sexta-feira, janeiro 15Diário online de Braço do Norte

Cerbranorte comprará em 2021 energia pela metade do preço

O valor exato ainda não é possível de ser calculado, mas a verdade é que a partir de outubro de 2021 os consumidores atendidos pela Cerbranorte pagarão uma tarifa de energia bem menor. Isto porque o leilão eletrônico de compra de energia elétrica no Ambiente de Contratação Livre (ACL), realizado no último dia 18 no centro de tecnologia da Paradigma Business Solutions, em Florianópolis, gerou um resultado muito além das expectativas iniciais.
Dentro de doze meses a cooperativa comprará energia pela metade do preço que paga hoje. A Comerc Trading, uma das principais comercializadoras de energia do Brasil, foi a vencedora do certamente com o lance de R$ 120,00/MWh. Atualmente, a Cerbranorte compra energia da Celesc por R$ 221,07/MWh. Outro detalhe importante: para 2021 já está previsto que este preço praticado pela Ceslesc sofra aumento e chegue a R$ 245,50/MWh. Com o leilão e o valor mais em conta, a Cerbranorte passará a comprar parte da energia elétrica que precisa por menos da metade do preço pago à Celesc.
“Ainda não temos o valor da tarifa porque a aquisição de energia para distribuição é apenas um dos componentes que formam o preço final ao consumidor. O que sabemos e podemos afirmar com certeza é que o custo menor em nosso suprimento será inteiramente repassado para as faturas dos nossos cooperados”, valoriza o gerente de regulação da empresa, Itamar José de Almeida.
Conforme ele esclarece, a energia adquirida para distribuição é um componente muito importante na formação do preço final da tarifa, mas não é o único custo agregado.
Existem, por exemplo, os encargos e taxas setoriais, o custo do uso do sistema de distribuição da Celesc, manutenção e operação do sistema elétrico de distribuição da Cerbranorte, entre muitos outros valores. Todos estes custos variam de um ano para o outro, por isso no momento é impossível fazer uma previsão exata de valor sem correr o risco de divulgar algo errado.
Paralelamente a isso, Itamar também lembra que para o próximo ano a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) processará a revisão tarifária da Celesc e o recálculo da subvenção pela baixa densidade de carga.
Estes dois valores também compõem a tarifa de energia das permissionárias. “Nesse momento não temos previsão do resultado desses dois processos, que impactarão fortemente em nossas tarifas de 2021. O que podemos garantir é que tanto a Cerbranorte quanto os cooperados pagarão menos a partir de outubro do próximo ano”, repete o gerente.
A Comerc Trading atua solidamente no mercado de energia há mais de dez anos. Ao todo, quase 100 empresas se cadastraram para acessar o edital do leilão e/ou fizeram alguma consulta sobre o certame. “Pagar menos é bom, mas não podíamos descuidar da qualidade da nossa energia. Por isso, construímos um edital que funcionou como um filtro para habilitar apenas concorrentes que nos oferecessem mais confiança. Desta forma houveram 14 proponentes habilitados”, enumera Itamar.
A alta procura e a habilitação de empresas capazes de atender a demanda da Cerbranorte contribuiu para o excelente preço alcançado. Inclusive, cooperativas que realizaram certames deste nível alcançaram resultados significativos. Como exemplo ele cita a redução de expressivos 8,36% na tarifa da Coprel, em Ibirubá (RS), a maior cooperativa de eletrificação em extensão de redes do país, e a redução de 4,62% na tarifa da Certeja, também gaúcha. A experiência das duas cooperativas gaúchas serviu de embasamento para a Cerbranorte organizar seu próprio certame.
Além de implicar diretamente no valor da tarifa de energia, o leilão de compra de energia elétrica no Ambiente de Contratação Livre também contribuirá significativa na gestão financeira da Cerbranorte. Isto porque este tipo de contratação de energia favorece a precisão de custos, uma vez que a tarifa de energia é conhecida de antemão e não fica sujeita às oscilações próprias do Ambiente Regulado.
O leilão de compra de energia feito pela cooperativa de Braço do Norte demandou um ano de pesquisas, estudos e discussões internas para se chegar no melhor modelo de certame e também definir itens essenciais no edital a fim de garantir preço e qualidade de fornecimento.

