Adolescente recebe choque, vai a óbito e é reanimado por bombeiros

Adolescente sofre descarga elétrica, vai a óbito e é reanimado por bombeiros de Braço do Norte

BRUNO de 18 anos teve duas paradas cardiopulmonar e foi encaminhado a UTI em Criciúma

Segunda-feira, 9 de dezembro, final da tarde. A guarnição da 3ª Companhia do 8º Batalhão de Bombeiros de Braço do Norte recebe uma comunicação de extrema urgência. Rapaz vítima de choque elétrico não apresenta sinais vitais e necessita de salvamento. O fato ocorreu no bairro Rio Bonito, em um estabelecimento às margens da SC-370. Dois rapazes realizavam a manutenção de um aparelho de ar condicionado no alto do prédio, no 3º andar, e não atentaram para o fato de estarem sobre uma placa de aluzinco, grande condutor de eletricidade. Bruno Seratto, de 18 anos, sofreu uma potente descarga elétrica e cai desacordado.
A equipe de salvamento chegou em cinco minutos ao local da ocorrência. Os soldados Michel e Correia, no alto do prédio, encontraram o rapaz sem sinais vitais e cianótico (aspecto cadavérico), pupilas dilatadas, e iniciaram imediatamente o procedimento RCP (Reanimação Cardiopulmonar). O jovem reagiu, e os bombeiros colocaram o desfibrilador externo automático, aparelho capaz de auxiliar na estabilização das batidas do coração. Bruno retornara à vida.

“Foi tudo muito rápido e não poderíamos errar nas ações.

BOMBEIROS agiram rapidamente e salvaram a vida de rapaz eletrocultado

O maior desafio foi o de aplicar imediatamente a RCP, estabilizar a respiração e trazer de volta os sinais vitais do rapaz… mas aí veio a surpresa”, destaca o soldado Michel.
Após alguns minutos, o processo de recuperação sofreu interrupção e Bruno teve uma segunda parada cardíaca. Os dois soldados bombeiros retomaram os procedimentos em ritmo mais acelerado e trouxeram o jovem novamente à vida.
A próxima etapa do salvamento contou com o trabalho de toda a guarnição. Para retirar o jovem ainda desacordado, mas respirando em boa frequência, os bombeiros utilizaram escada e cordas para descer o corpo até o chão. Bruno foi conduzido, com vida, ao Hospital Santa Teresinha. Diagnosticado, Bruno Seratto foi transferido para a UTI do Hospital São José, em Criciúma, onde permaneceu em observação.
Hoje, como que por um milagre, o rapaz está recuperado e pronto para seguir os caminhos de sua vida. “A guarnição dos Bombeiros de Braço do Norte deu um exemplo de profissionalismo e humanidade; um trabalho de equipe onde, em segundos, a ação efetiva e segura destes verdadeiros heróis pode significar a manutenção ou a perda de vidas”, lembra o pai do garoto, Edson Seratto.

 

“São heróis, anjos com farda. Eles trouxeram meu filho de volta”

“Nas últimas horas, andei pensando melhor. A vida é muito curta e frágil. Minha mulher confirmou que o Bruno saiu da UTI, no Hospital São José, lá em Criciúma. Tá comendo bem, falando e, aos poucos, lembrando o que aconteceu. A gente só tem que agradecer a Deus por ter iluminado os bombeiros da guarnição aqui de Braço do Norte. Eles trouxeram o meu filho de volta para minha família. Posso viver mil anos e não agradecerei tudo o que estes verdadeiros anjos que vestem fardas merecem”, relatou por telefone, na tarde de quarta-feira, o pai de Bruno, Edson Seratto.
O pai ainda agradecesse a agilidade dos soldados que salvaram seu rapaz. “Acho que o que aconteceu deve servir de orientação para que acidentes como este não aconteçam de novo. Desta vez terminou bem, mas é preciso atenção e cuidado quando a gente trabalha com rede elétrica. Não sei nem mais o que dizer, mas peço que todo mundo ajude os bombeiros, porque eles não pensam um segundo na vida deles apenas. O meu filho vivo é a maior prova desta dedicação. Obrigado, do fundo de minha alma”, relatou emocionado.

 

Atos de bravura e dedicação humana

Em 2005, outra ocorrência marcou a história da 3ª Companhia do Bombeiros de Braço do Norte. Com o tempo, o fato caiu no esquecimento. Domingo, 17 de abril de 2005, a guarnição de salvamento recebe um chamado de urgência. Colisão de dois carros próximos à localidade de Rio Pequeno. A equipe de socorro, integrada pelos soldados Diego, Garcia, Da Rosa e Fernando, sob o comando de Scremin, encontraram uma situação de difícil enfrentamento. No interior de um dos carros, uma pessoa já sem vida. No asfalto, outra pessoa bastante machucada.
Além de colidirem, os dois veículos derrubaram um poste ao lado da rodovia. Com a queda da rede elétrica, um cabo com 13.800 volts de energia ficou exposto. “Nós usamos todos os equipamentos de isolamento que tínhamos e salvamos a pessoa que estava estirada no asfalto. Mas, de repente, aquele estouro e o imprevisto aconteceu”, relata, ainda emocionado, o soldado Diego.
A rede elétrica foi religada sem que os bombeiros tivessem sido avisados e um deles, Scremin, o chefe do socorro, recebeu um violento choque elétrico. Como por milagre, o fato não teve maiores consequências físicas para o bombeiro, apenas o susto. Hoje, Scremin é sargento da reserva, mas lembra que, naquele domingo de abril, ele e toda a equipe de socorro dos bombeiros de Braço do Norte nasceram de novo.

 

Em casos de vítimas de choque elétrico, o que fazer?

Acione imediatamente o Corpo de Bombeiros através do telefone de emergência, 193.

Desligue toda fonte de energia elétrica e, se for em Braço do Norte ou Rio Fortuna, ligue para a Cerbranorte (48) 3658-2499, ou para a companhia de eletricidade de sua cidade.

Se houver parada cardiorrespiratória, aplique as manobras de ressuscitação (massagem peitoral). As manobras devem ser realizadas com calma e em casos extremos.

Cubra as queimaduras com uma gaze ou com um pano bem limpo.

Se a pessoa estiver consciente, deite-a de costas, com as pernas elevadas. Se estiver inconsciente, deite-a de lado.

Se necessário, cubra a pessoa com um cobertor e mantenha-a calma.

Se não houver riscos imediatos, deixe o trabalho de remoção da pessoa acidentada para os bombeiros. Caso seja necessário remover a vítima do local, envolva as mãos em jornal ou em um saco de papel. Empurre a vítima para longe da fonte de eletricidade com um objeto seco, não-condutor de corrente, como um cabo de vassoura, tábua, corda seca, cadeira de madeira ou bastão de borracha, de modo que não a machuque. E dê tranquilidade aos bombeiros para realizarem o trabalho.

 


Leave a Comment