terça-feira, março 9Diário online de Braço do Norte

Campanha da Fraternidade prega diálogo e tolerância

Celebração especial marcou a Quarta-feira de Cinzas na Matriz de Braço do Norte.

A Quarta-feira de Cinzas marca o início da Quaresma, o período de 40 dias que antecede a Páscoa e que para boa parte dos cristãos representa sacrifício e reflexão. É também quando se inicia a tradicional Campanha da Fraternidade, cujo objetivo é despertar a solidariedade e o debate de algum problema concreto que envolve a sociedade brasileira.


Para 2021, o tema escolhido foi “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”, e tem como lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”, (Ef. 2.14). O objetivo é sinalizar que o diálogo é o melhor testemunho, para prosseguir com a unidade na diversidade; que a fraternidade e o diálogo são compromissos de amor. “Vivemos um tempo de difícil diálogo, em que muitos pregam o ódio, a fragmentação, se acham no direito de julgar o outro somente por ser diferente”, enfatiza o padre Pedro Paulo das Neves, pároco da Paróquia Nosso Senhor do Bonfim, de Braço do Norte. “A Campanha da Fraternidade deste ano vem para lembrarmos que Cristo, em seu jeito de viver, não excluiu ninguém, e pregou a fraternidade e a união da humanidade como uma só família”, frisa.

Padre Pedro (mão levantada) durante a missa lembrou que Jesus defendeu a fraternidade e a união


A campanha também propõe à comunidade cristã denunciar as violências contra pessoas, povos e a Criação, em especial, as que usam o nome de Jesus; encorajar a justiça para a restauração da dignidade das pessoas, para a superação de conflitos e para alcançar a reconciliação social; animar o engajamento em ações concretas de amor à pessoa próxima; promover a conversão para a cultura do amor em lugar da cultura do ódio; fortalecer e celebrar a convivência ecumênica e inter-religiosa.


Como ocorre a cada cinco anos desde 2000, a Campanha da Fraternidade não é promovida apenas pela Igreja Católica, através da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), mas também por um grupo de outras denominações, representadas pelo Conic (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs). “Por se tratar também de uma campanha ecumêmica, ou seja, que reúne diversas igrejas cristãs, é que reafirmamos nosso compromisso de amor. Todos, indiferente de quem seja, têm algo a cooperar. Fora com a guerra, com a intolerância e com o ódio. Viva o respeito, o amor e a unidade em Cristo”, reafirma Padre Pedro.


Criada em 1964, a Campanha da Fraternidade é realizada anualmente pela CNBB no período da Quaresma. Seu objetivo é despertar a solidariedade dos seus fiéis e da sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução. A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação.

Treze comunidades participam da Quarta-feira de Cinzas

O casal Deivid Marcelino, analista de TI, e Silvana Kniess, auxiliar contábil, ambos de 33 anos, pela primeira vez levaram o seu filho, o pequeno Theodoro, de sete meses de idade, para participar de uma missa. “Nossa família é tradicionalmente católica. E isso é uma das coisas que queremos passar para o nosso filho”, comentou Silvana. “Por causa da pandemia, não estamos acompanhando as missas presencialmente. Mas, a celebração da Quarta-feira de Cinzas é especial, então resolvemos vir e trazer o Theodoro. E estamos muito felizes por esse momento”, completou Deivid.

Celebração especial: casal levou Theodoro à missa pela primeira vez

Para celebrar o início da Quaresma e da Campanha da Fraternidade Ecumênica, a Quarta-feira de Cinzas, 17 de fevereiro, contou com uma celebração especial na Igreja Matriz Nosso Senhor do Bonfim, pela manhã e à noite. O casal participou da celebração da noite e acompanhou a tradicional Bênção das Cinzas. Na ocasião, ministros, leigos e leigas, da igreja também receberam as cinzas para realizar a cerimônia em cada uma das 13 comunidades que fazem parte da paróquia. Na tradição católica, as cinzas representam o arrependimento perante Deus, instando a um período de jejum e abstinência.

Quer ser avisado quando uma matéria for publicada? Entre no nosso grupo do WhatsApp. https://chat.whatsapp.com/Csw5NcGHVIz4x8jTroWli5

Ou no Telegram https://t.me/joinchat/FIm3FnpEgnuzK2oP

A Quarta-feira de Cinzas é o primeiro dia da Quaresma, que são os 40 dias, sem contar os domingos, que antecedem a Páscoa. “No catolicismo, o número 40 tem um significado de grande importância. Jesus jejuou por 40 dias no deserto. Durante 40 anos, o Povo de Deus peregrinou pelo deserto antes de encontrar a Terra Prometida. De 40 dias foi a jornada do profeta Elias até o Monte Horebe, onde denunciou as falsas religiões”, relembrou o padre Pedro Paulo das Neves.


Neste ano, para evitar o contato direto, por causa da pandemia de Convid-19, a bênção com as cinzas foi realizada de uma maneira um pouco diferente. Com a cabeça inclinada para a frente, o fiel se aproximava do padre, ou do ministro, que despejava uma pequena quantidade de cinzas.

Objetivos da Campanha da Fraternidade 2021

Redescobrir a força e a beleza do diálogo como caminho de relações mais amorosas;
Denunciar as diferentes violências praticadas e legitimadas indevidamente em nome de Jesus;
Comprometer-nos com as causas que defendem a casa comum, denunciando a instrumentalização da fé em Jesus Cristo que legitima a exploração e a destruição socioambiental;
Contribuir para superar as desigualdades;
Animar o engajamento em ações concretas de amor ao próximo;
Promover a conversão para a cultura do amor, como forma de superar a cultura do ódio;
Fortalecer a convivência ecumênica e inter-religiosa;
Estimular o diálogo e a convivência fraterna como experiências humanas irrenunciáveis, em meio a crenças, ideologias e concepções, em um mundo cada vez mais plural;
Compartilhar experiências concretas de diálogo e convívio fraterno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale