Segunda-feira, 04 de março de 2024
Braço do Norte
22 °C
20 °C
Fechar [x]
Braço do Norte
22 °C
20 °C

COLUNISTAS

A história do vinho “Valle de Las Lágrimas”

20/01/2024 08h00 | Atualizada em 19/01/2024 11h07 | Por: Cláudia Borba

Álvaro Mangino, dono da vinícola “Valle de Las Lágrimas”, foi um dos 16 sobreviventes do trágico acidente conhecido como “El Milagro de los Andes”. O voo Força Aérea Uruguaia 571 caiu na Cordilheira dos Andes, em 13 de outubro de 1972, em um local da serra chamado Vale das Lágrimas e o último sobrevivente só foi resgatado mais de dois meses depois, em 23 de dezembro. A tragédia resultou em alguns livros e filmes, com destaque para o livro de Piers Paul Read, que foi adaptado para o cinema com o filme “Alive”, de 1993.

Uma vinícola boutique

Dando sequência em sua vida, Álvaro apostou na sua paixão pelo vinho, começou importando barricas de carvalho da Cooperativa Nacional do Chile. Ele se saiu bem e se tornou seu representante. Uma coisa levou à outra e ele criou um amplo portfólio de produtos como: rolhas, garrafas, cápsulas, leveduras e entre outros. Com o desejo de mostrar as virtudes das suas leveduras, decidiu fazer vinho para mostrar aos seus clientes. Assim, nasceu o seu projeto denominado Vale das Lágrimas, uma vinícola boutique cujo nome homenageia aqueles que não tiveram a mesma sorte que ele. Como resultado, temos vinhos que carregam um forte valor sentimental, cheios de personalidade, caráter e, claro, muita qualidade.

Janeiro é o mês da vindima

Em 10 de janeiro, tive o prazer de participar da abertura da XVI Vindima Goethe, que aconteceu na Vinícola Bianco, na comunidade Barracão, em Orleans. Foi um dia festivo, regado com muita música italiana e degustação de vinhos, oferecido pelas vinícolas associadas à Associação dos Produtores da Uva e do Vinho Goethe (ProGoethe). Ainda contou com exposição da queijaria Formaggio Capannone de Barracão, em Orleans, e uma farta mesa de produtos coloniais para recepcionar todos que estavam prestigiando o evento. 
Além da degustação de vinhos de Uva Goethe e da típica gastronomia italiana, aconteceu a colheita no parreiral e a tradicional pisa da uva, uma arte milenar que faz parte da história de produção do vinho.

O evento contou com a participação de autoridades; imprensa; patrocinadores, como Sebrae e Unesc; apoiadores, como as prefeituras de Urussaga, Orleans, Cocal do Sul e Epagri; e representantes das vinícolas que fazem parte da ProGoethe: Vinícola Casa Del Nonno, Vigna Mazon, Vinícola De Noni, Vinícola Trevisol, Vinícola Bianco e Vinícola Quarezemin.
A vindima tem uma vasta agenda, que iniciou no dia 13 e vai até 28 de janeiro, com atrações para encantar os turistas e apreciadores do bom vinho. Os turistas e visitantes poderão conhecer um pouco da cultura e tradição da produção de uvas e vinhos em uma experiência sensorial que celebra a cultura local e suas riquezas enológicas.

O Jurerê Wine Summer! 

No próximo 27 de janeiro, no IL Campanário Resort, em Jurerê Internacional, acontecerá o Jurerê Wine Summer, um evento que reunirá um público exigente, acostumado às boas experiências e que não abre mão do que há de melhor na cidade. Os presentes poderão optar por receber a primeira degustação a bordo de uma limousine, que estará estacionada na frente do resort. Lá, eles receberão uma experimentação da demonstração da Chandon, patrocinadora do evento. A partir das 17 horas, na parte interna do resort, no espaço destinado pro evento, serão diversos expositores, com degustação de mais de 100 rótulos de espumantes e vinhos (brancos e rosê), acompanhados de um finger food preparado pelo Positano Diamond Bar by D’Vie. Além disso, um workshop com o especialista internacional em charutos, Gabriel Lourenço, que falará sobre harmonização de espumantes e charutos. A música ficará por conta do DJ Henrique Fernandes, tocando até as 22h, proporcionando uma experiência inesquecível aos presentes.

