sexta-feira, janeiro 15Diário online de Braço do Norte

Comércio adota medidas para barrar o Covid-19

Com o retorno gradativo do comércio, também cresce o número de pessoas circulando nas ruas. Uma forma de diminuir a possibilidade do vírus se multiplicar é a conscientização de lojistas e clientes de que todos devem colaborar. Um exemplo do bloqueio da disseminação do novo coronavírus é o Material de Construção Rio Bonito.

Localizada às margens da SC-370, no bairro que empresta o nome ao estabelecimento, em Braço do Norte, a loja adotou uma série de procedimentos que garantem dificultar a disseminação do Covid-19. “Nas duas semanas que fomos impedidos de abrir a loja, fiquei estudando que normas adotaria a partir do momento que as portas fossem abertas para impedir a circulação do vírus aqui”, explica a proprietária do estabelecimento, Ronisséia Mendonça Medeiros Machado. “Escrevi um roteiro de todas as rotinas que os funcionários deveriam adotar e estamos cumprindo à risca”, relata.

A circulação dentro da loja é limitada a apenas um cliente por vez. Mesmo assim, ele pode ingressar no estabelecimento apenas para pagar a conta e depois de passar álcool em gel nas mãos. “Decidimos colocar um balcão na porta de entrada e cada vendedor atente um cliente por vez”, detalha. O estabelecimento ainda está todo sinalizado, orientando quem chega. Todos os funcionários usam máscara de proteção.

A recepção de materiais dos fornecedores é feita pela porta lateral. “Ninguém está autorizado a entrar na loja. O material deve ser descarregado e deixado no sol durante algumas horas. Somente depois, uma pessoa encarregada, deve acomodar as embalagens no depósito”, explica a proprietária.

Os serviços de tele entrega, bem como os próprios entregadores devem retirar o material em uma área externa. “Eles também não têm acesso à loja. Friso ainda que todo o piso do estabelecimento é higienizado a cada hora”, salienta.

Ronisséia garante que não recebeu orientação de nenhum órgão público de como deveria proceder. “Fiz tudo isso com base no que observo como sendo mais prudente e viável neste momento”, esclarece. “Os efeitos do Covid-19 são devastadores. Basta ver quantas pessoas estão internadas. Já tivemos clientes que passaram por aqui e depois soubemos que estavam contaminados”, diz a empresária que garante fazer o possível para preservar a vida dos familiares e dos funcionários. “Temos muitos parentes que estão no grupo de risco, não podemos brincar com este vírus”. Mostra que é uma lojista consciente e preocupada.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale