quarta-feira, janeiro 27Diário online de Braço do Norte
robson@mkm.net.br
Ninguém foi embora sem deixar uma lição
Colunas, Robson Kindermann

Ninguém foi embora sem deixar uma lição

E com mais uma semana se acabando, vamos conferir as reflexões semanais, com o nosso colunista Robson Kindermann Sombrio Este vírus tem uma missão a cumprir. Não estudo a doutrina espírita, tenho simpatia, apenas isso. Vou escrever meus sentimentos. Desde o início da pandemia, sem cura, vendo amigos sendo hospitalizados e até desencarnando, eu sentia que algo diferente estava para acontecer. Primeiro, meu amigo Rafael (Maradona), em casa, sem poder se despedir dele. Confesso que foi dolorido. Depois, a notícia do divertido Djalma, de novo em casa, num sábado à noite. Senti pela família dele. Após, Seu Dalezio (gravou cds pra nós, na nossa juventude). Posteriormente, seu Frido, de São Ludgero e, logo em seguida, o Tom, dois da mesma família. Sem contar outras vidas que se foram. Eu...
Tente de novo
Colunas, Robson Kindermann

Tente de novo

Coluna de Robson Kindermann Avida não está nem aí para o que você considera certo. Assim como as estações mudam, nossa vida pode se modificar em um segundo. Enquanto nos apegamos ao que julgamos o que é melhor pra nós, deixamos de ver o que realmente é melhor para nós. Estava ouvindo e prestando atenção na letra da música “Tente outra vez”, de Raul Seixas. O relacionamento não deu certo? Tente outra vez, ou de outro jeito. Pode ser a oportunidade de você se conhecer melhor e descobrir outras formas de amar e até de ser amado. Tentar outra vez, pode ser um gesto corajoso que nos impulsiona a viver. Ventos mudam, estações mudam, folhas caem em nosso canteiro. Ao invés de reclamar que as folhas caem e sujam o chão, o ideal seria pegar a vassoura e simplesmente varrer. Não ficar esperando ...
O que vem pela frente?
Colunas, Robson Kindermann

O que vem pela frente?

Coluna de Robson Kindermann O que vem pela frente? Sinceramente, eu não sei. Algumas coisas não serão suas. Simplesmente não serão. Desculpa a franqueza nas palavras. Mas outras coisas serão perfeitamente suas, como se fossem desenhadas e programadas para você. Alguns sonhos serão realizados. Algum plano vai dar errado (que esse “plano” seja no singular). Porém terão outros planos que darão certos demais (no plural). Porque a vida é isso. A vida é cheia de idas e vindas e de perdas e ganhos… Errar e se frustrar é parte constante de qualquer caminhada. Desejo, sinceramente maturidade. Depois de um tempo, quem tem maturidade, tem tudo. Muitas conquistas só aconteceram com maturidade, quando você teve maturidade para consegui-las. Muitas vezes, conquistamos algo e não temos maturidade ...
Somos breves
Colunas, Robson Kindermann

Somos breves

Coluna de Robson Kindermann Uma xicara de café, um pensamento. A vida é breve. Essa frase ficou na minha cabeça hoje, olhando fotos antigas no celular (impressa não temos mais, o que é um erro gravíssimo). Por mais que pensamos que a vida é uma jornada longa, em que sempre pensa-se que haverá tempo para amar mais, entregar-se mais, resolver nossas pendências, conceder perdão – esse momento não será nenhum outro senão agora. Somos breves, e as escolhas que temos a nossa disposição não estarão disponíveis para sempre. Por isso, é primordial não deixar as oportunidades passarem, os sonhos se arquivarem, projetos desandarem. O tempo não para, já cantou Cazuza. Corre sem esperar os retardatários. O encontro não pode ser remarcado. Somos breves, e por isso há de se comemorar as datas especi...
Pensamentos fluem
Colunas, Robson Kindermann

Pensamentos fluem

Coluna de Robson Kindermann Pensamentos fluem. As ideias aparecem em mais um dia das minhas escritas nesse jornal. Várias vezes repeti, pensei e escrevi. Este texto escrevo em homenagem ao Tom de Oliveira, quem nos deixou. Para onde vão as pessoas que morrem? Nesse ano, alguns amigos, outros conhecidos. Pai e mãe arrancaram um pedaço de mim cedo – se recolheram (ou se libertaram, se expandiram?). Nesse “outro lado”, seja o que for, dependendo da crença, da filosofia de vida. Será que os mortos estão pedindo licença para morrer? Fácil escrever, difícil viver, mas a gente consegue. O sol clareia no horizonte. Mesmo enlutado, se acalma. Daqui a pouco começa outra batalha, outros descaminhos e desconcertos. Talvez seja momento de se curar tantas desnecessárias feridas. Divisão, hostilidade...
Profissionais da limpeza, meu reconhecimento
Colunas, Robson Kindermann

