sábado, fevereiro 27Diário online de Braço do Norte

131 anos de tradições e fé: Comunidade de Santa Augusta celebra padroeira

Tradicional festa inicia nesta sexta-feira com o encerramento das novenas. As comemorações seguem até domingo com o show de violeiros, churrasco e broas

Desde 1887, o santuário instalado no bairro Santa Augusta, em Braço do Norte, concentra tradições e momentos de fé dedicados à padroeira celebrada na quarta-feira, 22 de agosto. Para comemorar os 131 anos do local, a comunidade estará em festa neste fim de semana. A partir desta sexta-feira, 24, acontece o encerramento das novenas iniciadas no dia 16 de agosto.

Às 19h30min, haverá uma missa celebrada pelo padre Joacir Della Giustina e logo após será servido o tradicional churrasco temperado com laranja azeda e a comercialização das famosas broas feitas pelas dedicadas mãos das mulheres voluntárias da comunidade.

O coordenador do Conselho Pastoral da Comunidade, Gemerson Della Giustina, conta que no sábado ao meio dia também será servido o almoço tradicional e a comercialização das broas e massas. À noite, a partir das 19h, o pároco local, padre Joel Marcolino Bittencourt, celebra a missa festiva seguida do jantar especial regado a muito churrasco, galinha assada, pasteis, loteria, entre outras atrações. “É uma festa emocionante que organizamos todos os anos com muito carinho em honra a nossa padroeira. O foco deste ano é arrecadar recursos para a conclusão da fachada da nova igreja”, explica o coordenador.

Ele complementa que uma rifa também será sorteada durante a festa para arrecadar os recursos à obra. Segundo o coordenador, a capela não comporta todos os fieis e uma nova igreja está sendo construída no antigo salão.

A festa encerra no domingo, 26, com a celebração da missa, às 10h30min, pelo padre Joacir. Ao meio dia acontece o almoço e às 14hs, a comemoração continua com o Show de Violeiros.

 

Mais de 7 mil broas preparadas para a festa

 Além das novenas, missas, diversão e fé, a festa da Santa Augusta também é conhecida pela sua gastronomia diferenciada. Entre os quitutes típicos, e o churrasco temperado com laranja azeda, estão as exclusivas broas que atraem os olhos e os estômagos de centenas de pessoas. A bolachinha especial é feita com amor, carinho e dedicação das mulheres da comunidade que doam seu tempo e talento para a confecção do produto. Neste ano, cerca de sete mil broas foram preparadas para serem comercializadas durante a festa. “Mais de mil broas já foram vendidas durante as novenas. A bolacha virou uma tradição na comunidade”, revela o coordenador do CPC. Pão de ló e outras massas também são produzidas e oferecidas durante o tradicional evento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Folha do Vale