Cooperativa pretende investir R$ 45 milhões no aumento da potência de sua rede

Maior cooperativa de eletrificação do Vale do Braço do Norte, a Cerbranorte busca, incessantemente, maneiras de baratear o custo da energia, ampliar a potência e assegurar que haja energia suficiente para suprir a atual demanda e assegurar que novos empreendedores possam investir ainda mais em Braço do norte e Rio Fortuna.
Neste sentido, a cooperativa estuda a possibilidade de realizar uma conexão com a rede básica em Tubarão, de 230kv. Com isso, cria-se uma linha de transmissão exclusiva para a Cerbranorte. Estima-se um custo aproximado de R$ 45 milhões.
“Além de disponibilizar energia mais barata para todos os nossos consumidores, este investimento trará uma confiabilidade maior no sistema e também uma potência maior a ser distribuída”, destaca Fábio Mouro, engenheiro eletricista da empresa.
Hoje, o fornecimento atende com sobra a atual demanda. A projeção deste investimento visa assegurar energia suficiente para o futuro, especialmente porque Braço do norte tem um crescimento exponencial e já é a cidade mais industrializada da região da Vale.
“Por isso nosso pensamento em aumentar a subestação e a confiabilidade do sistema, para garantir energia de qualidade a todos os nossos consumidores”, valoriza Fábio.

Sobre a Cerbranorte

Fundada no dia 2 de fevereiro de 1962, a Cerbranorte é uma das mais importantes cooperativas de distribuição de energia elétrica do Vale do Braço do Norte. Sediada na maior cidade da Região, Braço do Norte, a empresa também possui uma filial em Rio Fortuna.
Conforme a Resolução 338/2006, homologada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Cerbranorte assiste uma área de 508 quilômetros quadrados, que engloba os municípios de Braço do Norte, Rio Fortuna, Gravatal, Armazém, Santa Rosa de Lima e Grão-Pará. São 17.111 consumidores atendidos.
Sempre investindo em meios de assegurar energia de qualidade para região, a Cerbranorte apostou na construção de uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH). A PCH Capivari está em funcionamento desde 2017 e tem 18 Megawatts de potência, com média de produção de energia firme de 9,05 Megawatts.

Entenda o que é Ambiente de Contratação Livre (ACL)

O decreto nº 5.163, de 30 de julho de 2004, formaliza o Ambiente de Contratação Livre (ACL) como um segmento de mercado no qual se realizam operações de compra e venda de energia elétrica, objeto de contratos bilaterais livremente negociados.
Nesse segmento, os consumidores recebem o nome de Consumidores Livres. São empresas com alto consumo que tem o direito de comprar energia diretamente do fornecedor e negociar as condições de contratação com base em regras e procedimentos específicos de comercialização.
Essa liberdade permite que o consumidor encontre o gerador ou comercializador que ofereça melhores condições e, assim, possa firmar contratos financeiramente mais atraentes.
Estas vantagens estão entre as responsáveis pelo crescimento do segmento deste mercado que representa hoje mais de 30% do consumo nacional.

Reajuste 2020

Conforme o Folha do Vale antecipou na edição passada, o reajuste anual das cooperativas da região ainda não foi publicado pela Aneel no Diário Oficial da União (DOU). Isso deverá ocorrer logo após a reunião da diretoria da agência, marcada para o próximo dia 29.
O reajuste tarifário da Celesc, aprovado pela Aneel, entrou em vigor no dia 22 de agosto. O percentual do aumento varia de 7,67% a 8,14%. Para as permissionárias, o novo valor passa a valer a partir do dia 30 deste mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale