terça-feira, janeiro 19Diário online de Braço do Norte

Braço do Norte quer seguir o exemplo de Pomerode

Município do Vale Europeu tem a mesma população de Braço do Norte é destaque nacional no turismo

Para conhecer o trabalho de limpeza e embelezamento da cidade mais alemã do Brasil, o secretário de Agricultura de Braço do Norte, Adir Angel e o chefe de gabinete, Ramon Beza, estivem semana passada em Pomerode, no Médio Vale do Itajaí, onde puderam vivenciar algumas ações para tornar o município referência nacional no turismo.


“Por cultura, o povo alemão, de uma forma em geral, principalmente esse que colonizou a região de Blumenau, traz muito forte a questão de ajardinamento e manutenção permanente dos pátios de suas casas e, mesmo, das calçadas em vias públicas”, explica Angel que nasceu e morou até os sete anos de idade em Pomerode, município que integra o chamado Vale Europeu.

Ambos municípios têm 34 mil habitantes


A similaridade entre Pomerode e Braço do Norte reside no fato de ambos terem 34 mil habitantes e ocuparem praticamente a mesma extensão territorial, pouco mais de 210 quilômetros quadrados. Mas, as semelhanças param por aí. Enquanto a conhecida “Pequena Alemanha” tem como principais atividades econômicas a indústria do vestuário, metal mecânica, plásticos e porcelana, Braço do Norte se destaca na produção agropecuária e na fabricação de molduras e máquinas para o setor moveleiro. A força da produção industrial da cidade do Médio Vale garante à Prefeitura quase R$ 2 milhões a mais por mês de arrecadação do que a cidade do Sul.
Quando o assunto é Turismo, a diferença é gritante. Em 2018 e 2019, Pomerode foi eleita como Destaque do Estado no aclamado Prêmio Beto Carrero em Excelência no Turismo, organizado pelo Governo do Estado, através da Santur (Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina) com apoio do Beto Carrero World. A finalidade do título é homenagear e reconhecer as pessoas e instituições que tenham contribuído de forma relevante para a divulgação e o desenvolvimento da atividade turística catarinense. A cidade ainda foi escolhida por ter o melhor evento turístico do Estado, a Osterfest. “A ‘Festa da Páscoa’, na edição de 2019, reuniu 250 mil pessoas”, lembra o presidente da Avip (Associação Visite Pomerode), Manfredo Goede, promotora do evento. Mesmo em meio à pandemia a cidade recebe milhares de turistas ao mês, de todas as partes do Brasil e, até mesmo, do planeta. São aproximadamente 600 mil turistas que procuram a cidade todos os anos. “Em 2020, a queda nas visitas e no faturamento chegaram a ultrapassar a 50%”, lamenta o dirigente da associação que colabora da divulgação da cidade.


Já Braço do Norte, que engatinha nesta área, tenta ser conhecida pela Festa Nacional do Porco Pizza. Porém, se algum turista visitar a cidade, não consegue saborear essa iguaria culinária, porque o prato não é servido por nenhum restaurante no município.

Delegação foi recepcionado pela vice-prefeita que já foi secretária de Turismo


Como despertar a vocação turística e Braço do Norte e torná-la mais bela, atrativa? A resposta veio da vice-prefeita de Pomerode, Gladys Sievert. “O segredo está em investir no que é original da cidade. Não tentem importar alguma festa ou tradição. Trabalhem o que o município tem de melhor”. A dica de Gladys é garimpar na história. Resgatar as receitas culinárias, buscar saber o que os pioneiros de cada comunidade faziam, quais seus passatempos, jogos, quais os costumes que estão se perdendo.
A atual vice-prefeita tem vasta experiência na área. Foi secretária de Turismo em outra gestão e é indicada por algumas Instâncias de Governança Regional do Turismo Catarinense (IGRs) para assumir a Secretaria de Turismo no Governo do Estado.

Cidade sem lixeiras e sem lixo nas ruas

Nenhum depósito de lixo ou, pasmem, nem mesmo lixeiras estão espalhadas em grande quantidade pelas ruas de Pomerode, mesmo assim, é quase impossível observar um papel de bala ou mesmo sujeira de qualquer tipo espalhada pelas ruas. Como? A conscientização desde a escola. “É muito difícil mudar os hábitos de alguém mais velho. Por isso, Pomerode investe na educação das crianças, com parcerias”, lembra o assessor de Imprensa João Danilo Almeida, que ciceroneou a comitiva de Braço do Norte.

Adaptações e mudanças nos maquinários foram realizadas


Entre as ações que contam com apoio da iniciativa privada estão a confecção de cartilhas e visitas ao centro de triagem do lixo reciclável e ao aterro sanitário. A Prefeitura ainda distribui sacos de lixos para os moradores com cores diferentes, para separar o lixo orgânico do reciclável. São quase 20 anos desde o início deste trabalho.


“Aproveitamos para conhecer o maquinário utilizado pela Prefeitura para varrer as ruas. O mais importante de tudo foi observar as modificações que fizeram nestes aparelhos para torna-los mais eficientes”, destaca Adir Angel. Para Ramon Beza, o importante foi a troca de experiências. “Podemos ter como base as leis e os projetos executados por eles. O que nos poupa horas de pesquisa e de questionamentos de legalidade destas leis”, acrescenta.


Durante a última quinta e sexta-feira, 10 e 11 de dezembro, os dois anotaram o número de funcionários terceirizados, servidores efetivos e maquinários que são empregados para deixar a cidade conservada e ainda florida. “Nosso desafio é ainda mais difícil. Pois, nosso relevo é montanhoso e a quantidade de ruas sem pavimentação asfáltica é grande. O que gera muita terra nas vias asfaltadas e calçadas. Mas, temos certeza que, aos poucos, podemos, com a ajuda da comunidade, mudar a cara de Braço do Norte”, acredita Ramon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale