. Hoje aprendi que não há nada de errado nisso. Às vezes, a gente precisa sacudir tudo, virar as coisas de cabeça pra baixo, mudar a rota e o rumo, buscar a felicidade em outro canto. Entretanto, não se culpe por fazer o que é melhor pra você. Se faz mal, desista e mude de caminho. Não adianta conquistar coisas e não ter saúde mental para usufruir dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale