Edição 1586 – 26 de abril de 2019

Os passos do vice
O vice-prefeito Ronaldo Fornazza voltou esta semana a dizer que não é candidato a presidente da Cerbranorte em uma possível troca de candidatos. Atual presidente do Partido Progressista e coordenador de campanha da chapa 1 que tinha o então presidente Toninho, de seu partido, candidato a vice em uma chapa com o MDB de Nelo da Silva para presidente, Fornazza busca, porém, afastar qualquer ligação desta proximidade de MDB e PP com um futuro embate político de 2020.
Garante que somente será candidato a cooperativa se houver um pedido e consenso do grupo que disputou a eleição. Questionado se está havendo conversas ou reuniões entre os integrantes da chapa 1, o coordenador diz que a mobilização existe e conversam entre si pelos grupos de Whatsapp. Defende que é difícil reunir todos e deu como exemplo a foto que viu semana passada, na rede social, onde, segundo ele, aparecem 17 membros da chapa 2 reunidos (na foto aparecem 22) e que disseram ser 75% dos componentes das diretorias para Geradora (15 associados) e Distribuidora (19 associados). Para ser 75% teria que ter no mínimo 25 membros. São 34 os componentes para as duas.
Quanto a proximidade com o MDB, disse que Cooperativa é uma coisa e Prefeitura é outra. Não mistura os caldos. Garante que o trabalho que está sendo feito e a aprovação da atual Administração Municipal é fruto desta dobradinha que está dando certo. Não é mérito somente do prefeito Beto Marcelino ou do vice. Mas do trabalho que tem os dois à frente com uma equipe que entendeu esta sintonia.
Já sobre a possível manutenção da atual chapa da Cerbranorte, respeita as opiniões de todos os partidos que integram a chapa 1, mas lembra que a Executiva do PP, por 10 votos a 1, optou em manter apoio a Toninho que era o candidato a vice de Nelo na Distribuidora. É a mesma Executiva que vai ditar quem apoiar e quem será o candidato, caso haja desistência ou dissolução para a eleição ainda a ser marcada.

Postura
O administrador judicial Cristiano Orlandi, vem recebendo elogios e críticas pela forma que conduz, a Cerbranorte Geradora e a Distribuidora. O advogado que iniciou o trabalho com sua equipe em 1º de abril nega-se a ocupar a sala da presidência. Diz que aquele assento deve ser ocupado pelo presidente e ele é apenas um interventor que foi acionado pela Justiça. Montou seu escritório na sala do contador. Não se nega a atender ninguém, porém é avesso a entrevistas. O valor que sua equipe cobra pelo trabalho, R$ 65 mil mensais, também é questionado à boca pequena. Ele é responsável entre outras coisas, de organizar a eleição que vai eleger as novas diretorias.


Acompanhei parte da reunião da Câmara Técnica do Desenvolvimento Urbano realizada quarta-feira na Acivale. Um dos projetos desenvolvidos por eles é a remodelação da Praça Coronel Collaço. O ponto deverá receber uma reforma completa e será temática, para se tornar um ponto turístico. O projeto é desenvolvido pelos próprios integrantes da Câmara e tem como responsáveis a arquiteta Júlia Michels e o engenheiro Dagmar Mafei. Os integrantes querem fazer algo como a praça da gôndola, que está instalada em Nova Veneza. A concepção do projeto será apresentada aos conselheiros do Desenvolvimento Econômico Local na reunião da próxima segunda-feira.

Reação
Em um momento em que as mídias tradicionais estão desacreditadas e que se coloca tanto em jogo a credibilidade de veículos de comunicação, a Folha do Vale comemora o aumento de 100 assinantes nestes quatro primeiros meses de 2019. Parece pouco, mas representa a retomada de um novo momento da economia local. Nossos leitores, na sua grande maioria, deixam de assinar a Folha por dois motivos. Primeiro, por mudarem. Se vão morar em outra cidade, onde não circulamos. Segundo, por perderem o emprego. Boa parte dos assinantes, são antigos leitores, que voltaram a ter carteira assinada. Agora, mais confiantes na economia e bem informados.

Contra a fosfateira
O encontro realizado na Amurel (Associação dos Municípios da Região de Laguna) para debater a manifestação contrária dos municípios à construção de uma fosfateira em Anitápolis, surtiu resultados positivos. Após as explanações realizadas pelo advogado Eduardo Bastos Moreira Lima, responsável pela Ong Montanha Viva, que encabeça o movimento, e por diversas lideranças que já acompanham o assunto, definiu-se que as Prefeituras que já estão presentes no processo da Justiça contra a exploração do mineral, irão recorrer na decisão do 4º Tribunal Regional Federal (TRF 4), que extinguiu o processo sem seu devido julgamento. No encontro realizado em Tubarão, cada um dos prefeitos presentes teve sua oportunidade de manifestação, mostrando assim suas preocupações comunitárias. Destaque para o prefeito Beto Marcelino (PSD), presidente da Amurel, que voltou a usar um forte discurso em prol dos moradores locais, compromisso assumido com a Frente Parlamentar Sul, dos deputados da Alesc, na sede da Acit dias atrás. O prazo para recorrer da decisão da Justiça encerra no dia 25 de maio.

Críticas
Vereador Roberto Kindermann (PSD) passou o cargo de líder do governo para o suplente de vereador Mario Jorge Danielski (PSD), que está no cargo em função da vacância de Ricardo Medeiros (PSD). Roberto disse que a função de líder requer uma dedicação extra, pois faz a ligação entre a Administração e os demais vereadores, devendo minimizar dúvidas de projetos que venham do Executivo e apresentar as contrarrazões sempre que a Prefeitura for citada no plenário.

Capacitação
Minha querida professora Edla Zim, de Tubarão, especialista em Gestão Empresarial, ministrou esta semana na CDL de Braço do Norte, mais um importante workshop. Com o tema Atitudes positivas formam equipes vencedoras, o treinamento que reuniu cerca de 40 participantes, teve como objetivo estimular o trabalho em equipe aprimorando ferramentas, técnicas e atitudes.

Debate político
O deputado federal Celso Maldaner estará neste sábado a partir das 14 horas no Pesca e Lazer Beira Rio em São Ludgero para o encontro regional emedebista. O evento intitulado “Vamos resgatar o Debate Político?”, questiona a importância de falar sobre política e é uma forma de estadualizar seu nome, visando, quem sabe, a presidência Estadual do Partido. Celso é empresário e irmão do ex-senador Casildo Maldaner. Natural de Chapecó, tem domínio eleitoral em Maravilha.


Leave a Comment