Profissionais da limpeza, meu reconhecimento

Coluna de Robson Kindermann Viver e reinventar a si mesmo. Para não morrermos soterrados na poeira. Fim de 2020, muitas pessoas ainda na linha de frente do covid-19. Médicos, enfermeiros, farmacêuticos, secretárias, quem mais? Lembrei dos profissionais da limpeza. Quase não se falou neles. Esses que sempre estiveram na linha de frente. Agora, na pandemia, e antes da pandemia também. Meus sinceros agradecimentos a cada um deles. São os que merecem reconhecimentos e aplausos por estarem ajudando sempre e muito. Quem a gente é? E o que estamos fazendo da vida? O tempo? Os amores? Já não temos mais cinco anos de idade. Quando a prioridade era brincar e se divertir. Escrever é colocar a alma no espelho. Ler é colocar a alma no espelho. É sair da casca e olhar no horizonte. Somos inquilinos...
A terra está carregada de violência
Colunas, Robson Kindermann

A terra está carregada de violência

A terra está carregada de violência. Estamos vendo tudo. Como se tudo fosse um filme de ficção, esperando que seja. Viram Criciúma? Viram a aberração? Estamos vendo no fim do túnel, escuridão. Por pouco não teve sangue no meu jardim. Muita coisa está errada. Erros meus, erros seus. Violência urbana nunca foi novidade, sempre existiu. Guerra, violência, desespero. Estamos vendo a nossa morte anunciada. Estão vindo dez carros pretos na minha direção. Está vindo dez carros pretos na contramão. Estão vindo um carro bomba na contramão. Tristeza, saudade por todos os lados. Tortura, covarde – humilha, destrói. O traficante está virando um vilão exemplar. As balas invadiram minha janela. Tinha gente dormindo achando ser um sonho. Vamos de Renato Russo: “é preciso amar as pessoas como se não houv...
O que é um porco, para quem tem uma granja?
Colunas, Robson Kindermann

O que é um porco, para quem tem uma granja?

Coluna de Robson Kindermann A gente pode mais. A gente pode fazer mais pra si mesmo e também para os outros. E aquela nova frase: “o que é um porco, pra quem tem uma granja?” Não lembro qual amigo que disse essas palavras (acredito que foi Junior). Mas ela tem sentido, tem muito significado. Algumas perdas não são prejuízos. E a gente nunca sabe quando a vida está prestes a mudar para sempre. Você acorda em um certo dia, pensado que será a mesma rotina, os mesmos afazeres, sem saber que, logo ali na frente, algo muito importante está para acontecer. E aquele dia em que você toma uma decisão que parece ser só mais uma como os outros. Essa atitude muda o curso da história de forma positiva. A gente nunca sabe se o dia vai amanhecer sorrindo ou se vamos ter motivos para ficar tristes. ...
NÃO É RUIM, NÃO É BOM: É A VIDA
Colunas, Robson Kindermann

NÃO É RUIM, NÃO É BOM: É A VIDA

Coluna de Robson Kindemann Tudo tem um jeito? Em tudo se dá jeito?Não sei. A gente nasce “sem querer”,numa família “não escolhida”, com umacerta carga de genes que ninguém sabe direitono que vai dar. Depois disso, somos lançadosno grande mundo, com a responsabilidadede desempenhar bons papéis. Digamos quesomos atores sem preparo, sem destino ecom um roteiro incerto. E sem ninguém paraassoprar as nossas falas. Existe apenas trêspessoas que podem te entender; primeiro asua mãe; em segundo seu pai e, em terceiro,seu psicólogo (a). Quando me refiro a profissionais da psicologia com ética e compromissocom a profissão. Famílias, amigos, trabalho emuito mais… então, qual seu papel aqui nessavida? O que a família exige? O que a sociedadeespera?A gente comparece do jeito que dá, desdequando com...
A vida como ela é…
Colunas, Robson Kindermann

A vida como ela é…

Coluna de Robson Kindermann Preciso escrever e me falta ideia. Falta inspiração e transpiração. O que eu tenho? Problemas. Hoje amanheci com uma pedrinha no meu sapato. Jamais estaremos imunes a machucados pelas circunstâncias da vida. Viver é um exercício de resiliência e aprendizado. Só não tem problemas quem vive na superficialidade, os que não se aprofundam. Quem não se expõe a riscos, não vive. Não experimentam desafios e as delícias de acertar. Não conhece o gosto salgado da vitória que transpira e dos olhos que choram. O que penso é que a gente não precisa viver blindado, se protegendo de sentir. Porém, é necessário aprender a se resguardar, a se preservar, a não expor suas dores de graça, nem ser publicitário de suas dificuldades.Eu sei, a gente se confunde. E entra em cada uma...
Folha do Vale