quinta-feira, janeiro 28Diário online de Braço do Norte

As coisas boas têm seus momentos

Coluna de Robson kindermann

Agente vive como pode, como consegue. Como é possível viver em um momento de pandemia mundial? Isso mesmo, mundial. Nem sempre nos protegemos de maneira correta, não adianta nesse momento, nos refugiar em mentiras. A realidade é dura, nua. Gelada e dura.
Não adianta aceitar ilusões, que podem garantir nosso bem-estar momentâneo. Não podemos mentir para nós mesmos, da compreensão da vida e suas imperfeições. Muitos estão se protegendo, mas não estamos crescendo como deveríamos.
Não estamos seguros. A vida deixou de ser estática e linearmente perfeita. Na vida, nos confundimos muitas vezes. Temos que compreender a vida com tudo de bom ou de ruim que nela existe, aceitando e tolerando aquilo que nos desaponta, decepciona e até destrói um pouquinho. É o que nos faz crescer.
Temos que ser corajosos, seguir em frente, e não podemos mais fingir que nada está acontecendo. Dentro de cada um de nós existe uma força que precisa ser buscada. Não podemos aceitar mentiras que nos protegem. Não podemos trair, não podemos nos calar, fingir que não enxergamos, fingir que não ouvimos, fingir que não sentimos.
Vivemos um estágio de luto. Deus, acalma minha pressa. Durante muito tempo eu tive pressa. As coisas boas chegam em seus momentos. E, geralmente, chegam após noites de chuvas e dias cinzentos. A vida dá voltas e o mundo gira, o jogo vira. Eu cresci, estou tentando dar voz e palavras aos meus sentimentos. Os dias difíceis estão seguindo a gente.
Não sei se um dia a gente vai agradecer os tombos e tropeços. Se seremos gratos à falta de chão e às puxadas de tapetes. Pois, se não for possível recusar as dores, acabamos amadurecendo com elas.
E longe de qualquer segurança, temos que ser gratos às voltas que a vida dá. Pois, a vida é um enorme leque de possibilidades e promessas, e temos que aprender o jeito certo de viver, de reagir, de não perder a delicadeza mesmo que estejamos feridos, de recomeçar, de sermos doces.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale