Rede Feminina de Braço do Norte celebra 25 anos

Entidade de Braço do Norte completou 25 anos de atendimento à população nesta quinta-feira, 06

A Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC), de Braço do Norte, atualmente está sob a presidência de Rosinete Della Giustina Michels, celebrou 25 anos de fundação na quinta-feira, 06 de junho. E para brindar a data, no dia 27 de junho, será realizado um Encontro Regional Sul, no Pesque Pague Borgert. E para falar desse momento especial, da importância do trabalho de prevenção, das conquistas e metas para o futuro, recebemos no Café da Folha desta semana, as voluntárias da entidade, Valdete Volpato, Angelina Volpato Maciescki e Marilda da Silva Werncke.

Como começou a história da Rede Feminina em Braço do Norte?
Marilda – Em outubro de 1993 eu e mais algumas mulheres do município recebemos um convite para tomar um café na casa da Sonia Maria Ramos, a primeira presidente da Rede. E nesse encontro, ela e seu esposo, na época secretário de saúde, Roberto Pereira, revelaram a preocupação quanto à falta de conscientização da importância de se fazer o exame preventivo no município, e foi a partir daí que surgiu a ideia de fundar uma Rede Feminina em Braço do Norte. Nessa reunião, Sonia explicou como funcionava o trabalho e o papel das voluntárias. Essa ideia foi amadurecida e no dia 06 de junho de 1994 foi plantada essa semente no município, foi fundada a Rede Feminina de Combate ao Câncer para atender às mulheres de nossa cidade e região. Na época, a Rede Feminina mais próxima de Braço do Norte, era em Imbituba.
Angelina – No início, por muito tempo usamos as salas do Dom Joaquim para realizar as nossas reuniões. E os atendimentos eram realizados numa sala cedida junto ao INSS. Graças à união das mulheres, essa semente germinou e continua frutificando. Hoje a presidente é Rosinete Della Giustina Michels.
Valdete – Sonia ficou na presidência de 1994 a 2000, depois quem assumiu foi a Bega (em memória), que foi quem achou um novo espaço para melhor atender às mulheres, e, em parceria com o Sindicato Rural, em 2002, a Rede passou a atender em novo endereço.

Quais os trabalhos que a Rede Feminina realiza?
Valdete – A Rede trabalha com a coleta de preventivo e distribuição de mamografias para mulheres a partir dos 35 anos. É importante ressaltar que todos os exames passam pelo médico, e se caso a paciente apresentar alguma alteração, ela é encaminhada ao médico para uma avaliação. Além disso, disponibilizamos também uma cota de exames laboratoriais para essas pacientes.
Marilda – Também oferecemos palestras de conscientização. Acreditamos que através desse trabalho podemos aumentar o número de mulheres conscientes de que, somente através do exame preventivo, se tem a oportunidade de diagnosticar a doença, antes mesmo que ela se manifeste. Esse é o nosso foco principal, a prevenção e o diagnóstico precoce.
Angelina – Desde 2012, também temos o nosso Grupo de Apoio, onde acolhemos todas as quartas-feiras as pacientes com câncer, com palestras de profissionais ligados à saúde, como psicólogo, nutricionista, entre outros, para passar informações e elevar a autoestima das pacientes nessa fase difícil. Além disso, também tem os momentos de lazer e diversão.

Quais as maiores conquistas desses 25 anos?
Valdete – Sem dúvidas foi a conquista da nossa casa própria. Uma luta que começou em 2009 e, ano passado, esse sonho se tornou realidade. Essa conquista significa muito para nós da Rede e para toda Braço do Norte. Com isso, pudemos ampliar os serviços e atender melhor as mulheres.
Marilda – E claro, acreditamos que nesses anos todos de atendimento, conseguimos evitar que diversas mulheres tivessem a doença graças ao serviço que a Rede Feminina oferece. Com certeza, essa é uma grande conquista.

E qual a expectativa para os próximos meses? Quais as metas?
Valdete – Queremos continuar conscientizando as mulheres que a prevenção é o melhor remédio. Queremos reforçar ainda mais a importância da prevenção.
Marilda – E um outro objetivo é ampliarmos a nossa sede, mas isso é para o futuro.

Hoje qual o maior desafio da Rede Feminina?
Valdete – A nossa missão acima de tudo é promover ações voluntárias que contribuam para a prevenção do câncer. Acredito que temos dois grandes desafios: o de continuar fazendo o alerta sobre a importância da prevenção ao câncer de mama, e o de lutar diariamente para mantermos a entidade de portas abertas.

Como podemos ajudar a Rede hoje?
Valdete – Participando dos eventos promovidos pela Rede Feminina, com parcerias e doações.

E uma avaliação desse último ano? Quantas exames foram realizados?
Marilda – Ainda não temos os dados desses últimos meses, mas em 2018 por exemplo, foram realizados quase 1800 exames preventivos e aproximadamente 700 mamografias. Este ano queremos aumentar ainda mais esses números.

E como funciona os atendimentos? Qual o horário de atendimento da Rede?
Valdete – O atendimento é por ordem de chegada, a mulher só precisa estar apta para fazer a coleta. A rede funciona nas segundas, quartas, quintas e sextas-feiras, das 12h às 18h e nas terças-feiras, em período integral, das 7h às 11h e das 12h às 19h.

Quantas voluntárias e médicos atendem na Rede Feminina?
Angelina – A Rede possui hoje quatro funcionárias, duas são cedidas pela Prefeitura e duas são contratadas, um médico voluntário, o dr. Rodrigo, um médico contratado, o dr. Paulo e mais um grupo de aproximadamente 40 mulheres voluntárias.

E a comemoração destes 25 anos? Vai ser realizada alguma ação?
Valdete – Vamos realizar no dia 27 de junho um Encontro Regional Sul, onde vamos reunir as voluntárias das Redes de toda a região Sul, com a presença da diretoria estadual. São esperadas em torno de 180 mulheres. Será um dia especial, com palestras, capacitação, homenagens as fundadoras, almoço e café. O encontro acontece no Pesque Pague Borgert e as inscrições podem ser feitas direto na Rede Feminina, ao valor de R$ 70. Será uma troca de experiência bem bacana.
Marilda – Não podemos esquecer de agradecer, do fundo do coração a todos que contribuem com a nossa Rede. Agradecemos primeiramente a Deus e também a todos que sempre estiveram com a gente, aos médicos, as voluntárias, aos nossos patrocinadores, aos profissionais que atuam e que já atuaram, enfim, a todos aqueles que fazem parte da nossa história. Nossa eterna gratidão.

Qual a mensagem que vocês deixam as mulheres?
Valdete – Quem ama se cuida. Pra cuidar do outro é preciso cuidar de si mesma primeiro.


Leave a Comment