Pré-candidatos devem conversar entre si

Nomes que se colocam à disposição para a eleição da Cerbranorte irão montar as suas propostas, que serão apresentadas em novo encontro

 

Um encontro envolvendo mais de 120 associados da Cooperativa de Eletricidade de Braço do Norte, na última segunda-feira, 07, à noite, no Espaço Granville, reuniu os pré-candidatos que pretendem disputar as presidências da Cerbranorte Geradora e Cerbranorte Distribuidora. Ao final o encontro, que iniciou às 20h20min e levou pouco mais de uma hora e meia, foi decidido que cada pretendente deve montar sua proposta. Com ela em mãos, discutir um projeto único e chegar a um acordo para a divisão das vagas das duas diretorias e buscar formar, assim, um grupo coeso para a disputa. Este novo encontro está pré-agendado para a próxima segunda-feira, 14.

Organizado pelo ex-vice-prefeito Arnaldo Meurer (PSDB) e pelo vereador Roberto Kindermann (PSD), a reunião pretendia reunir todos os nomes que, publicamente, mostraram interesse em montar uma chapa e disputar contra a atual diretoria. Coube ao presidente do PSD, o também ex-vice-prefeito Charles Bianchini, comandar as falas da noite. “Sei que este evento não é político, mas gostaria de frisar que o Diretório do PSD é totalmente contrário ao apoio a Manoel da Silva, o ‘Nelo’, pré-candidato anunciado como nome da chapa da situação”.

Cada um dos pré-candidatos presentes teve o tempo que achou necessário para apresentar os motivos que o fizeram decidir colocar o nome à disposição. O primeiro a falar foi o advogado Valmir Meurer Izidorio. Abriu dizendo que, a partir daquele instante, só ajudaria na eleição, mas não pretendia mais disputar como presidente. Cobrou transparência e publicidade nos atos da Cerbranorte. Lembrou que o objetivo final da cooperativa é o fornecimento de energia e, para justificar seu trabalho, deve ser uma energia barata, a exemplo de São Ludgero. Propôs, ainda, a formação de um fundo para ajudar empresas que, tradicionalmente, têm bons históricos, mas, por alguma dificuldade financeira momentânea, estão inadimplentes. Foram nove minutos de fala.

O segundo pré-candidato a falar foi Mayco Luiz Niehues. O proprietário de uma rede de postos de gasolina usou apenas dois minutos. Disse que colocou o nome na disputa incentivado por amigos. Após conversar com os sócios e familiares, decidiu aceitar. “Vou formar um Conselho Gestor para dar mais participação e eficiência aos atos da diretoria”, acrescentou.

O empresário Silvio Kniess Mattes cobrou a despolitização da diretoria. “Não sou contra ter políticos nas vagas. Mas, porque não dar espaço para outros setores também?”. Para Silvio a chapa deve ser formada também por advogados, engenheiros… sem ligação direta com a política, como acontece nas atuais diretorias. Cobrou ainda um conselho fiscal mais atuante. “Vou lançar uma chapa e ela não terá conselho fiscal. Quero que o conselho de outra chapa fiscalize a minha administração”, ressaltou. “Não entrei na disputa para vencer, mas para ser esta plataforma. Mostrar que é possível implementar mudanças”, finalizou após 10 minutos de fala.

Geovagner da Silva, que possui uma rede de supermercados, sugeriu olhar o que as outras cooperativas estão fazendo e está dando certo. “Temos que ter uma energia mais barata e mais transparência. Se preciso, com auditorias. O modelo que é vivido hoje pela cooperativa está fadado”, ressalta “Vagner” que lembra que o momento vivido hoje é especial e de expectativas. Cobrou ainda uma postura de todos para mudar o sistema de votação das assembleias. “Chega a ser constrangedor ver funcionários tendo que levar parentes para as votações para levantar cartãozinhos de cores diferentes”, disse o pré-candidato finalizando cerca de oito minutos de fala.

Alexsander da Cunha, o “Alex da Dina”, também teve a oportunidade de se manifestar. Com uma bíblia na mão, fez um discurso que lembrava muito o candidato Cabo Daciolo, que disputava a presidência da República. Nos seis minutos que usou para apresentar suas propostas, falou do que intitula do Projeto de Deus em transformar a Cerbranorte em uma Clínica do Bem e apresentou como modelo a Cooperativa Anita Garibaldi de Tubarão. Chegou tarde e saiu cedo do encontro, sempre tumultuando e interrompendo a fala dos demais pré-candidatos. Único a distribuir material de campanha para os presentes.

 

Candidaturas políticas em discussão

 

O ex-presidente do Núcleo Jovem da Acivale, Gustavo Schlickmann, questionou publicamente os pré-candidatos políticos sobre a participação deles nesta disputa, já que o momento é de desgaste para a classe.

O vereador Ricardo Medeiros (PSD), que até então não havia se manifestado, pediu para responder ao empresário. Disse que, felizmente, a classe política do Sul do País é diferenciada. “Há bem menos escândalos e denúncias envolvendo os políticos locais. Quero, em pouco tempo, poder deixar essa carreira e poder me dedicar a estruturação de uma vida mais garantida para minha família”, ressaltou Ricardo que disse ainda que ser político é uma arte de atender a comunidade, deixando muitas vezes suas necessidades em segundo plano. O vereador sempre se mostrou aberto a concorrer à presidente da Cerbranorte. Deixou entreaberta a possibilidade mais uma vez. “Se precisarem do meu nome estou aqui à disposição”.

O mesmo frisou o também vereador e colega de partido Roberto Kindermann. Saiu em defesa da classe. Lembrou que, além de políticos, todos têm sua profissão. Disse que também está com seu nome entre os pré-candidatos, porém, sem fazer proposta alguma naquela noite.

O advogado Maicon Schmoeller Fernandes sugeriu, então, que todos os pré-candidatos se desfiliem e, após eleitos, provocassem a mudança no estatuto para que os membros das chapas não pudessem ser filiados, o que diminuiria, de certa forma, a interferência partidária na administração.

Antes de encerrar o encontro e com a palavra livre, César Manoel, o “Sargento César”, disse que gostaria de disputar a presidência da Cerbranorte Geradora e o vice-prefeito de Rio Fortuna, Neri Vandresen, solicitou que, se possível, o candidato a vice das chapas fosse da sua cidade, bem como os candidatos se comprometessem a colocar no estatuto esta determinação para as próximas eleições. Atualmente, o vice-presidente da Cerbranorte Geradora é Valdino Schuelter (MDB), ex-vice-prefeito de Rio Fortuna.

 


Leave a Comment