sábado, janeiro 23Diário online de Braço do Norte

Começam os estudos para o parque linear da União

Área de Preservação às margens do Rio Braço do Norte será transformada em Parque Ambiental

Diversos sonhos ganham contorno de realidade com o tempo. A nova Ponte de União, desejada desde a fundação do município de Braço do Norte, foi literalmente um divisor de águas. Ao mesmo tempo em que a ponte aproximou o Centro com o Lado da União, facilitando a vida das pessoas e valorizando o entorno, trouxe também a possibilidade de colocar na prática uma aspiração lançada há mais de uma década e meia, mas que estava adormecida: o parque linear, ou seja, um parque beira rio.

Intenção da Prefeitura é recuperar esta área embaixo da ponte Celso Kindermann e transformá-la em um parque

O nome ainda não está definido e será analisado posteriormente, o que importa no momento é que a APP (Área de Proteção Ambiental) de pouco mais de um hectare, localizada na margem direita do Rio Braço do Norte, que serve atualmente para a criação de gado e área de inundação nas fortes chuvas, recebeu na manhã desta quinta-feira, 7 de janeiro, a visita dos técnicos da Amurel (Associação dos Municípios da Região de Laguna). Eles estiveram em campo confirmando as medidas e realizando um levantamento do que, legalmente, pode ser adotado no terreno. A intenção da Prefeitura, desta vez, é recuperar esta área embaixo da ponte Celso Kindermann e transformá-la em um parque com pista para caminhada, local para piquenique, iluminação e píer que servirá tanto para o Corpo de Bombeiros quanto para pequenas embarcações.

O encontro contou com a presença de profissionais técnicos da área, entre eles, Alexandre Martins da Silva, Thayane de Sousa, Eliana Gonçalves e Júlia Michels, do vereador Elton Heidemann e Gilberto Frik representando o DEL (Desenvolvimento Econômico Local), do prefeito Beto Marcelino, do chefe de Gabinete, Ramon Beza, do secretário de Planejamento Vaninho de Oliveira e da diretora da Funbama, Bianca Mendes.

Encontro contou com a presença de técnicos da Amurel

Este desejo iniciou em 2020 em uma conversa informal com o chefe de Gabinete da prefeitura de Braço do Norte juntamente com os membros da Câmara Técnica (CT) do Meio Ambiente do DEL. Entre eles estava o coordenador da CT, na época, Elton Heidemann. “Surgiu, ali a oportunidade de discutir o projeto de um Parque de Preservação Permanente, assim como área de lazer do município”, explica Elton que no final de 2020 se licenciou da função para concorrer a vereador.

Dias depois, as câmaras técnicas de Desenvolvimento Ambiental e de Desenvolvimento Urbano reuniram-se para ‘afinar’ o assunto, enquanto os técnicos da Prefeitura e Funbama (Fundação Municipal do Meio Ambiente) levantaram dados e viabilidades de executar o projeto. Mesmo como APP o local possui proprietário, e esses foram procurados para discutir o assunto. De pronto aceitaram fazer parte do projeto.

Parque não demandará muitos recursos e será implantado com recursos próprios

Segundo Ramon Beza, agora será realizado o levantamento, depois estudos hidrológicos, zoneamento e, por fim, o projeto. “Estamos na etapa inicial, como contato com os proprietários, possibilidades de recursos, estimativa de custos, tudo isso precisa ser realizado para a efetivação total do projeto”, lembra. “Além do lazer, haverá o embelezamento da cidade. Pistas de caminhada, arborização nativa, campo de areia, iluminação pública, banheiro e água potável. Sem esquecer os equipamentos de ginástica, uma área ampla de acesso ao rio”, detalha Beza. “Com a topográfica sendo levantado pelos técnicos da Amurel, nos próximos meses um esboço será apresentado para os participantes para ajustarem o que for necessário”, complementa Elton Heidemann.

Ramon lembra ainda que, com o passar dos anos, a cidade acabou ficando de costas para o rio. “Nossa intenção é resgatar a relação dos moradores com o Rio Braço do Norte, que nos oferece lindas paisagens. Com a ponte Celso Kindermann, essa relação já foi um pouco estreitada, mas queremos mais, pois sabemos que aquela área tem potencial para se tornar um parque referência na região sul”, salienta.

De acordo com o prefeito Beto Marcelino, que acompanhou os trabalhos desta quinta-feira, o parque não demandará muitos recursos e será implantado com recursos próprios. “A preocupação principal dos técnicos é como manter uma estrutura que seja resistente o suficiente para resistir às pressões de água numa possível inundação”, ressalta o chefe do Executivo. Sabe que, com a implantação, algum dano haverá. “Mas, a qualidade da execução do projeto será justamente o que dará suporte para reduzir os danos da enchente e no momento de limpar e reconstruir, que as despesas sejam os menores possíveis”, salienta. “Dessa forma, Braço do Norte ganha novos contornos e entre dentro dos municípios com potencial turístico, trazendo ainda mais geração de emprego e renda para todos”, volta a defender o prefeito.

Conforme Beto, a intenção é que a área seja aproveitada pela população, assim como é o Parque da Família. “No início da nossa primeira gestão nós resgatamos a área que hoje é o Parque da Família, que estava abandonada, virando ponto de consumo de drogas. A revitalização deu certo e hoje é um local muito frequentado pelas famílias. Este local abaixo da ponte não ficará ocioso”, promete.

Quer ser avisado quando uma matéria for publicada? Entre no nosso grupo do WhatsApp. https://chat.whatsapp.com/JSWmqFrf6fjHL2vubcBsNk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale