Pronampe

Coluna de Michell Sombrio

A Caixa anunciou nesta terça-feira a liberação de R$ 50 milhões em empréstimos para empresas através do Programa Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. O limite de crédito ficará na casa de R$ 20 mil e o Sebrae auxiliará com consultorias para os empresários otimizarem este recurso. O valor só será liberado para as empresas que faturam de R$ 81 mil a R$ 360 mil por ano.

CAMEX

Para tentar frear o aumento de preços, a Câmara do Comércio Exterior (Camex) zerou o imposto de importação de arroz. Com esta medida eles acreditam que a quantidade de arroz importado irá aumentar no Brasil fazendo com que tenha mais oferta no mercado interno. Desta forma os preços deverão se manter onde estão, é o que acredita o Governo Federal.

Subiu

Durante esta semana vimos notícias e memes sobre o aumento de alguns produtos da cesta básica, como arroz, óleo e feijão. Não existe apenas um fator determinante para este aumento de preço, tão menos culpados são as pessoas que defendiam o fechamento do comércio durante a pandemia. Segundo alguns economistas, o aumento de preço tem vários fatores. Com o dólar alto, as empresas e produtores procuram exportar seus produtos, pois o valor é sempre melhor do que o pago no mercado interno. Com o aumento da exportação, o valor para que esses produtos sejam consumidos no mercado interno acabam subindo. Outro fator apontado é o auxílio emergencial que chegou nas mãos de mais de 60 milhões de brasileiros, isso fez com que aumentasse o consumo de itens básicos. Consequentemente, os preços subiram. A safra também sofreu com a diminuição da área plantada de arroz em todo país. De 2011 até 2020 houve uma diminuição de 30% de área plantada, menos área, menos produto. Por falar nisso, tem uma matéria bem legal aqui na Folha, nas páginas 10 e 11 falando sobre este assunto.

Registro de marca

Você que tem um negócio, uma empresa ou pretende abrir uma, conhece o INPI? É o Instituto Nacional da Propriedade Industrial, é ele que garante o seu direito de ter exclusividade por um produto, marca ou patente. Já vi casos em Braço do Norte de empresas que tiveram que mudar de nome por usar um que outra empresa já tinha registrado. Eu mesmo passei por isso em 2006, quando abri meu primeiro negócio. Uma marca de roupas para ciclistas que depois de um tempo no mercado eu tive que abandonar o projeto, pois o nome já tinha um “dono”.
Eu abri outro negócio no ano passado, desta vez no ramo de decoração e, antes de expandir e estruturar o projeto, busquei o registro da marca. Através de consulta na internet e muita leitura eu consegui fazer o registro sem pagar uma consultoria. Mas confesso que pagar um profissional é um ótimo caminho.
Bom, agora, com a marca registrada as preocupações são outras, porém perder sua marca ou o nome que você tanto gostou é mais difícil. Na última semana dei mais um passo na estruturação do meu pequeno negócio, confesso que colocar a logo na parede com o ®️ de registrado é gratificante.
Se quiser saber mais sobre registro de marca pode me enviar um e-mail ou me procure nas redes sociais, @michellsombrio.


Leave a Comment