Experiência do mês:

Com o propósito de conhecer, fortalecer e valorizar os produtos da nossa região, em 6 de janeiro de 2024, fui conhecer o Sítio Bela Vista, na localidade de Pinheiral, que fica a aproximadamente 15 quilômetros do Centro de Braço do Norte. Na ocasião, fui recebida calorosamente pelo produtor Israel de Souza, figura ilustre ex-vereador, comunicador e, atualmente, produtor que escolheu há aproximadamente 10 anos residir em Pinheiral e, junto com sua esposa Carla, dar início a um grande sonho. A propriedade possui uma plantação de aproximadamente três mil pés de uvas das varietais Niágara, Bordo e Carmem. Elas são cuidadosamente cultivadas e colhidas para a produção de vinhos e sucos, que são apreciados e comercializados pela região.

Há cinco anos, Israel de Souza iniciou sua jornada no cultivo de uvas, buscando tradição e qualidade em cada videira que planta. Sua dedicação à produção de vinhos e sucos é contagiante e sua paixão pela terra é evidente em seu trabalho diário. Ao longo dos anos, Israel procurou se especializar através de cursos e formações. Sua expertise proporciona a transformação das uvas em produtos de alta qualidade, tornando-os sinônimo de excelência na região.

Durante a visita, tive o prazer de degustar seus produtos (suco e vinho) produzidos e concluir que não são apenas as bebidas em si, mas sim a história e a dedicação de um produtor que honra a tradição em cada garrafa. A visita ao Sítio Bela Vista proporcionou uma rara visão da verdadeira arte por trás da produção de vinhos e sucos, destacando a paixão de um produtor que eleva cada gole a uma experiência sensorial excepcional e riquezas enológicas.

Vamos harmonizar?

Estamos vivendo a estação mais quente e feliz do ano. E nada melhor que uma boa taça de vinho para brindar esses dias, não é mesmo? E, diferentemente do que muitas pessoas acreditam, o vinho não é uma bebida apenas para o inverno. Os vinhos brancos e roses no verão são uma ótima pedida. Afinal, eles são suaves, leves, refrescantes, menos encorpados, têm sabores frutados e são servidos em temperaturas mais baixas.

Tábua de frios e queijos 

Para reunir os amigos em época de calor, férias e comemorações, nada melhor que um happy hour e uma mesa recheada de deliciosos petiscos. Uma opção que agrada a um grande público é a tábua de frios e, de acompanhamento, um delicioso vinho.  Além de ser prática, a tábua de frios apresenta uma boa variedade de itens, o que pode tornar sua experiência com vinho ainda mais interessante. De forma geral, os principais componentes da tábua possuem alto teor de gordura. Por isso, é essencial escolher vinhos que apresentem alto nível de acidez. 

A tabua de frios poderá ser composta de queijos leves, como queijo brie, queijo de cabra e queijo fresco. Combinam bem com vinhos brancos mais frutados, como um Chardonnay ou um Sauvignon Blanc. Frutas frescas, como morangos, uvas e figos, podem ser servidas na tábua de frios e harmonizadas tanto com vinhos brancos quanto com vinhos rosés. Essas frutas adicionam um toque de doçura e frescor, que ficam bem com a acidez e vivacidade dos vinhos brancos e rosés.

Uma sugestão é o Vinho Fiorella Rosé Demi-sec, da vinícola Bianco, vinho refrescante de corpo leve elaborado com uvas Goethe típicas do Sul de Santa Catarina e Moscato produzida na Serra Gaúcha. O vinho Fiorella apresenta uma acidez equilibrada, aromas que lembram frutas cítricas e flores brancas, o que o deixa leve e refrescante, ideal para dias de calor, um vinho delicioso que vale muito ser degustado! Mas lembre-se sempre de que essas são apenas sugestões e o mais importante é experimentar, se divertir e descobrir as combinações que mais agradam ao seu paladar.

 

Folha do Vale

Rua Manoel Jorge Neves, 470, Bairro Tiradentes, Gravatal, CEP: 88.735-000 - Santa Catarina.

Telefone: 48 3658-7373.

Folha do Vale © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia
WhatsApp

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Ok, entendi!