quinta-feira, janeiro 21Diário online de Braço do Norte

Comércio cresce pelo terceiro mês consecutivo

O momento é de retomada econômica em Santa Catarina. As vendas do comércio ampliado catarinense tiveram crescimento pelo terceiro mês consecutivo. Em julho, o segmento teve alta de 3,5% frente a junho, que registrou acréscimo de 5,7%. Já em maio o salto foi de 23,8%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quinta-feira, 10 de setembro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O Estado apresentou o melhor desempenho do Centro Sul do país (IBGE considera os estados do Sul e Sudeste, exceto região Norte de Minas Gerais) e está na quinta posição nacional de crescimento no ano. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o volume de vendas do comércio catarinense cresceu 7,4% e, no acumulado de 12 meses, teve alta de 4,3%.
Os desempenhos setoriais positivos alcançados por Santa Catarina em julho frente ao mesmo mês de 2019, em volume de vendas, foram de móveis e eletrodoméstico (26,5%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (25,8%), materiais de construção (24,4%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (10,5%).
Para o economista da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Paulo Zoldan, os dados divulgados pelo IBGE na pesquisa PMC confirmam a tendência de melhora do comércio catarinense. “Mesmo apresentando uma retração no acumulado do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, o comércio ampliado de Santa Catarina está com índices bem melhores que o nacional. O varejo no estado tem se destacado nos últimos anos, crescendo e ganhando participação, inclusive, em relação ao país. Isso é um bom indicativo para o desenvolvimento da nossa economia”, frisa o economista.

Como a quarentena alterou
o comércio dos catarinenses?

A rotina de ficar em casa mudou o comércio, aumentando a demanda por artigos para reforma e conforto da casa e diminuindo as vendas de bens de vestuário e de viagem. A pandemia trouxe dificuldades para toda a economia, com queda de quase 10% do PIB brasileiro no segundo trimestre. Em Santa Catarina, a queda também foi sentida, mas a recuperação do Estado já tem demonstrado sinais de solidez.
Em agosto, a arrecadação do Estado chegou a R$ 2,4 bilhões, mostrando um crescimento de 8,4% na comparação com agosto de 2019. No varejo, o desempenho do ICMS no mês tem sido ainda mais favorável, com aumento de mais de 40% em relação ao arrecadado no mesmo período do ano anterior.
Apesar de um agregado positivo, nem todas as atividades varejistas conseguiram estabilizar as suas vendas. Além disso, as diferenças no desempenho dos setores são reflexo das mudanças no comportamento da população em função da pandemia.
Com o aumento do teletrabalho e a necessidade de permanecer em casa pelo maior tempo possível, a venda de artigos de viagem, roupas e calçados são as mais impactadas. O setor de vestuário está com nível de vendas 18% inferior ao do ano passado, calçados (-23%) e artigos de viagem (-33%) demonstram quedas ainda maiores.
Se a venda de produtos ligados ao trabalho e viagem estão em baixa, o comércio de artigos domésticos, apresentam elevados crescimentos nos últimos meses. O comércio de produtos de informática, material de escritório e máquinas fotográficas foram beneficiadas. A intensa participação de reuniões e eventos online parece ter influenciado nesta conta, sendo que a venda de câmeras fotográficas de agosto deste ano foi quase três vezes maior que a do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale