Braço do Norte inova com Empreendedorismo

Neste ano, disciplina será incluída na grade curricular da educação. Encontro nesta quinta-feira, 14, marca o lançamento das aulas

O ano letivo está prestes a iniciar e, em Braço do Norte, ele vai começar com uma novidade pra lá de especial. A partir de agora, os alunos do 6º ano das escolas Adolfo Wiggers, no São José, e Professor Antônio Rodhen, no Centro, vão ter aulas de empreendedorismo.
Braço do Norte é pioneiro e a disciplina, sugerida em uma das Câmaras Técnicas do Conselho de Desenvolvimento Local (DEL), está, agora, inclusa na grade curricular do município e passa a ser uma política pública. O objetivo é que todos os anos de 6º ao 9º ano tenham a disciplina.
Para falar sobre a nova matéria, as integrantes da Câmara Técnica do DEL, Marli Sombrio e Zélia Guinzani a secretária Adjunta de Educação e integrante do DEL, Nívea Willemann, e a consultora do DEL, Bruna Floriano participaram do Café da Folha desta semana.
À jornalista Suellen Souza contaram como será e qual o objetivo do evento de lançamento da disciplina, que acontece dia 14, no Clube Cruzeiro.

Já há outros municípios interessados pelo projeto?
Bruna – É interessante como é referência. Já recebemos contato de um pessoal de São Paulo que veio nos questionar como foi feito o projeto, os trâmites e implantação. Esta semana, o pessoal de Garopaba nos pediu informações sobre o projeto.
Marli – O projeto até demorou a sair do papel, mas demorou justamente por esta busca da Secretaria de Educação e do DEL de tentar fazer aquilo que fosse concreto, bem fundamental e estudado para que ele venha, realmente, só crescer.

Como surgiu a ideia de implantação da disciplina de Empreendedorismo na grade curricular de Braço do Norte?
Zélia – A ideia surgiu dentro da Câmara Técnica do DEL por uma sugestão da secretária adjunta de Educação, que na época ainda nem ocupava este cargo, a Nívea Willemann. Ela foi a proponente deste projeto.
Nívea – No final de 2015, início de 2016, foram formadas as primeiras câmaras do DEL. Então, cada profissional convidado levava uma ideia para ser apresentada. A ideia que eu levei foi a do empreendedorismo. Outros profissionais levaram outras ideias excelentes também. Só que o DEL em consenso, escolheu a ideia que seria prioridade para abraçar.
O projeto levou um bom tempo para realmente sair do papel e se tornar realidade. Por que esta preocupação?
Marli – Demorou a sair do papel justamente por essa busca que existia dentro da Secretaria da Educação junto com o DEL para fazer algo concreto. Não como algo que começou, está bonito e morreu. Mas ele está muito bem fundamentado, foi muito bem estudado, para que realmente venha só a crescer, e venha a ser melhorado.
Nívea – Para a escolha do professor, por exemplo, houve a montagem do edital, pela Rosane Alberton, que é profissional da Secretaria da Educação. Com as orientações e sugestões do DEL e da secretária da Educação, Claudinéia Niehues, ela juntou tudo e colocou no edital. Então, a escolha é a partir de currículo. O edital, seguiu todos os trâmites legais, foi lançado no site oficial da prefeitura. As inscrições poderiam ser feitas tanto através de e-mail quanto presencialmente na secretaria de educação. Nós recebemos vários currículos de profissionais de qualidade. Independente do selecionado, a gente já tem certeza de que o professor ou a professora do empreendedorismo será um profissional muito bem capacitado.

A disciplina de Empreendedorismo vai ser lançada, oficialmente no dia 14 de fevereiro, em um evento no Clube Cruzeiro. Como vai ser?
Zélia – O evento é uma parceria da Secretaria da Educação e o público alvo é os professores. A nossa ideia foi a seguinte: o novo traz o medo, muitas vezes gera conflito interno. E o nosso professor, alguns, tem medo. Eu, como DEL falando, vejo que é uma grande oportunidade de o professor saber de porque se pensou no empreendedorismo. Vale lembrar que essa ideia partiu da Nívia, o DEL acreditou, a administração Ronaldo e Beto abraçou junto com a Secretaria da Educação. Os nossos vereadores aprovaram. Então, foram várias reuniões até chegar onde está hoje, com o filhinho sendo gerado no dia 14.
Marli – Tenho certeza que os professores vão ser alimentados do início ao fim, porque a gente pensou em cada detalhe e acredito que será um marco muito importante. A Secretaria de Educação pensou com muito carinho junto com a DEL. E, para ter essa sensibilização e essa conversa bem boa o evento será realizado no dia 14. O público alvo é os professores, mas o evento estará aberto para toda a comunidade que tiver interesse da educação.

Como será o evento?
Nívea – O evento começa às 08h com o credenciamento e segue o dia todo, com intervalo às 11h30 com retorno às 13h30min. Vamos trabalhar o empreendedorismo como disciplina, como ciência, como necessidade e, para isso, vamos contar com alguns palestrantes.
Marli – Um deles é o Evandro Badini. Ele é empreendedor por excelência no seu próprio trabalho. Ele desenvolve projetos por Santa Catarina, em várias escolas e instituições. Ele é bem acostumado em trabalhar com público grande de empresários, e está vindo aqui para trabalhar de forma voluntária com os professores pois ficou sensibilizado com a importância do projeto. Principalmente porque ele está muito acostumado a trabalhar com instituições como Abrigo, Asacad, Bairro da Juventude em Criciúma, é contratado por escolas particulares. Então ele ficou muito feliz com o projeto.
Zélia – Teremos também a presença do professor Mattiola que vai trabalhar o tema “Como ser um empreendedor no seu próprio trabalho. A nutricionista Tamara Alano Niehues que vai trabalhar a questão alimentar e a importância da saúde. Ainda teremos o Nazareno Mayatt que vai fazer uma espiritualização, uma conversa boa para o retorno para a escola. E, no meio de toda essa bagagem, nós vamos ter a Hermídia Dores dos Prazeres para descontrair os nossos profissionais, que também é muito importante.
Marli – Nós precisamos lembrar e reconhecer que isso só é possível graças a parceria DEL, prefeitura, Secretaria de Educação e Câmara de Vereadores que foram fundamentais em todos os processos. Temos que agradecer ainda os nossos colegas de DEL, que contribuíram para o sucesso do projeto, que é a Gisela Daufenbach Felippe, o Carlos Wagner Medeiros, a Mabel Silva e a Élexssandra Danielski.

O empreendedorismo vai ser trabalhado na escola, mas vai além é?
Nívea – Exato, até porque a proposta do DEL é estar junto, não fiscalizando as aulas, mas fazendo essa ponte, essa conexão, essa conversa daquilo que está acontecendo, para ir além. Com o empreendedorismo, a gente vai ter a possibilidade dos alunos estarem em contato com os empresários, e abrir esse leque de possibilidades da escolha certa. Porque a gente olha hoje, é com alegria para os nossos ex-alunos, com carreira de sucesso, desempenhando um trabalho social importante, imagina se tivesse empreendedorismo naquela época.
Marli – Através do empreendedorismo, projetos fantásticos poderão ser feitos. E isso vai colaborar e muito para o futuro de Braço do Norte.


Leave a Comment