domingo, janeiro 24Diário online de Braço do Norte

Asacad: a 30 anos formando cidadãos

Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente de Braço do Norte (Asacad) comemora 30 anos de fundação em Braço do Norte

 

O que seria de Braço do Norte e sua gente, especialmente a com menor poder aquisitivo se não fosse a Asacad. Fundada em 03 de agosto de 1988, a entidade teve relevância na formação e integração dos jovens atendidos na instituição junto a sociedade organizada. Tem o intuito de desenvolver o Programa de Fortalecimento de Vínculos, como atenção ao atendimento no contra turno escolar de crianças e adolescentes de 06 a 16 anos em situação de vulnerabilidade sócia. Proporciona ações culturais, esportivas, inclusão digital, refeições diárias, atendimento odontológico, psicológico e encaminhamento ao mercado de trabalho. Dispõe de espaço físico condizente com as atividades atuais, biblioteca, sala de convivência, centro de inclusão e alfabetização digital. Pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido, tem o reconhecimento e a participação da sociedade em geral, quer seja de empresas privadas, entidades beneficentes e poder público, em suas esferas como o judiciário, o legislativo e o executivo. O legado construído até os dias de hoje fundamenta a sua existência e o apoio recebido. A Asacad já recebeu pelos seus trabalhos a Comenda do Legislativo Catarinense, que reconhece entidades que realizam ações relevantes para o desenvolvimento do Estado de Santa Catarina e para a qualidade de vida dos catarinenses. É Credenciada pelo Ministério da Cultura, o que proporciona ser desenvolvido o Programa Cultura Viva, tendo implantado o Projeto Ponto de Cultura Braço da Cultura que visa o desenvolvimento de oficinas de teatro, dança, técnicas vocais e música para a demanda atendida. Já foi selecionada no Criança Esperança, da Globo com a Unesco, isto em 2014, com o Projeto Viajar na Leitura, oportunidade em que recebeu o apoio financeiro para a implantação de sua biblioteca, e ainda o desenvolvimento de oficinas de mediação, rodas de leitura e a oportunidade de contar as histórias que proporcionou momentos de alegria e emoção. É um orgulho e uma sensação de dever cumprido quando as pessoas relatam que devido a Casa Lar, Braço do Norte não tem crianças transitando pelas ruas da cidade sem nada para fazer, a utilização do contra turno faz a diferença, e proporciona a diminuição de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Para falar sobre os 30 anos de fundação da instituição, recebemos no Café da Folha essa semana a presidente da Asacad, Maria Georgina Fernandes Garcia e a coordenadora Rosilei Nazario.

Evidente que quando foi fundada, esses iluminados seres nem imaginavam a importância e o sucesso desta entidade para Braço do Norte?

Maria Georgina – Realmente, temos a certeza que na época, em 1987, quando iniciaram os trabalhos, ou seja, o voluntariado da Irmã Vanilda Shelter, como o Advogado José Fredolino Kuerten, Bruno Heidemann, que inclusive doou terrenos que recebeu de herança e a Cida,  a intenção era de atender as crianças que estavam na rua, na praça, não imaginavam a magnitude da iniciativa deles naquele momento. Hoje estamos atendendo por volta de 303 crianças por dia. Com toda uma gama de atendimento, as oficinas, que são atividades esportivas, culturais, pedagógicas, o apoio odontológico e psicológico. Foi um crescimento consistente dentro das expectativas que foram plantadas lá atrás, no seu nascedouro, em 87, 88 quando tudo começou.

Presidente quantos anos você está na Asacad?

Maria Georgina – São 21 anos de participação. Na realidade quando a instituição iniciou, trabalhava na agência do Banco do Brasil em Braço do Norte, contávamos com uma equipe de colegas muito solidaria, e quando descobrimos o projeto da Irmã Vanilda, numa casinha velha, abandonada, passamos a contribuir com a doação de tíquetes de Vale Alimentação, com os quais comprávamos alimentos e levávamos para o consumo mensal. Esta foi a minha primeira ligação, depois fui embora transferida, ficando seis anos fora, e quando voltei a Irmã Vanilda, veio me convocar para colaborar com a Asacad. Então passei a frequentar praticamente todos os dias. Era um momento de muitas dificuldades, mas trabalhando e buscando uma organização cada vez melhor. Constituída uma nova diretoria, uma equipe para visitar as empresas. Nem era a solicitação de recursos em dinheiro, mas o reconhecimento das necessidades que passávamos para fornecer pelo ao menos o alimento para as crianças que já participavam do projeto. Neste momento eram 30 a 35 crianças, mas era difícil ter a alimentação todos os dias. Conseguimos parceiros que estão com a gente até hoje. Estes parceiros continuam até os dias de hoje e assumiram certos produtos, proporcionando um novo momento para a entidade. Foi todo um trabalho de uma equipe, o Ezio Vieira, era o presidente, o Eligio, o Regis, uma equipe que abraçou e fez o projeto funcionar fortalecendo até hoje.

