A ordem é cortar os gastos

Coluna semanal escrita por Ronaldo Michel

Santa Rosa de Lima que já não vinha muito bem com suas finanças, assim como vários outros pequenos municípios, viu a situação piorar a partir desta paralização decorrente da pandemia, e fez com que fosse necessário a Administração Municipal, comandada pelo prefeito Salésio Wiemes (PT), decretar medidas que visam cortes de gastos durante este período de pandemia do Covid-19.

Diversas são as medidas tomadas para tentar buscar uma redução com os gastos de recursos em todas as áreas possíveis. Na Secretaria de Educação e Desporto, fica suspenso, por pelo menos 60 dias, o transporte de equipes esportivas para a participação em competições regionais. Na Secretaria de Saúde (foto), serão reduzidos os atendimentos nas especialidades de pediatria e dermatologia. O transporte de pacientes será realizado em situações restritas. Na Secretaria de Juventude, Turismo e Cultura, ficarão suspensas as aulas de música e as atividades da Banda Municipal. Na Secretaria de Administração, Finanças e Planejamento, contratos de locação de programas de computador, e outros serviços que não são essenciais, serão paralisados. Tais medidas visam dar um folego financeiro no decorrer do ano, para que seja possível deixar as contas em dia.

Tudo Parado

E por aqui tudo está praticamente parado também, quando o assunto é política. Com muitas incertezas do que virá pela frente, de quando tudo voltará a normalidade, os partidos políticos praticamente “paralisaram seus negócios”. Para alguns probleminhas que vinham ocorrendo por falta de acertos na chamada oposição, esta paralização pode ter vindo em boa hora, para passar um álcool gel, e exterminar os “vírus” que vem incomodando, o que faz se ganhar mais tempo para tomadas de decisões importantes quanto a possíveis candidaturas. Já para a situação, o atual momento causa ainda mais preocupação, pois era a hora ainda de mostrar serviço para a população, em busca de um melhor “aproveitamento” para as eleições de outubro, e, com redução drástica de receita nos próximos meses, sendo necessário medidas de contingenciamento de gastos, vai dificultar a atual administração a dar aquele “gás” na reta final e pode ficar com alguns dos “sintomas do Covid-19” que é a falta de ar, e que acarretará em grandes dores de cabeça, para se resolver estes problemas.


Leave a Comment