A decisão cabe aos municípios. E agora prefeitos?

Coluna semanal de Fernando Sombrio, diretamente de São Ludgero

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), indicou que permitirá aos municípios flexibilizar a quarentena contra o coronavírus a partir de 1° de junho. A circulação de ônibus, as aulas e eventos, por exemplo, que estão proibidos, também estarão incluídos no pacote. E agora que decisão tomarão nossos representantes? Isso de certa forma tira um pouco o peso de decisões das costas do governador e joga no colo dos prefeitos as maiores chances de erros ou acertos. Vamos fazer uma suposição, por exemplo se Braço do Norte não liberasse eventos e as aulas, mas São Ludgero sim, o que aconteceria? Fica na sua imaginação. A pressão por interessados em lado A ou lado B também seria algo desgastante, mas vamos aguardar!

Fim do Recesso?

Vai entrar em discussão na próxima sessão da Câmara de Vereadores de São Ludgero, um Projeto de Emenda a Lei Orgânica do Município. O projeto diz: Modifica e dá nova redação ao artigo 19 da Lei Orgânica Municipal de São Ludgero. Art. 19 – A Câmara Municipal reunir-se-á, anual e ordinariamente, em sua sede, de 1º de fevereiro a 20 de dezembro, ou em período extraordinário, sempre que convocada na forma da lei. Ou seja, sem intervalos em julho. Isso mesmo, este projeto extingue o recesso dos vereadores em julho. É de autoria da bancada do PL na Câmara. Resta saber se será aprovado!

Secretário novo

Na próxima segunda-feira, 1º de junho o produtor rural Jaime Soth deve assumir a Secretaria de Agricultura, Comércio, Indústria e Turismo de São Ludgero. Jaime é casado, tem dois filhos, três netos e reside desde que nasceu na comunidade de Bom Retiro. É a primeira vez que irá exercer uma função pública. Desejo um bom trabalho ao secretário.

Portão

Nesta semana foi aberto um portão maior no condomínio habitacional Aloísio Schlickmann que permite a entrada de caminhões e possivelmente de veículos de socorro como ambulâncias e resgate dos bombeiros. Lembro que isso foi assunto muito debatido antes das entregas dos apartamentos há seis anos. Havia apenas um pórtico de entrada que não permitiria, por exemplo, a entrada de um caminhão ABTR (combate a incêndio) no pátio, mas o projeto veio pronto da Caixa Econômica Federal e não poderia ser alterado naquela ocasião, mas que bom que agora está sendo resolvido!


Leave a Comment