Copos usados no carnaval são transformados em canetas

Empresa de São Ludgero transforma copos usados em objetos doados para entidades de Laguna

Texto com a colaboração de Raul Iung

Uma parceria inédita promovendo a folia sustentável foi realizada pela Copobras, de São Ludgero, e pelo Bloko Rosa. Os copos usados na festa de carnaval foram reciclados e os resíduos plásticos foram transformados em diversos produtos como canetas, que serão distribuídas para entidades de Laguna, onde o projeto de logística reversa foi realizado.

Neste ano, o copo fornecido pela Copobras para o Bloko Rosa já possuía o diferencial de ser biodegradável, continuando a ser 100% reciclável. A busca por práticas sustentáveis, fez com que a parceria entre a empresa e o bloco fosse ampliada, norteando a execução do projeto de logística reversa. Além disso, os foliões receberam botons com a frase “Festa rosa, atitude verde” para comunicar o projeto e conscientizá-los sobre o descarte correto.

“Investimos em inovação sempre norteados pela nossa responsabilidade ambiental. O plástico simplificou a vida moderna, trouxe praticidade para o dia a dia das pessoas, minimizou drasticamente a propagação de doenças contagiosas. O plástico é uma solução revolucionária e não um problema. A questão é o descarte incorreto, e para mudar esse cenário investimos em conscientização por meio de alguns projetos de logística reversa, como essa parceria com o Bloko Rosa”, explica o presidente do Grupo Copobras, Mário Schlickmann.

A proposta de implantação do projeto foi prontamente aceita pelo idealizador e proprietário do Bloko Rosa. “Além de utilizar os copos biodegradáveis, senti que precisava ir além. Os anseios da Copobras estavam em sintonia com os meus e conseguimos concretizar essa iniciativa de uma folia sustentável em Laguna, cidade anfitriã do maior carnaval do Sul do país”, comemora Renato Braz.

Mostrando uma das possibilidades de aplicação do produto pós-consumo, a Copobras e o Bloko Rosa vão distribuir canetas confeccionadas de copos recicláveis para entidades de Laguna. “Esse é apenas um exemplo, entre outros tantos em que o copo reciclável pode se transformar. Estamos mostrando que o que alguns chamam de lixo, na verdade é um subproduto. E vamos investir cada vez mais em iniciativas que conscientizem a população”, afirma Schlickmann.

Sobre o projeto de logística reversa

Durante a festa, realizada no sábado de carnaval, a equipe responsável pela higienização do local realizou a separação dos resíduos plásticos, que foram depositados em um coletor. Ao final de toda a limpeza, nas primeiras horas do domingo, o coletor foi transportado para uma empresa de gerenciamento de resíduos recicláveis para minuciosa segregação e enfardamento do material para transporte.

Após essa etapa inicial, o material foi encaminhado para uma empresa de reciclagem de plásticos pós-consumo. Lá, os copos passaram por um processo de lavagem em que o circuito de água é fechado, ou seja, recebem tratamento na própria empresa e retornam ao processo. Depois, foram triturados, encaminhados para a extrusão e transformados em Polipropileno (PP) reciclado.

A nova resina é usada em diversas aplicações, como confecção de canetas, cadeiras, materiais de comunicação visual e para construção civil. “Os copos plásticos possuem inúmeras qualidades como higiene, praticidade de uso, fácil armazenamento, leveza para transporte e previnem a propagação de doenças. Já no pós-consumo, podem ser reciclados, transformando-se em diversos outros produtos, como já mencionado. Reciclar significa poupar energia e recursos naturais, promover empregos e renda”, observa Mario.

A empresa que recebeu os copos tem capacidade para ampliar suas atividades, já que há ociosidade na linha de produção por falta de material. “Essa é mais uma prova de que o que falta é conscientização para que o plástico tenha a destinação correta e seja reinserido na economia. Esse é o caminho”, enfatiza o presidente do Grupo Copobras.

100% de reciclabilidade

Além de projetos externos de logística reversa – o Fecha Ciclo, o Dinâmica Ambiental e com o Bloko Rosa –, a Copobras implantou um eficaz modelo interno. A matriz da empresa, localizada em São Ludgero, atinge o índice de 100% de reciclabilidade com a destinação correta dos resíduos provenientes da produção de descartáveis e embalagens flexíveis.

Depois de coletados, os resíduos são destinados para cooperativas especializadas em reciclagem. Até mesmo as cinzas da caldeira industrial são destinadas para produção de cama de aviário. As estopas passam por coprocessamento (recuperação energética).

É também uma das empresas que assinou o Acordo Setorial de Embalagens, liderado pela Coalizão Embalagens, que atua na implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

“Chegar aos 50 anos de história com tantas conquistas é a prova de que estamos honrando as nossas responsabilidades. Investimos em sustentabilidade em três dimensões: econômica, ambiental e social. E é essa filosofia que vai continuar norteando a nossa trajetória. Em breve implantaremos outras iniciativas, escrevendo um novo capítulo na história da sustentabilidade”, finaliza o presidente do Grupo Copobras.


Leave a Comment