“Um pai nunca deixa um filho na estrada”

21 de dezembro de 2018

Eleito deputado estadual, Volnei terá a missão de olhar e defender o Vale na Assembleia Legislativa

 

A trajetória política de Volnei Weber passou pelo Legislativo, quando foi eleito vereador em São Ludgero, depois pelo Executivo, quando se elegeu e reelegeu prefeito da Cidade dos Esportes. Neste ano, ele voltou no tempo, mas deu um passo à frente. Isso porque foi novamente eleito para o Legislativo, mas como deputado estadual, quando recebeu 41.353 votos, sendo o 13º mais votado do Estado.

Recebemos, esta semana, o deputado no Café da Folha, que fez uma avaliação do último pleito. Volnei ainda deu uma prévia de como será o seu trabalho na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Passados mais de três meses da eleição, agora com análise dos números, o deputado consegue ter uma visão mais ampla e real dos números do processo eleitoral. Nesta semana, Volnei ainda foi diplomado e a posse está marcada para 1º de fevereiro.

 

Você esperava fazer a quantidade de votos que fez na eleição, 41.353?

Volnei – Com toda sinceridade, ser o mais voltado da região, ou do Sul, nunca me passou. Mas, eu tinha o meu projeto de fazer 40 mil votos para chegar. Pelo andar da carruagem, pelas minhas andanças, eu sentia que poderia fazer isso. Na reta final, eu percebia que o voto Volnei Weber era real. As pessoas se reportavam a mim e diziam que não me conheciam pessoalmente, mas tinham escutado meu nome no rádio, no jornal e sabiam do bom trabalho que eu havia feito. Era aí que diziam que “aqui em casa, nós já decidimos: o voto é do prefeito de São Ludgero”. Isso mostrava que o voto ia se concretizar. Mas, era surpresa, sim, a onda que a gente via do 17. Isso sem falar dos figurões da política, que não se elegeram. Eles, muitas vezes, chegavam às lideranças e tentavam tirar o meu voto. Diziam que o Volnei não seria eleito, que eu não chegaria. De repente, seria frustrante para mim, eu fazer poucos votos. Mas, enquanto eles visitam as lideranças, eu visitava as famílias.

Em Braço do Norte, você fez quase 9 mil votos, isso era o esperado?

Volnei – Com a confirmação do nome de Júlio Garcia de candidato a deputado estadual, com o prefeito apoiando ele, eu esperava fazer de 3 a 4 mil votos em Braço do Norte. Fiz quase 9 mil votos na cidade. Foi espetacular. No interior dos municípios do Vale, eu tinha conhecimento da minha boa aceitação. Onde eu ia, todos diziam que estavam comigo. Era uma epidemia o nome do Volnei. No centro, eu não tinha uma noção tão real. Eu esperava os 40 mil votos. Podia me frustrar. Mas, na última semana, com esta minha boa aceitação, vou te confessar que não seria surpresa se eu chegasse a 60 mil votos.

 

Como está sendo o processo de transição para assumir a sua vaga na Alesc? Você já escolheu o seu gabinete? Já formou a sua equipe?

Volnei – O meu relacionamento na Alesc é muito bom. O meu gabinete está pré-escolhido, mas pode mudar, afinal, quem está no gabinete continua até 31 de janeiro. Já fiz um conhecimento com os que são deputados e vão ficar e já fiz bons contatos com os novos deputados. Tenho certeza que não vou ter dificuldades de ter um bom relacionamento para debater os assuntos que vem de encontro ao anseios dos catarinenses e construir bons projetos.

 

Você já formou a sua equipe?

Volnei – Sobre a minha equipe, vou aproveitar pessoas técnicas, em grande parte, dos que já faziam parte da equipe do deputado Manoel Mota. Equipe esta que sempre me atendeu com muito respeito e eficiência. Não tenho como não aproveitar esta equipe, até porque quando o Manoel Mota deu um passo atrás e decidiu não ser mais candidato, ele me chamou e a gente acabou combinando de que, no recuo dele, nós uniríamos força e prometi que não deixaria a equipe dele desguarnecida. No primeiro momento, não vou ocupar todas as vagas. No segundo semestre, quem sabe, vou buscar algumas peças para compor a equipe, até porque, vou observar o andamento do novo governo e o andamento do trabalho.

 

Você já teve contato, já conversou com o novo Governador. Como está vendo as medidas que ele está anunciando, como a redução do número de secretarias, extinção das ADRs?

Volnei – Penso que ele está correto de um lado, em enxugar a máquina. Mas por outro lado, ele tem que entender que o Governo do Estado tem serviço, ele é um prestador de serviços e para isso, precisa de pessoas, afinal são elas que prestam o serviço na área pública. Ele tem que buscar tecnologia, sistema para fazer um volume maior. Lógico que entendo que os pequenos cortes que vão representar um número real lá na frente e é o que vai fazer a diferença.

 

O que podemos esperar do Volnei, como um deputado da Amurel e do Vale, no seu mandato na Alesc?

Volnei – Em primeiro lugar, quero dizer que sou deputado de Santa Catarina, de todos os catarinenses. Então, eu entendo que tenho que me colocar como legislador e vou legislar por todo o Estado e buscar ter conhecimento por todos os projetos. O povo pode esperar que vou buscar conhecimento. Automaticamente, é lógico, a defesa das ações, das reivindicações, vou atender e vou lutar para convencer o Governo do Estado a fazer investimento na nossa região. É lógico que a gente vai pender para a própria casa. Eu sempre digo: ‘pai nenhum deixa o filho na estrada’, então, os meus filhos, nesta hora estão à minha volta, aqui na região. Garanto que vou legislar por todos, por responsabilidade, e lutar e brigar pelas bandeiras e necessidades da nossa região. De uma coisa tenho certeza e posso garantir, eu vou trabalhar muito pela nossa região.

 


Leave a Comment