sexta-feira, janeiro 15Diário online de Braço do Norte

Casan pede para consumidor em dúvida solicitar a revisão

Nos casos que o usuário se sente prejudicado, deve entrar em contato com a empresa e solicitar nova fatura.

Os usuários da Casan (Companhia de Água e Esgoto de Santa Catarina) de Braço do Norte que se sentiram prejudicados com os valores cobrados nas faturas lidas e emitidas no mês de abril, devem solicitar através do WhatsApp Empresarial 48 3658 1149 uma revisão se sua conta. Basta enviar uma foto de sua fatura para o número que um atendente irá recalcular os valores e emitir uma nova que será enviada pelo próprio WhatsApp ou por E-mail.

Os usuários da companhia foram surpreendidos este mês com o aumento no valor pago na fatura de água e esgoto. Em muitos casos o valor pago dobrou em relação a conta recebida em março. Três fatores contribuíram para que o aumento fosse registrado, explica o gerente comercial da Casan em Braço do Norte Leonardo Peron Vandresen (foto). “Com a epidemia do novo coronavírus, os leituristas tiveram que aguardar alguns dias para iniciar o trabalho, o que aumentou o prazo de leitura. Soma-se o fato de que a empresa que está realizando o trabalho ser nova e este é o primeiro mês de operação. Por fim, entrou em vigor em março a nova estrutura tarifária, que adequou os valores que são cobrados”, relata o gerente.

A partir de 1 de março os 195 municípios atendidos pela Casan têm uma nova forma de cobrança de tarifa de água. A tarifa residencial que começava com R$ 45,19 parte agora do valor de 29,49. O preço do metro cúbico (m3) residencial custará R$ 1,96 para quem consome até 10 metros cúbicos (10 mil litros de água) e R$ 9,11 para quem consome de 11 a 25 m3. “Essa nova estrutura veio para corrigir um grave problema, já que 60% dos usuários consomem menos de 10 mil litros e a tarifa mínima exigia o pagamento de no mínimo 10 m3. Ou seja, se você consumisse apenas mil litros por mês, pagava por 10 mil”, detalha o gerente. O problema é que com o maior prazo de leitura, os consumidores, por exemplo excederam os 10 mil litros, trocaram de faixa tarifária, o que multiplicou o valor cobrado. Pior exemplo, se o cliente consumiu 11 mil litros, (mil a mais) deixou de pagar R$ 49 para R$ 130, ou seja, 265% a mais.

Para resolver o problema, a Casan está pegando o consumo total de água e dividido pelos dias lidos. Depois multiplicado por 30. Assim tem o número médio gasto no período em um mês. “Na próxima leitura, tudo volta ao normal”, acrescenta o Leonardo.

Nem todas as 8.341 unidades consumidoras tiveram a leitura realizada pela empresa em Braço do Norte este mês. Para as faturas que estão sendo emitidas esta semana, a Casan estuda com a nova responsável pelo faturamento a correção na própria emissão da fatura, para que uma média já seja expedida no próprio boleto.

A gerencia lembra que este não é um problema exclusivo de Braço do Norte. “Algumas outras cidades pelo Estado também notificaram a dificuldade. Esperamos sanar o problema antes de iniciar a leitura de Rio Fortuna e Santa Rosa de Lima, municípios que na região são atendidos pela Casan de Braço do Norte”, salienta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale