Em um ano, Braço do Norte registra 30 casos de abusos sexuais

Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes, a Secretaria de Assistência Social realiza ações no município

De maio de 2018, até maio desse ano, Braço do Norte, teve 30 casos de abusos sexuais contra crianças e adolescentes, atendidos pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). E para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado no sábado, 18 de maio, a Secretaria de Assistência Social realiza ações no município. Para falar sobre esse trabalho, os serviços e oficinas oferecidos pela Secretaria e sobre a sua trajetória, recebemos essa semana, no Café da Folha, patrocinado pela Panificadora Phillipi, a secretária da Assistência Social, Gisely Heidmann Perin Meurer.

Conte-nos um pouco quem é Gisely, sua história e trajetória?
GiselySou natural de Grão-Pará, filha de Zefrido Perin Laipelt e Olívia Heidemann Perin, que faleceram quando eu tinha 19 anos. O meu pai era dentista prático e minha mãe do lar, eles tiveram uma trajetória de vida bem difícil e sofrida. Tiveram quatro filhos. Quando eu estava iniciando a minha faculdade em odontologia, na Univali, em Itajaí, os dois faleceram de câncer no mesmo ano e no mesmo mês, o pai dia 18 e a mãe dia 26 de fevereiro. Não foi fácil, foi uma fase bem difícil, mas tive que seguir minha vida, me formei e vim morar em Braço do Norte com a minha irmã mais velha, a Meri, minha grande referência, depois de um ano, conheci meu marido Elessandro Meurer e construímos a nossa família, temos dois filhos, o Henrique e a Olivia. Logo que cheguei em Braço do Norte, já passei a exercer a minha profissão, como cirurgiã dentista, e depois de oito anos na rede pública, surgiu a oportunidade de assumir a Secretaria de Assistência Social, eu já tinha experiência com política pública e atendimento as pessoas.

Como você chegou na Secretaria de Assistência Social? O que te fez aceitar esse desafio?
Gisely Esse convite foi uma aliança política, do PSDB com o partido do prefeito o PSD, para estarem juntos na eleição. Eu fui indicação do PSDB, mais propriamente do meu sogro, o Arnaldo Meurer, eu devo a ele essa grande oportunidade. Confesso que num primeiro momento foi difícil, porque eu estava na minha zona de conforto, no meu trabalho, enfim, eu tinha toda a minha rotina e de repente tudo mudou. Mas na época conversei com o meu esposo, e falei pra ele que essa oportunidade não tinha sido por acaso, que se Deus estava colocando essa missão na minha vida, eu ia aceitar, e ele foi o maior incentivador, por isso que aceitei e acreditei de verdade ser uma missão a cumprir, eu sentia que eu tinha que dá a minha contribuição, dar o meu melhor e fazer bem as pessoas, e é isso que venho fazendo nesses três anos, o meu principal lema dentro da Secretaria é fazer sempre o melhor e o possível pelas pessoas, para que elas sejam sempre bem atendidas, pois as pessoas que nos procuram não são carentes só de benefício, mas também de atenção. E eu procuro trabalhar muito a acolhida, o que eu posso fazer pra ajudar, eu faço.

Uma avaliação desses três anos à frente da Secretaria?
GiselyAvalio de forma positiva, estou muito feliz, já vi muita coisa mudar dentro da Secretaria. Realmente estamos conseguindo fazer o nosso melhor, só não fizemos mais, porque temos as nossas limitações, dependemos de recursos federais e estaduais. Uma coisa que faço questão de falar é sobre o nosso prefeito e vice, ambos possuem um olhar extremamente humano e sensível para a área da assistência, são pessoas bem acessíveis, sempre que possível eles atendem as nossas solicitações. Sem contar os profissionais, que são completamente comprometidos com a causa e realizam um lindo trabalho.

O que podemos destacar na tua gestão?
Gisely Quando entramos na Secretaria, a encontramos em um momento bem difícil. Algo que tivemos que fazer de imediato, foi a renovação de toda a nossa frota de veículos, entre outras mudanças. Mas algo que eu considero bem significativo e que podemos destacar nessa gestão, é a fabricação de fraldas descartáveis para crianças. Até então, a Secretaria de Assistência Social fabricava há muitos anos, apenas fraldas geriátricas para famílias carentes. Essa foi uma ideia que eu trouxe para o prefeito, e ele abraçou. Corremos atrás e conseguimos a doação de uma máquina através da Fundação Nova Vida, e hoje estamos com mais de 100 usuários, tanto na infantil, quando na geriátrica. E eu estou bem feliz, é uma ideia minha e que deu certo, eu sei que vou deixar a minha marca, eu vou sair e esse projeto vai continuar. Outro projeto que foi implantado ano passado, foi o Comped, o Conselho da Pessoa com Deficiência. Outra novidade também foi a inauguração de um novo espaço para o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV). A casa foi viabilizada para otimizar as oficinas realizadas no Cras.

Fale um pouco dos projetos sociais que a Secretaria oferece?
GiselyDentro da Secretaria temos o Bolsa Família, onde 323 famílias são beneficiadas. Temos também o Clube de Mães, são 44 Clubes no município, hoje temos quase 1000 mães cadastradas. Ofereceremos ainda a oficina de pintura para meninas, que acontece nas segundas e quintas-feiras a tarde, temos 25 meninas matriculadas. Além disso, temos o curso de gestantes, através do projeto “Cuidando do Ser”, que é realizado duas vezes ao ano. Nesse primeiro semestre 15 mães participam dos encontros, que acontecem nas quartas-feiras, na sede da secretaria. Essa é uma oportunidade para que as mães possam aprender e tirar suas dúvidas, além de ganharem no final do curso, um kit de enxoval lindo para o seu bebê. Oferecemos também curso de corte e costura, todas as segundas-feiras a noite, temos 11 pessoas matriculadas. Temos ainda os encontros dos idosos com quase 800 inscritos, que acontecem nas comunidades do Rio Bonito, Centro e Pinheiral. Além do coral da terceira idade que funciona no Centro de Convivência dos Idosos (CCI) todas as quartas-feiras, onde temos 32 idosos matriculados. E a partir do segundo semestre desse ano vamos ter também um curso de tear. É importante lembrar que a Associação Braçonortense de Assistência Social (Abras), presidida voluntariamente pela primeira dama, Débora, que tem um olhar bem sensível em relações as questões sociais, uma grande parceira dentro da Assistência Social, também faz parte da Secretaria, além também do Setor de Habitação.

Ao todo, em torno de quantas pessoas são atendidas pela Secretaria?
GiselyNo mês de abril, foram realizados mais de 650 atendimentos.

Como as pessoas fazem para se cadastrar em um dos projetos?
GiselyA porta de entrada é no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), lá é realizado o parecer da assistente social, ela faz todo um acompanhamento, para conhecer a situação da pessoa, para ver se realmente ela precisa. Todos que participam dos nossos projetos, são encaminhados pelo Cras ou pelo Creas. Priorizamos aqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Além do Cras e Creas, temos também o Cadastro Único, que é realizado no setor Bolsa Família.

E para o dia 18 de maio, Dia Nacional do Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes, está sendo organizada alguma ação?
GiselyNa última semana profissionais participaram de uma capacitação sobre o abuso e a violência contra crianças e adolescentes, no auditório da Apae. E nesta sexta-feira, 17, vamos realizar um pedágio informativo, a partir das 8h30min, na sinaleira, onde vamos entregar panfletos sobre a campanha. E além disso, estamos trabalhando bastante na divulgação, colocamos outdoor e espalhamos pelo município faixas e flores amarelas em alusão a campanha. Esse é um assunto que não pode ser lembrado só agora no dia 18, mas sim durante o ano todo. Essas ações que realizamos é uma forma de chamar a atenção e alertar as pessoas, acredito que esse tipo de trabalho, ajuda e contribui para que as pessoas se encorajem mais a realizarem as denúncias, que podem ser feitas no Conselho Tutelar, delegacia de polícia, no Creas e também através do Disque 100. De maio de 2018 a maio de 2019, o Creas atendeu 30 casos de abuso aqui no município, precisamos dar um basta nisso. Além dessa situação, a violência contra a mulher e a negligência com o idoso também estão bem fortes aqui em Braço do Norte.

Qual a situação da Secretaria hoje?
GiselyA Secretaria graças a Deus funciona muito bem, é um setor bem organizado, temos toda uma estrutura necessária, temos uma rede bem completa, além do Cras e do Creas, conta também com os serviços do Nasf e Caps, que fazem parte da Secretaria de Saúde. Além disso, todos os secretários são bem parceiros. Do jeito que está já funciona bem, mas sabemos que sempre podemos melhorar.


Leave a Comment