E você Rosilei, quanto tempo de Asacad?

Rosilei Nazario – Tenho cinco anos e meio de entidade, e posso afirmar que durante este tempo cresci muito. Me fez muito bem como pessoa, como profissional, como cidadã. Quem está na Asacad, sabe o que é, e o que precisa para melhorar todos os dias. Só se desenvolve e proporciona o progresso com o trabalho com muito amor. Além da carga horária, é necessária uma grande doação. Não tem dia, mas, nos realizamos profissionalmente e isto não tem preço. Quando proporcionamos a melhora da autoestima das crianças e adolescentes, a nossa parcela vem com certeza. É um retorno muito lindo e especial para o teu Eu. Geralmente quando chego em casa, cansada, mas com aquela sensação gostosa de me sentir realizada e muito valorizada. Ao recebermos um abraço das crianças, sabemos que é verdadeiro. A criança é pura e aquele ato é um grande agradecimento para a gente.

No início, há 30 anos, o objetivo era a comida, hoje é muito mais, a formação de cidadania é fundamental?

Maria Georgina – Evidente que temos muitas crianças que ainda tem muita carência de alimentação na própria família. Sabemos que a nossa cidade proporciona muito emprego, mas ao mesmo tempo sabemos da dificuldade de formação e de qualificação de muitas pessoas, de muitos chefes de família e participantes. É uma questão de Brasil. A primeira e grande violência praticada contra o ser humano é a fome, realmente é triste. A falta de alimentação te leva a ter atitudes que nem sempre condiz com o teu dia a dia. Temos inclusive uma nutricionista, a Vitória, que tem um cuidado tremendo com a alimentação que é servida para as crianças. O cuidado com o óleo, as frituras, enfim uma busca constante para que sejam saudáveis. A importância das verduras na alimentação. Uma criança bem alimentada aprende melhor. E ainda oportuniza que as crianças levem para dentro de suas casas alguns hábitos saudáveis que vão influenciar positivamente a todos.

Rosilei Nazário – Sobre a alimentação, quero reforçar o excelente trabalho da Vitoria, sobre a horta que vem fazendo a diferença. É oportunizado para que a criança participe desde o preparo até o consumo, estamos tendo um belo resultado. O resultado é automático, estamos felizes.

Maria Georgina – Procuramos sempre colocar notícias da Asacad no Facebook, pois as informações são importantes para a autoestima, a motivação para todos que tem contato. Estamos aprimorando cada vez mais a nossa comunicação interna e externa. Inclusive com a instalação do nosso Estúdio de Gravação, que tem feito a diferença para toda a nossa equipe. Veja o nosso coral tem 56 vozes, e quando colocamos o nosso coral a emoção é geral.

Falando em coral, como foi a participação na Feira em Joinville, em evento do qual a Água da Serra estava participando?

Maria Georgina – Foi um grande desafio, tivemos que montar uma grande logística. Começou pelo número de crianças. No mínimo 25, tivemos que proporcionar uma grande escolha, pois temos 56 vozes no coral. Iniciamos a escolha pelos de melhor frequência, melhores notas e assim foi. Iniciamos a reunião com os pais, e as explicações sobre a segurança e enfim todos os preparativos e a viagem. Ficamos hospedados em um hotel. Foi realmente uma novidade, foi inédito para toda a criançada. Tivemos que ir para o Cartório para a autorização da viagem das crianças, e exigência do hotel onde ficamos. Roupa e calçado para todos, mas temos que ressaltar a grande parceria da Água da Serra, foi incrível, uma experiência inesquecível. Foram dias de príncipes e princesas para as nossas crianças.

Qual a grande necessidade da Asacad?

Maria Georgina – O que mais precisamos neste momento é um micro-ônibus. É uma necessidade urgente. E não temos fontes para esta aquisição.

Vocês entendem que já comportaria uma nova unidade em Braço do Norte?

Rosilei Nazario – Sim, pois a cidade está crescendo e a necessidade é grande de oportunizar melhor situação para as nossas crianças. Onde estamos hoje, não temos mais condições de ampliação e a estrutura já é muito grande.

Maria Georgina – Seria importante, temos alguns bairros com grande população. Mas deveria ser criada com novo CNPJ e independente da Asacad, mas é algo a se pensar bem e concretamente realizar mais esta aquisição para a maior educação e geração de oportunidade para nossas crianças e adolescentes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale