A caridade – o mais importante da vida

São Paulo diz: ainda que eu falasse todas as línguas, se não tivesse caridade seria como um bronze que soa. Ainda que eu tivesse o conhecimento de toda a ciência e toda a fé, se não tivesse caridade, eu nada seria. Ainda que eu distribuísse todos os meus bens aos famintos, se não tivesse a caridade, isto nada me adiantaria. A caridade é paciente e prestativa; não é invejosa e nem procura o seu próprio interesse; não se irrita nem guarda rancor; não se alegra com a injustiça, mas tudo desculpa, tudo suporta.
A caridade jamais passará. As profecias, as línguas e a ciência desaparecerão, pois o nosso conhecimento é limitado (1 Cor 13,1-9). Jesus diz: o mandamento que vos dou é “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. Isto é um amor do coração, fundado em Deus que é amor (Jô 13, 3-4). Se perdoardes também vosso Pai celeste vos perdoará (Mt 6, 14).
São Pedro: “Acima de tudo cultivai o amor mútuo, porque o amor cobre uma multidão de pecados” (1Ped 4,8).
São João: “aquele que ama a Deus, ama também seu irmão” (1 Jo 4,21).
Perdoar também os inimigos. Jesus é o exemplo. Jesus, quase morto, pendurado na cruz, com dificuldade levanta os olhos para o céu e diz: “Pai, perdoai-lhes”, pedindo que Deus perdoasse os assassinos dele (Lc 23,33). Perdoar não significa não sentir, mas sim, apesar da mágoa ou a ofensa, desejar bem para a pessoa que ofendeu ou magoou. Por isso rezar pela pessoa que ofende ou é antipática. Na oração não dar palpite. Deus sabe o que fazer. Você reza mais para você sossegar do que converter o outro.

 


Leave a Comment