Fotógrafa de Grão-Pará é finalista em concurso latino-americano

Duas fotografias do projeto Manoca foram selecionadas para a exposição final do 24º Concurso Latino-Americano, na Colômbia. Imagens evidenciam trabalho dos fumicultores

 A fumicultura, que é um dos alicerces da economia de Grão-Pará estará evidenciada internacionalmente por meio das imagens capturadas pela fotógrafa Natália Figueredo. Duas fotos do projeto “Manoca” foram selecionadas para a exposição final do 24º Concurso de Fotografia Documental Latino-Americana – “Os trabalhos e os Dias”, organizado pela Escuela Nacional Sindical da Colômbia.

Foram inscritas 6.473 imagens no concurso, enviadas por 1.213 fotógrafos, de 33 países. Entre elas, duas das cinco enviadas pela fotógrafa grão-paraense foram selecionadas na categoria “Homens Trabalhadores”. A premiação e abertura da exposição ocorrerão em Medellín, na Colômbia, no dia 09 de outubro. “Há dois meses inscrevi o projeto que é fruto do meu TCC, por indicação de amigas. Confesso que não acreditei muito e durante uma semana entrava direto no site oficial do concurso quando recebi um email que me fez sair berrando e chorando, pois fui selecionada”, conta a fotógrafa.

Ela explica que “o concurso é um espaço para fotógrafos, que surpreendem a cada ano com a mostra de novas facetas de um mundo aparentemente prosaico, onde alguns empregos desaparecem e outros nascem, onde as relações de trabalho auxiliam no domínio da mudança econômica e lutas sociais”, reforça.

 

Projeto destaca fumicultura

Natural de Grão-Pará, a fotógrafa de 21 anos descobriu na faculdade a fotografia documental e esse ano realizou a exposição “Manoca”, que registrou o trabalho árduo dos fumicultores, durante a festa do padroeiro da cidade, São João Batista.  “O projeto teve origem na faculdade, durante a produção do meu TCC. Acompanhei e fotografei o trabalho dos fumicultores durante alguns dias. O objetivo do projeto desde o início sempre foi valorizar a profissão, que hoje é pouco vista, mas é uma das que mais movimenta a região”, explica Natália.

 


Leave a Comment